domingo, 21 de dezembro de 2014

APOCALIPSE 2:8-11 - SERMÃO 006 – UMA CARTA PARA A IGREJA EM ESMIRNA — PARTE 001


Ruínas da antiga cidade de Esmirna na Turquia moderna

O objetivo dessa série é apresentar os três primeiros capítulos do Livro do Apocalipse. Neles vamos encontrar uma REVELAÇÃO muito especial da pessoa de Jesus Cristo. Cremos que é disso que a Igreja dos nossos Dias precisa: Um encontro pessoal e profundo com o Senhor que diz de si mesmo: Eu sou o Alfa e Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso. No Final de cada estudo o leitor encontrará os links para os estudos seguintes:

LIVRO DO APOCALIPSE — INTRODUÇÃO E AS CARTAS ÀS SETE IGREJAS DA ÁSIA

Texto: Apocalipse 2:8—11  

Introdução.

A. Estamos expondo as cartas que o Senhor Jesus enviou, por meio do Apóstolo João para sete igrejas localizadas na província romana da Ásia.

As sete igrejas da Ásia

B. A primeira carta foi enviada para a igreja na cidade de Éfeso e tinha como seu tema principal: o AMOR.

C. Assim vimos que uma igreja viva e que trabalha a favor do evangelho é, acima de tudo, uma igreja que ama, especialmente a Jesus Cristo, seu Senhor e Salvador.

D. Hoje vamos iniciar nossa análise da segunda carta que foi enviada para a Igreja localizada na cidade de Esmirna. A cidade existe até os dias de hoje e é chamada de Izmir.

Vista da cidade moderna de Izmir na Turquia

E. Da mesma forma como o tema da carta para Éfeso era o AMOR, o tema da carta para a Igreja de Esmirna é o SOFRIMENTO.

F. Essas duas ideias — amor e sofrimento — estão intimamente ligadas no universo da fé cristã. É a disposição de sofrer por Jesus que autentica nosso amor pelo Senhor!

G. Ao contrário do que havia acontecido em Éfeso, os crentes de Esmirna não tinham deixado seu amor pelo Senhor esfriar e, por isso, estavam prontos a sofrer por ele, seguindo o exemplo dos apóstolos João e Pedro:

Atos 5:41

40 Chamando os apóstolos, açoitaram-nos e, ordenando-lhes que não falassem em o nome de Jesus, os soltaram.

41 E eles se retiraram do Sinédrio regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome.

H. A cidade de Esmirna estava localizada apenas a 8 quilômetros ao norte de Éfeso e era a segunda cidade onde o emissário deveria entregar uma das cartas ditadas pelo próprio Senhor Jesus.

I. Esmirna era uma cidade esplêndida e rivalizava com Éfeso em muitos aspectos. Vamos então conhecer melhor...

OS SOFRIMENTOS QUE OS CRENTES DE ESMIRNA SUPORTARAM POR AMOR A CRISTO


I. A Vida Cristã é uma Vida Marcada por Sofrimentos

Apesar da vida cristã ser uma vida marcada por sofrimentos, os mesmos nunca devem ser motivos de desânimo, mas sempre de abrir o coração e deixar Deus derramar sua alegria em nós como diz o apóstolo Pedro:

1 Pedro 4:12—13

12 Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo;

13 pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois co-participantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando.

A. Em todas essas aflições e sofrimentos, todavia, a igreja encontrava conforto nas palavras do Senhor — que esteve morto e tornou A VIVER — Apocalipse 2:8 — quando ele diz: CONHEÇO AS TUAS AFLIÇÕES – Apocalipse 2:9.

B. Que possamos sempre encontrar consolação divina na realidade que nosso Senhor, que nos ama, sabe SEMPRE tudo pelo que estamos passando.

II. Os Sofrimentos em Esmirna

A. Cristo e César

1. Como já vimos, o culto ao Imperador era uma das religiões mais fortes e estava espalhada por todo o império.


Tibério César

2. Como acontece nos dias modernos, seja com a Copa do Mundo ou com as Olimpíadas, as cidades da antiguidade disputavam, umas com as outras, o privilégio de edificarem templos aos imperadores. E Esmirna recebeu um grande troféu ao ser escolhida para construir um templo para a honra do imperador Tibério, enquanto esse ainda estava vivo. E quem foi o imperador Tibério? Foi o imperador sob quem Jesus Cristo, o Filho de Deus foi crucificado.

3. No que consistia a adoração ao imperador? Era algo simples:

a. O indivíduo podia comparecer diante de uma imagem esculpida do imperador e derramar um pouco de vinho como oferta ao imperador.

b. Ou então, o indivíduo podia se aproximar levando um pouco de incenso o qual ele jogava dentro de uma pira que ardia diante da imagem do imperador.

4. Como podemos ver, eram atos simples e o império não conseguia entender porque os cristãos se recusavam, com tanta veemência, a praticarem tais atos. Por que eles se recusavam? Porque isso era idolatria. Representava adorar, como deus, alguém que era apenas um homem mortal. Disso vieram sobre os cristãos primitivos, ondas e ondas de perseguição com os crentes sujeitos, inclusive à pena de morte!    

B. Os cristãos e os judeus

1. Os judeus haviam conseguido de Roma serem desobrigados da adoração ao imperador ou a qualquer outro deus que não fosse o próprio deus que adoravam, que nessa altura do campeonato não era mais o Deus do Antigo Testamento, pois o Deus dos antigos era o Pai do Senhor Jesus Cristo!

2. Jesus disse:

João 15:23—24

23 Quem me odeia, odeia também a meu Pai.

24 Se eu não tivesse feito entre eles tais obras, quais nenhum outro fez, pecado não teriam; mas, agora, não somente têm eles visto, mas também odiado, tanto a mim como a meu Pai.

2. As perseguições por parte dos judeus que se iniciaram com aquelas movidas contra o próprio Senhor Jesus Cristo e que continuaram contra os apóstolos, como podemos ler no livro dos Atos, prosseguiram através de todos os três primeiro séculos d.C.

III. Jesus Menciona Quatro Formas de Perseguição Específica

A. Pobreza — Cristo diz: Conheço a tua pobreza — Apocalipse 1:9. É algo que deve nos surpreender que numa cidade como Esmirna qualquer um dos seus cidadãos fosse pobre. É possível que boa parte da igreja em Esmirna pertencesse às classes mais pobres da cidade. Paulo nos diz o seguinte:

1 Coríntios 1:26

Irmãos, reparai, pois, na vossa vocação; visto que não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento.

1. O texto não nos diz por que os cristãos eram pobres, mas apenas o fato de que eram pobres e isso não passava despercebido ao Senhor Todo Poderoso. Talvez eles tivessem repartido todos seus bens com os necessitados, ou passaram a se recusar a serem desonestos nas relações comerciais, ou ainda não conseguiam encontrar emprego por meio de patrões pagãos e judeus.

2. É possível que alguns desses crentes tiveram, de modo imoral, o confisco de seus bens, como vemos mencionado em

Hebreus 10:34

Porque não somente vos compadecestes dos encarcerados, como também aceitastes com alegria o espólio dos vossos bens, tendo ciência de possuirdes vós mesmos patrimônio superior e durável.

3. Essas atitudes ensinadas pela Bíblia expõem a imoralidade e a mentira da chamada Teologia da Prosperidade e de todos os seus proponentes.

B. Difamação — Jesus diz: Conheço a blasfêmia dos que a si mesmos se declaram judeus e não são, sendo, antes, sinagoga de Satanás — Apocalipse 2:9.

1. Os judeus espalhavam falsos rumores acerca dos cristãos. As mentes estavam sendo envenenadas conforme diz

Tiago 3:8

A língua, porém, nenhum dos homens é capaz de domar; é mal incontido, carregado de veneno mortífero.

2. A expressão blasfemar é equivalente a caluniar. Essas pessoas que faziam isso são chamadas por Cristo de Sinagogas de Satanás, ou seja, pessoas habitadas por demônios da mesma forma que o cristão é habitado pelo Espírito Santo.

3. Sendo Sinagogas de Satanás, os judeus agiam exatamente como age o próprio diabo segundo as palavras de Jesus em

João 8:44

Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.

4. Os seguidores do diabo têm verdadeira aversão à VERDADE!

5. Mas as coisas, como sempre, poderiam ser ainda piores. E de fato se tornaram ainda piores.

C. PrisãoEis que o diabo está para lançar em prisão — Apocalipse 2:10.

1. Apóstolos e cristãos em geral estavam acostumados a serem lançados na prisão por causa de fé.

2. Isso é algo bem diferente de se dizer cristão e ser preso por sonegação fiscal como o notório Edir Macedo.

D. MorteSê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida — Apocalipse 1:10.

1. Quando nos unimos com o Senhor, devemos ter plena consciência que a fé cristã poderá demandar de nós a prisão e até mesmo a morte. Mas Jesus nos fala para não termos medo dos homens. Existe alguém maior do que os homens, a quem devemos temer conforme:

Mateus 10:28

Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.

2. Um dos mártires mais conhecidos de Esmirna foi Policarpo. De acordo com a tradição dos pais da igreja, Policarpo foi ordenado bispo de Esmirna pelo próprio apóstolo João. Sua morte entrou para os anais da igreja, já que ele estava com mais de 90 anos quando foi queimado vivo!

3. Policarpo conhecia bem as palavras de Jesus conforme Mateus 10:28, pois quando o pró-cônsul ameaçou queimá-lo vivo a resposta de Policarpo foi:


Ilustração do "Martírio de Policarpo"

"Ameaças-me com o fogo que arde por um momento, e depressa se apaga, mas nada sabeis da pena futura, e do fogo eterno reservado aos ímpios".

Conclusão:

A. Quando Deus permite que aflições atinjam nossas vidas nós precisamos percorrer um breve caminho composto de cinco degraus conforme

Romanos 5:3—5

3 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança;

4 e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança.

5 Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.

B. Também como cristãos precisamos estar prontos para seguir nos passos do nosso mestre conforme

1 Pedro 2:23

Pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente.

C. Confiar em Deus e no Senhor Jesus e nada temer. Nós temos um futuro glorioso nos aguardando, independentemente, dos sofrimentos que tenhamos que enfrentar.

Que Deus abençoe a todos.

OUTRAS MENSAGENS ACERCA DO APOCALIPSE: INTRODUÇÃO E CARTAS ÀS SETE IGREJAS

APOCALIPSE 1:1—20 — SERMÃO 001 — INTORDUÇÃO AO LIVRO DO APOCALIPSE

APOCALIPSE 1:1—20 — SERMÃO 002 — UMA VISÃO DE JESUS CRISTO — PARTE 001

APOCALIPSE 1:1—20 — SERMÃO 003 — UMA VISÃO DE JESUS CRISTO — PARTE 002

APOCALIPSE 2:1—7 — SERMÃO 004 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM ÉFESO — PARTE 001

APOCALIPSE 2:1—7 — SERMÃO 005 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM ÉFESO — PARTE 002
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/11/apocalipse-21-7-sermao-005-uma-carta_16.html

APOCALIPSE 2:8—11 — SERMÃO 006 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM ESMIRNA — PARTE 001

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:

http://www.facebook.com/pages/O-Grande-Diálogo/193483684110775

Desde já agradecemos a todos.

sábado, 20 de dezembro de 2014

TERIA JESUS SE CASADO COM MARIA MADALENA?

Pintura de Jesus Cristo, de Rembrandt 
Pintura de Jesus Cristo, de Rembrandt: sinopse descreve o livro como "história de detetive histórica" (Reprodução/VEJA)


Como falamos antes existe uma onda cíclica de livros acerca de Jesus que apenas reorganizam as mentiras contra o Senhor e tentam apresentá-las como se fossem grandes novidades. Recentemente publicamos dois artigos tratando dessa questão. Os mesmos poderão ser vistos por meio dos links abaixo:



Agora estamos diante de mais um caso desse tipo, só que dessa vez o mesmo está baseado em um documento do século VI, ou seja, são informações compiladas e grafadas cerca de 500 anos após os eventos narrados realmente terem acontecido!

O artigo foi publicado no site da Revista VEJA. Segue o mesmo:

Religião

Jesus teria se casado com Maria Madalena, afirma livro

A obra foi baseada em um manuscrito da Biblioteca Britânica, que data do século VI e é conhecido há quase 200 anos.

Jesus teria se casado com Maria Madalena e tido dois filhos com ela. Essa teoria será defendida por um livro que será lançado ainda neste mês, baseado em um manuscrito encontrado na Biblioteca Britânica, afirma o jornal The Sunday Times.

A obra — que lembra trabalhos de ficção como O Código da Vinci, do escritor americano Dan Brown, e A Última Tentação de Cristo, do grego Nikos Kazantzakis — tem como autores Simcha Jacobovici, escritor e cineasta especializado em história antiga e investigações arqueológicas, e Barrie Wilson, professor de estudos da religião da Universidade York, no Canadá.

De acordo com o The Sunday Times, o livro The Lost Gospel (O Evangelho Perdido, em tradução livre) trará detalhes até então desconhecidos da vida de Jesus quando ele tinha vinte anos. Também serão abordadas supostas ligações de Jesus com figuras políticas importantes do Império Romano, como o imperador Tibério.

O livro se baseia em um manuscrito conhecido como A História Eclesiástica de Zacharias Rhetor (de Mitilene), que esteve no Museu Britânico desde 1847, até ser transferido para a Biblioteca Britânica há cerca de duas décadas. A sinopse fornecida pela editora descreve a obra como uma "história de detetive histórica", uma ficção que traz a primeira tradução para o inglês do manuscrito redescoberto na Biblioteca Britânica. De acordo com Barrie Wilson em seu site, o texto está escrito em siríaco — um dialeto do aramaico — e "data do século VI, mas foi traduzido de um manuscrito grego muito mais antigo". “Os estudiosos têm conhecimento disso há quase 200 anos, mas ainda não sabem o que fazer com ele”, afirma Wilson. A Biblioteca Britânica não quis comentar as conclusões do livro.

Outras menções — As teorias que defendem o casamento de Maria Madalena com Jesus têm origem em uma passagem do Evangelho de Felipe, um dos livros apócrifos (que foram deixados de lado pela tradição católica), no qual os dois personagens aparecem se beijando.

Em 2012, a descoberta de um papiro que mencionava a “esposa de Jesus” reascendeu a discussão. Embora o documento tenha sido considerado falso pelo jornal L'Osservatore Romano, publicação oficial do Vaticano, cientistas da Universidade Columbia, da Universidade Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) publicaram neste ano um estudo que descarta a possibilidade de falsificação. Não há no papiro nenhuma indicação do nome da "esposa de Jesus".

O artigo original do site da VEJA poderá ser visto por meio desse link aqui:


NOSSO COMENTÁRIO

Caro leitor, note bem as expressões usadas no texto:

1. Jesus TERIA se casado com Maria Madalena.

2. Jesus Teria tido filhos com Maria Madalena.

3. Essa teoria...

4. Livro revela aspectos da vida de Jesus quando ele tinha 20 anos????

5. Supostas ligações...

6. Ficção histórica...

7. As teorias...

8. Evangelho de Felipe não é apócrifo é pseudoepigráfico.

9. Não há no papiro nenhuma indicação do nome da esposa de Jesus?????

Cremos que diante de tantas dúvidas e meras ilações vazias, não precisamos dizer nada!

Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis.

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

NATAL 2014 - A VERDADE SOBRE O NATAL - SERMÃO 002 – O NATAL É PARA PESSOAS QUE TÊM A MENTE DE CRISTO

 
Ilustração do lava-pés

Texto: Filipenses 2:5—11
Introdução.

A. Na mensagem anterior nós começamos a falar da grande majestade que envolve o nascimento do próprio Deus entre os seres humanos. 

B. Essa primeira mensagem poderá ser vista por meio desse link aqui: 

C. Na mensagem anterior falamos como Jesus precisou abrir mão tanto de sua soberania como Deus de todo o Universo, quanto de sua glória como o Deus Criador e sustentador de todas as coisas, para se tornar um mero ser humano como nós para habitar esse pequenino planeta. 

D. Para isso Jesus precisou se esvaziar por completo de sua gloriosa figura para poder ser reconhecido como um de nós – ver Filipenses 2:7! 

E. Hoje queremos prosseguir com nossa exposição de Filipenses 2:6—11 que nos fala da “Teologia do Natal”.

f. Por esse motivo vamos manter o mesmo título, acrescentando apenas “Parte 002”.

O SIGNIFICADO VERDADEIRO DO NATAL – PARTE 002

Quero pedir a todos que abram e deixem suas Bíblias abertas em Filipenses capítulo 2.


I. Jesus Aceitou Assumir a Forma de um Servo – Verso 7 

A. Quando Jesus se esvaziou, nós vimos que ele se esvaziou por completo da sua glória.

B.Isso lhe permitiu assumir a forma de um δοῦλος doûlos — cujo significado é de escravo, servo ou homem de condição servil. Foi assim que Jesus se esvaziou por amor a mim e a você.

C. Isso tudo já estava anunciado desde os dias do Antigo Testamento. Existe toda uma seção no Livro de Isaías — dos capítulos 40 a 56 especialmente — que descrevem a humilhação desse “Servo do Senhor”

Isaías 42:1

Eis aqui o meu servo, a quem sustenho; o meu escolhido, em quem a minha alma se compraz; pus sobre ele o meu Espírito, e ele promulgará o direito para os gentios.

D.Como servo, Jesus veio para fazer isso mesmo: SERVIR.

Lucas 22:27

Pois qual é maior: quem está à mesa ou quem serve? Porventura, não é quem está à mesa? Pois, no meio de vós, eu sou como quem serve.

E. Jesus tornou-se servo de Deus para poder nos servir nas nossas maiores necessidades. Agora pense uma pouco nisso e compare com essa bagunça que estamos vivendo e chamando de “natal”.

Ilustração de Jesus comendo com publicanos e pecadores

II. Jesus aceitou se associar com Pessoas Pecadoras com Eu e Você

A. Sua atitude foi reconhecida e criticada pelos hipócritas religiosos dos seus dias. Eles perguntavam:

Marcos 2:16

Os escribas dos fariseus, vendo-o comer em companhia dos pecadores e publicanos, perguntavam aos discípulos dele: Por que come e bebe ele com os publicanos e pecadores? 

B. Ao saber de tal questionamento, Jesus assumiu que não apenas fazia isso, mas que tinha vindo, exatamente para isso: PARA CUIDAR DE PESSOAS PERDIDAS, PESSOAS MACHUCADAS, ALQUEBRADAS, PESSOAS CUJAS VIDAS NÃO REFLETIAM A REALIDADE  DE QUE SOMOS SERES CRIADOS À IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS. 

C. Estamos todos muito, mas muito enfermos, de fato, Paulo diz que estamos como mortos em nossos delitos e pecados: 

Efésios 2:1 

Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, 

D. Mas Jesus veio para cuidar desse problema e resolver nossos dilemas quando afirmou: 

Marcos 2:17 

Tendo Jesus ouvido isto, respondeu-lhes: Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes; não vim chamar justos, e sim pecadores.  

E. A nossa necessidade era tão grande, que não somos capazes de mensurar o estrago que o pecado fez em nossas vidas, que havia somente uma pessoa capaz de nos ajudar: O PRÓPRIO DEUS! DEUS SEJA GLORIFICADO E JESUS SEJA ENGRANDECIDO POR SUA GRACIOSA SALVAÇÃO! 

F. Jesus era plenamente humano: 

1. Ele nasceu como um humano. 

2. Teve irmãos e irmãs como têm os humanos. 

3. Trabalhou com as próprias mãos para ajudar a se sustentar e a sua família. 

4. Jesus sentia fome, sede, cansaço, tinha necessidade de lavar seus pés e mãos sempre e tomar banhos conforme os costumes da época. 

5. Jesus se aborrecia com a incredulidade das pessoas e se entristecia de ver tanta falta de compaixão entre os seres humanos. 

6. Jesus chorou quando seu querido amigo Lázaro morreu. 

7. Etc. 

G. Quando Jesus iniciou seu ministério, apenas João Batista sabia quem ele era de fato: João viu a Jesus e disse para seus discípulos: 


João 1:29 

No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! 

H. Dias depois a mesma verdade foi repetida por João. Mas fora João ninguém sabia quem Jesus era.

João 1:36 

E, vendo Jesus passar, disse: Eis o Cordeiro de Deus 

I. Os discípulos só se convenceram definitivamente, quem Jesus era de fato — DEUS — depois que ele ressuscitou e passou quarenta dias convivendo com eles e ensinando-os acerca do Reino de Deus: 

1. Note a reação deles na Galileia quando viram Jesus ressuscitado pela primeira vez: 

Mateus 28:16—17 

16 Seguiram os onze discípulos para a Galileia, para o monte que Jesus lhes designara.

17 E, quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram. 

H. Agora note como eles se integraram com Jesus sabendo quem ele era de fato: 

Atos 1:3 

A estes também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas provas incontestáveis, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando das coisas concernentes ao reino de Deus. 


Ilustração da morte de Jesus na cruz

III. Jesus Tornou-se Obediente a Ponto de Morrer na Cruz — verso 8 

A. Jesus sabia desde o início que teria que passar por aquela provação representada pela cruz, quando teria que carregar todos os nossos pecados e receber a totalidade do castigo e da ira divina que nossos pecados mereciam. 

B. Esse é outro momento na vida de Jesus que devemos nos aproximar com a mais profunda reverência e meditação. Pense nessas palavras: 

Marcos 14:33—34 

33 E, levando consigo a Pedro, Tiago e João, começou a sentir-se tomado de pavor e de angústia. 

34 E lhes disse: A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai.

Ilustração da angústia de Jesus no Getsêmane

C. Tal pavor e tal angústia fizeram com que Jesus chegasse, até mesmo suar gostas de sangue: 

Lucas 22:44 

E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra. 

D. Mas Jesus não queria se desviar do rumo traçado. Ele queria fazer a vontade do seu Pai, independentemente do custo evolvido, e o custo final era ser completamente abandonado pelo Pai, quando aquele que não conheceu pecado fosse feito na própria essência e totalidade do pecado por nossa causa. 

2 Coríntios 5:21 

Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus. 

Ilustração da ascensão de Jesus

IV. Cristo Subiu, de Volta ao Mais alto Céu 

A. Enganam-se os que imaginam que Jesus subiu apenas até o céu. A Bíblia diz o seguinte: 

Hebreus 4:14 

Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão. 

B. A expressão penetrou não faz justiça ao que Cristo de fato fez quando retornou para o céu. Ele não penetrou apenas no céu como alguém entra em algum ambiente. De fato o temo grego usado pelo autor é διεληλυθότα dieleluthóta — que literalmente quer dizer: ir através de ou atravessar.    

C. Sim, foi isso mesmo que Jesus fez, ele atravessou todo o céu até chegar ao topo do mesmo, onde o próprio Deus é o único habitante permanente! 

Hebreus 1:3 

Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas. 

D. Com isso, podemos então terminar essa mensagem lendo Filipenses 2:9—11!
Conclusão:

A. O Jesus que uma vez de humilhou e se despojou de sua glória voltará para essa mesma terra como o Rei do reis e o Senhor dos senhores.


Apocalipse 19:16

Tem no seu manto e na sua coxa um nome inscrito: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES.

B. Como você se sente como pessoa? Você sente que é bonzinho? Que é bom? Que é bonzão? Então deixe eu te falar com toda sinceridade: se você vê qualquer coisa de boa em você, lamento, mas não foi por você que Jesus veio,

C. Agora se você se sente apertado pelo pecado, envergonhado muitas vezes por não fazer o que é certo, por não fazer o bem que sabe deve fazer, então aqui estão as boas novas: Jesus veio a esse mundo por pessoas como você!

D. Por causa de tudo que Jesus fez, basta reler o texto de Filipenses 2:5—8, Deus então o elevou às maiores alturas e lhe concedeu um nome — JESUS — um nome humano, mas que reapresenta a Soberania de Jesus sobre todo o Universo.   

E. Além disso, Jesus e chamado de Senhor, indicando que ele resgatou de volta toda a glória que sempre lhe pertenceu por direito.

F. Diante de todas essas verdades, que tenhamos uma postura de recato e reverência tanto na humilhação representada pelo dia do natal, quanto pela atual exaltação de Jesus, que é: SENHOR E DEUS BENDITO SOBRE TUDO E TODOS!

Que Deus abençoe a todos e nos dê a humildade que precisamos para entender essas realidades que estão muito além da nossa capacidade normal. 

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.