quinta-feira, 21 de junho de 2012

NÃO MINTAIS UNS AOS OUTROS - Amai-vos uns aos Outros - Parte 16 - Sermão 24


Esse artigo é parte da série "Amai-vos Uns aos Outros" e é muito recomendável que o leitor procure conhecer todos os aspectos dos mandamentos nos quais o Senhor nos ordena demonstrarmos amor uns pelos outros. No final do artigo você encontrará um link para o estudo posterior.

Texto: Colossenses 3:9—10
  
Introdução.

·       Uma das manifestações de amor mais marcantes entre os cristãos primitivos, tem a ver com a atitude espontânea, que existia entre eles, de venderem suas propriedades para socorrer os cristãos que se encontravam em necessidades. 

·       Mas, como em todas as situações humanas, não demorou muito para que a verdadeira comunhão e o amor sofressem uma grande agressão pela pretensão praticada por Ananias e Safira. O jogo do fingimento terminou com a morte de Ananias e Safira aos pés do apóstolo Pedro.

·       Ananias e Safira combinaram, entre si, fazerem um pequeno teatro pretendendo que, tendo vendido uma propriedade, eles também estavam trazendo todo o dinheiro conseguido com aquela venda.

·       Todavia eles não estavam sendo sinceros. Eles guardaram parte do dinheiro para si mesmos, enquanto declaravam – para todo mundo ver e ouvir – que estavam trazendo todo o valor como oferta.

·       Não havia, na Igreja Cristã Primitiva, nenhuma exigência de que as pessoas deveriam vender suas propriedades e entregar o valor da venda para ser usado pela Igreja. Ananias e Safira não precisavam vender sua propriedade. Eles o fizeram porque queriam aparecer. Eles não tinham a obrigação de fazer nenhum tipo de doação para a Igreja. Quando venderam a propriedade, eles não estavam obrigados a doar, nem uma parte nem o todo. Poderiam guardar todo o dinheiro para eles mesmos ou nem vender a propriedade se assim o desejassem.

·       Sua atitude ridícula, revelada pelo Espírito Santo, consistia em entregar uma parte fingindo que estavam entregando tudo. Isto era suficiente para enganar os irmãos, mas não era bastante para enganar a Deus que vê nossos corações e sabe o que estamos pensando, agora mesmo!

·       Tal tipo de mentira e pretensão era intolerável, porque o ato de mentir para os irmãos correspondia ao mesmo que tentar mentir para o Espírito Santo.

·       Por este motivo somos ensinados a...

Não Mentir uns aos Outros

I. O Mandamento.
  Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criouColossenses 3:9—10.

 II. Definição do Termo:
ψεύδομαι      Pseúdomai mentir, falar falsidades deliberadas, enganar.
 Podemos definir este mandamento da seguinte maneira: Mentir uns aos outros significa o mesmo que:
 Falar como verdade algo que sabemos ser falso.
 Distorcer a verdade de qualquer forma e em qualquer detalhe.
 Transmitir uma falsa impressão de si mesmo ou de alguma coisa.
 Ter a intenção de enganar, de alguma maneira, outra pessoa. 
 
  III. Exemplos e Não Exemplos Bíblicos
 Rogo-vos, irmãos, que noteis bem aqueles que provocam divisões e escândalos, em desacordo com a doutrina que aprendestes; afastai-vos deles, porque esses tais não servem a Cristo, nosso Senhor, e sim a seu próprio ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos incautos – Romanos 16:17—18.
 Ora, acerca do que vos escrevo, eis que diante de Deus testifico que não minto – Gálatas 1:20.
 Acima de tudo, porém, meus irmãos, não jureis nem pelo céu, nem pela terra, nem por qualquer outro voto; antes, seja o vosso sim sim, e o vosso não não, para não cairdes em juízo – Tiago 5:12.
 Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno – Mateus 5:33.
 Mas, além disso, a Bíblia está cheia de versículos com mandamentos muito abrangentes de que não devemos mentir uns aos outros. Estas referências nos mostram vários aspectos daquilo que estamos chamando de “mentira".

 IV. O Que Devemos Evitar 
 1. Fazer falsas acusações contra os irmãos:
 ·       Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós – Mateus 5:11.

 ·       Seis coisas o SENHOR aborrece, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos – Provérbios 6:16—19.

 2. As chamadas mentiras “brancas” como a que foi tentada por Ananias e Safira – ver Atos 5:3—4.
 3. Atribuir a Deus algo que Ele não disse ou retirar da palavra de Deus algo que Ele disse – ver Provérbios 30:5—6.
 4. Desculpar ou racionalizar nossa própria maldade ou pecado e negar justiça àquele acusado falsamente – ver Provérbios 17:15.
 5. Brincadeiras de mau gosto, especialmente aquelas que enganam as pessoas – ver Provérbios 26:18—19.
 6. Empenhar a Palavra sem a intenção de cumpri-la – ver Mateus 5:33 e Tiago 5:22.  
 
V. Porque Deus Odeia a Mentira?
 Porque Deus é, em Si mesmo, VERDADE:
 Quem, todavia, lhe aceita o testemunho, por sua vez, certifica que Deus é verdadeiro – João 3:33.
 ... É impossível que Deus minta... – Hebreus 6:18.
 Os lábios mentirosos são abomináveis ao SENHOR, mas os que agem fielmente são o seu prazer – Provérbios 12:22.
 Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim – João 14:6.
Quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir – João 16:13.
Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade – João 17:17.
Conclusão:

O mandamento bíblico de que não devemos mentir uns aos outros possui as seguintes implicações:

1. Os cristãos devem ser honestos e verdadeiros em todo proceder. Seja na vida privada, seja no envolvimento com outros cristãos ou com as pessoas em geral.

2. Honestidade e confiança mútua são essenciais para o funcionamento apropriado do corpo de Cristo. Somos membros uns dos outros e qualquer tipo de engano atrapalha nosso serviço comum a favor do Reino de Deus.

3. Em vez de mentir uns para outros, nós devemos buscar edificar uns aos outros falando sempre a verdade, especialmente a verdade que procede da palavra de Deus. Esta prática, de falarmos a verdade de Deus uns para com os outros, cria em nós um senso de confiança mútua.

4. Até mesmo uma única mentira é capaz de introduzir as sementes da dúvida, da desconfiança e do ceticismo entre os membros de uma comunidade.

5. Verdade e honestidade absolutas são essenciais para um testemunho convincente acerca de Cristo neste mundo.

Que Deus nos ajude a todos a falar sempre a verdade.

O artigo 023 dessa série poderá ser encontrado aqui:

http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2012/05/nao-tenhais-inveja-uns-aos-outros-amai.html

O primeiro artigo - 001 - dessa série poderá ser encontrado aqui:

http://ograndedialogo.blogspot.com/2010/05/o-custo-do-discipulado.html

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário