quinta-feira, 24 de abril de 2014

BISPO DA RENASCER CHAMA PASTOR DE: “AQUELE PRETO”



Bispo da Renascer em Cristo Leandro Miglioli

Ficamos muito surpresos e chocados com as palavras de um indivíduo que atende pelo nome de Leandro Miglioli Hernandes — não relacionado à família Hernandes — Bispo de Igreja Apostólica Renascer em Cristo, que em uma reunião gravada em áudio, chama um pastor baiano — pastor Gilberto Santos — de “preto”, além de “nojento” e de XXXXXXX — nos recusamos a publicar por escrito o que o tal bispo disse. Ele também afirma ter nojo dos pastores da denominação na Bahia.

É meus amigos, quando o dinheiro aperta, os verdadeiros endemoninhados aparecem. Nesse caso não são os pastores da Igreja Renascer na Bahia e sim esse Bispo que fala em nome da Igreja.

O áudio ainda está disponível por meio desse link aqui:


Mas não sabemos quanto tempo o mesmo vai continuar no ar. Já foi retirado do Youtube. Porque? O que esse pessoal quer esconder. Será que é aquilo que nós já sabemos, mas que infelizmente a vasta maioria dos chamados evangélicos insiste em ignorar.

Caso o áudio seja retirado do ar, cópias do mesmo poderão ser supridas via e-mail. Basta solicitar.

ARTIGOS ACERCA DE ESTEVAM HERNANDES E IGREJA APOSTÓLICA RENASCER









Que Deus abençoe a todos e que todos possam ver a FARSA que tudo isso representa.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos. 

ATOS 1:6—8 — A NOVA DIREÇÃO EXPLICADA — SERMÃO 004





Esse material é parte de uma série de mensagens pregadas no Livro dos Atos dos Apóstolos. As mensagens cobrem todos os 28 capítulos do Livro de Atos e no final de cada mensagem, você poderá encontrar links para outras mensagens.


ATOS DOS APÓSTOLOS
SERMÃO 004– A NOVA DIREÇÃO EXPLICADA
Texto: Atos 1:6—8
Introdução.

A. No sermão anterior falamos de como o ministério dos apóstolos de Jesus era fundacional pelos seguintes fatores:

1. Os Apóstolos foram escolhidos pelo próprio Senhor Jesus — ver Atos 1:2.

2. Jesus se mostrou aos Apóstolos ressuscitado, por um longo período, com provas incontestáveis — ver Atos 1:1.

3. Jesus deu ordens específicas aos apóstolos — ver Atos 1:4:

a. Que não se ausentassem de Jerusalém.

b. Que esperassem a promessa do Pai.

4. A promessa do Pai que tinha a ver com o variado ministério do Espírito Santo, estava centrada no Batismo com o Espírito Santo — ver Atos 1.5.

B. Esses fatores possuem as seguintes implicações:  

1. O ministério desenvolvido pelos apóstolos é único e nessa mesma capacidade não existem e nunca existiram outros depois deles. Não existe sucessão apostólica.

2. O ministério dos apóstolos em Atos tinha o propósito de dar continuidade ao ministério do próprio Senhor Jesus — ver Atos 1.3

C. Por todos esses motivos era necessário que Jesus, antes de subir para o céu, deixasse

INSTRUÇÕES CLARAS ACERCA DA NOVA DIREÇÃO A SEGUIR

I. Um Reino Esperado.

A. Nos dias do Antigo Testamento, Deus estabeleceu uma aliança com o povo de Israel. Essa aliança estava baseada em duas prerrogativas básicas:

1. Deus seria o Deus deles.

2. Eles seriam o povo de Deus.

B. Essa aliança era regulada por uma complexa lei que incluía aspectos envolvendo o todo da vida, incluindo as práticas religiosas do povo de Israel.

C. O povo de Israel transgrediu repetidas vezes a aliança feita com Deus, até que o Senhor executou os termos estabelecidos na mesma, removendo-os da sua presença —

2 Reis 17:7—23

7 Tal sucedeu porque os filhos de Israel pecaram contra o SENHOR, seu Deus, que os fizera subir da terra do Egito, de debaixo da mão de Faraó, rei do Egito; e temeram a outros deuses.

8 Andaram nos estatutos das nações que o SENHOR lançara de diante dos filhos de Israel e nos costumes estabelecidos pelos reis de Israel.

9 Os filhos de Israel fizeram contra o SENHOR, seu Deus, o que não era reto; edificaram para si altos em todas as suas cidades, desde as atalaias dos vigias até à cidade fortificada.

10 Levantaram para si colunas e postes-ídolos, em todos os altos outeiros e debaixo de todas as árvores frondosas.

11 Queimaram ali incenso em todos os altos, como as nações que o SENHOR expulsara de diante deles; cometeram ações perversas para provocarem o SENHOR à ira

12 e serviram os ídolos, dos quais o SENHOR lhes tinha dito: Não fareis estas coisas.

13 O SENHOR advertiu a Israel e a Judá por intermédio de todos os profetas e de todos os videntes, dizendo: Voltai-vos dos vossos maus caminhos e guardai os meus mandamentos e os meus estatutos, segundo toda a Lei que prescrevi a vossos pais e que vos enviei por intermédio dos meus servos, os profetas.

14 Porém não deram ouvidos; antes, se tornaram obstinados, de dura cerviz como seus pais, que não creram no SENHOR, seu Deus.

15 Rejeitaram os estatutos e a aliança que fizera com seus pais, como também as suas advertências com que protestara contra eles; seguiram os ídolos, e se tornaram vãos, e seguiram as nações que estavam em derredor deles, das quais o SENHOR lhes havia ordenado que não as imitassem.

16 Desprezaram todos os mandamentos do SENHOR, seu Deus, e fizeram para si imagens de fundição, dois bezerros; fizeram um poste-ídolo, e adoraram todo o exército do céu, e serviram a Baal.

17 Também queimaram a seus filhos e a suas filhas como sacrifício, deram-se à prática de adivinhações e criam em agouros; e venderam-se para fazer o que era mau perante o SENHOR, para o provocarem à ira.

18 Pelo que o SENHOR muito se indignou contra Israel e o afastou da sua presença; e nada mais ficou, senão a tribo de Judá.

19 Também Judá não guardou os mandamentos do SENHOR, seu Deus; antes, andaram nos costumes que Israel introduziu.

20 Pelo que o SENHOR rejeitou a toda a descendência de Israel, e os afligiu, e os entregou nas mãos dos despojadores, até que os expulsou da sua presença.

21 Pois, quando ele rasgou a Israel da casa de Davi, e eles fizeram rei a Jeroboão, filho de Nebate, Jeroboão apartou a Israel de seguir o SENHOR e o fez cometer grande pecado.

22 Assim, andaram os filhos de Israel em todos os pecados que Jeroboão tinha cometido; nunca se apartaram deles,

23 até que o SENHOR afastou a Israel da sua presença, como falara pelo ministério de todos os seus servos, os profetas; assim, foi Israel transportado da sua terra para a Assíria, onde permanece até ao dia de hoje.

2 Reis 25:8—21

8 No sétimo dia do quinto mês, do ano décimo nono de Nabucodonosor, rei da Babilônia, Nebuzaradã, chefe da guarda e servidor do rei da Babilônia, veio a Jerusalém.

9 E queimou a Casa do SENHOR e a casa do rei, como também todas as casas de Jerusalém; também entregou às chamas todos os edifícios importantes.

10 Todo o exército dos caldeus que estava com o chefe da guarda derribou os muros em redor de Jerusalém.

11   mais do povo que havia ficado na cidade, e os desertores que se entregaram ao rei da Babilônia, e o mais da multidão, Nebuzaradã, o chefe da guarda, levou cativos.

12 Porém dos mais pobres da terra deixou o chefe da guarda ficar alguns para vinheiros e para lavradores.

13 Cortaram em pedaços os caldeus as colunas de bronze que estavam na Casa do SENHOR, como também os suportes e o mar de bronze que estavam na Casa do SENHOR; e levaram o bronze para a Babilônia.

14 Levaram também as panelas, as pás, as espevitadeiras, os recipientes de incenso e todos os utensílios de bronze, com que se ministrava.

15 Tomou também o chefe da guarda os braseiros, as bacias e tudo quanto fosse de ouro ou de prata.

16 Quanto às duas colunas, ao mar e aos suportes que Salomão fizera para a Casa do SENHOR, o peso do bronze de todos estes utensílios era incalculável.

17 A altura de uma coluna era de dezoito côvados, e sobre ela havia um capitel de bronze de três côvados de altura; a obra de rede e as romãs sobre o capitel ao redor, tudo era de bronze; semelhante a esta era a outra coluna com a rede.

18 Levou também o chefe da guarda a Seraías, sumo sacerdote, e a Sofonias, segundo sacerdote, e os três guardas da porta.

19 Da cidade tomou a um oficial, que era comandante das tropas de guerra, e cinco homens dos que eram conselheiros do rei e se achavam na cidade, como também ao escrivão-mor do exército, que alistava o povo da terra, e sessenta homens do povo do lugar, que se achavam na cidade.

20 Tomando-os, Nebuzaradã, o chefe da guarda, levou-os ao rei da Babilônia, a Ribla.

21 O rei da Babilônia os feriu e os matou em Ribla, na terra de Hamate. Assim, Judá foi levado cativo para fora da sua terra.

D. Mas, ainda assim, Deus prometeu, repetidas vezes, restaurar os reinos de Israel e Judá no futuro sob uma nova aliança —

Jeremias 31:31—33

31 Eis aí vêm dias, diz o SENHOR, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá.

32 Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; porquanto eles anularam a minha aliança, não obstante eu os haver desposado, diz o SENHOR.

33 Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois
daqueles dias, diz o SENHOR: Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.

E. Essa promessa de restauração estava associada com outra acerca da vinda do Messias, filho de Davi — ver, especialmente, o Salmo 89, que foi de onde Jesus “pescou” as palavras mais importantes — edificarei, Igreja, portas, inferno, prevalecer — para fazer sua afirmação a Pedro contida em

Mateus 16:18

Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

F. Isaías, Jeremias, Ezequiel, Daniel, Oséias, Joel, Amós, Obadias, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias profetizaram acerca das glórias futuras do reino do Messias.

G. Malaquias, o último dos profetas do Antigo Testamento, se referiu à vinda do Messias com as seguintes palavras:

Malaquias 4:2

Mas para vós outros que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, trazendo salvação nas suas asas; saireis e saltareis como bezerros soltos da estrebaria.

II. O Reino dos Céus ou Reino de Deus É Chegado

A. Em cumprimento a todas aquelas promessas contidas nos profetas, João Batista veio anunciando o Reino dos Céus ou o Reino de Deus —

Mateus 3:2

Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.

B. Jesus também veio anunciando o Reino dos Céus ou Reino de Deus —

Mateus 4:17

Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.

C. Mas Jesus deixou claro que o reino esperado não vinha com aparência visível —

Lucas 17:20—21

20 Interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, Jesus lhes respondeu: Não vem o reino de Deus com visível aparência.

21 Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de Deus está dentro de vós.

D. Na noite em que Jesus foi traído, ele disse o seguinte a seus discípulos: Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora — João 16:12.

E. Atos 1:3 nos diz que Jesus apareceu e falou com seus apóstolos durante 40 dias acerca das coisas “concernentes ao reino de Deus”.

F. Agora, os discípulos querem saber, se chegou a hora de restaurar o reino, conforme as antigas promessas — ver Atos 1:6.

G. Esses discípulos ainda estavam pensando em termos políticos e territoriais. Em termos de restauração da monarquia sob a liderança do Messias, o filho de Davi. Em termos da liberação do jugo romano.

III. Entendendo as Verdadeiras Características do Reino de Deus

A. O Reino de Deus é Espiritual em Seu Caráter

1. O poder do reino de Deus é diferente do poder político das nações.

2. Já no Antigo Testamento o profeta havia anunciado o seguinte: Prosseguiu ele e me disse: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel: Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos - Zacarias 4:6.

C. O poder do Reino de Deus é caracterizado pela soberania do Senhor nas vidas de seu povo através da presença poderosa e santificadora do Espírito Santo. Não foi isso que ele prometeu através do profeta Jeremias? “Na mente, lhe imprimirei... no coração lhes inscreverei”.

D. O reino de Deus se expande através do testemunho daqueles que foram alcançados e transformados pelo mesmo e não pela força das armas e exércitos — cruzadas antigas ou modernas não têm lugar na expansão do Reino de Deus. Revoluções também não têm lugar aqui.

E. O Evangelho ou Boas Novas que anunciamos são de paz! —

Efésios 6:15

Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz.

e comparar com

Isaías 52:7

Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina!


B. O Reino de Deus é Internacional em Sua Composição

A. É claro que os discípulos ainda alimentavam aspirações nacionalistas estreitas.

B. Jesus aponta para o fato de que o testemunho deles seria dirigido para todo o mundo e para todas as nações —

Mateus 28:19

Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo

Isso já havia sido predito pelo profeta Isaías: Sim, diz ele: Pouco é o seres meu servo, para restaurares as tribos de Jacó e tornares a trazer os remanescentes de Israel; também te dei como luz para os gentios, para seres a minha salvação até à extremidade da terra – Isaías 49:6.

C. No Reino de Deus, uma comunidade internacional, sem distinção de raça, país, posição social, posição cultural e sexo encontra-se unida sem nenhum tipo de barreira que possa impedir a comunhão entre seus membros. Jesus derrubou todas as paredes —

Efésios 2:14—16

14 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade,

15 aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz,

16 e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade.

C. O Reino de Deus se Expande de Forma Gradual

A. Os discípulos queriam saber dos “tempos e épocas” – ver Atos 1:7. Jesus enfatiza a necessidade do testemunho.

B. Esse testemunho iria se iniciar em Jerusalém e...

1. Se estender, primeiro pela Judéia, que era a região circunvizinha à cidade de Jerusalém.

2. Depois, devia alcançar a região apóstata de Samaria – ver João 4:19—26 para entender o contexto.

3. Por fim, eles deveriam testemunhar a todos os pagãos, até aos confins da Terra – ver Atos 1:8.  

C. Eles tinham que se concentrar em testemunhar e não em especular acerca do futuro.

D. Jesus mesmo havia admitido que ele, em sua humanidade, não sabia quando seria o fim do mundo —

Marcos 13:32

Mas a respeito daquele dia ou da hora ninguém sabe; nem os anjos no céu, nem o Filho, senão o Pai.

E. Entre a vinda prometida do Espírito Santo e a Segunda Vinda de Jesus, a ocupação principal dos discípulos deveria ser dar testemunho acerca de Jesus.
Conclusão:

1. No diálogo registrado em Atos 1:6—8, a ênfase ou importância não está nos “tempos ou época” e sim no “poder” para testemunhar.

2. Quando falamos do Reino de Deus dentro de nós, como um reino não político, não deste mundo, temos que tomar cuidado para não “espiritualizar” o mesmo como se fosse algo que só irá se concretizar depois da nossa morte.

3. Os valores do Reino de Deus estão em choque com os valores desse mundo e temos que saber dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus —

Marcos 12:15—17

15 Mas Jesus, percebendo-lhes a hipocrisia, respondeu: Por que me experimentais? Trazei-me um denário para que eu o veja.

16 E eles lho trouxeram. Perguntou-lhes: De quem é esta efígie e inscrição? Responderam: De César.

17 Disse-lhes, então, Jesus: Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. E muito se admiraram dele.

4. Somos chamados a testemunhar acerca de Jesus, mas a grande maioria de nós está mais preocupada em:

a. Frequentar academias.

b. Frequentar shoppings.

c. Acompanhar séries e novelas sem fim na televisão.

d. Jogar infindáveis partidas de vídeo-games e jogos via computador.

e. Gastar tempo e dinheiro em “luxos” inúteis, enquanto as pessoas passam para a eternidade sem um testemunho apropriado acerca de Jesus.

5. Jesus nos chama hoje, para nos conceder o poder do seu Espírito Santo para sermos suas testemunhas.

6. A pergunta feita pelo SENHOR, pelo Deus ETERNO, nos dias de Isaías e que diz: A quem enviarei e quem há de ir por nós? — encontrou resposta no próprio profetaver Isaías 6:8.  

7. Essa mesma pergunta está sendo feita para cada um aqui hoje. Como é que você irá responder? Não quero saber de nada? Bem, talvez outro dia? Ou: Eis-me aqui, envia-me a mim!
Que Deus abençoe o Seu povo com um coração disposto a obedecer Seu chamado.

OUTRAS MENSAGENS DO LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS

SERMÃO 001 — INTRODUÇÃO AO LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS — Lucas 1:1—4 e Atos 1:1—2

SERMÃO 002 — INTRODUÇÃO AO LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS — PARTE 2 — Lucas 1:1—4 e Atos 1:1—2

SERMÃO 003 — A TRANSIÇÃO DO VOLUME ANTERIOR — Atos 1:1—5

SERMÃO 004 — A NOVA DIREÇÃO EXPLICADA — Atos 1:6—8
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/04/atos-168-nova-direcao-explicada-sermao.html

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.