quinta-feira, 27 de novembro de 2014

ESTUDO DA VIDA DE JESUS – PARTE 2 – ESTUDO 033A — A DIVINDADE DE JESUS E A IGREJA DE JESUS CRISTO DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS OU IGREJA DOS MÓRMONS


A liderança da Igreja Mórmon composta de 15 líderes igual aos 12 apóstolos Jesus Cristo

Essa é uma série cujo propósito é estudar, com profundidade, a vida do Senhor Jesus como apresentada nos quatro Evangelhos. No final de cada estudo você irá encontrar links para outros estudos. A Série tem o título Geral de: Jesus Confronta a Religião, a Sociedade e a Cultura.

Jesus Confronta a Religião, a Sociedade e a Cultura.

Lição 033A – OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 007A.

II. O Prólogo do Evangelho de João – João 1:1—18 - Continuação

C. Exposição de João 1:1—18 — Continuação.

1. João 1:1- No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus - Continuação.

Da perspectiva bíblica e teológica nós podemos dizer que João escolheu a expressão λόγος lógos, visando enfatizar as seguintes idéias:

A. Jesus é a personificação da Palavra de Deus. Ele é a Palavra viva de Deus. Quando falamos — usando palavras — nós estamos comunicando nossas idéias e vontade às outras pessoas.

B. Dessa mesma maneira o Filho de Deus é chamado de λόγος lógos, porque é por intermédio dele que Deus tem nos falado nestes últimos dias — ver

Hebreus 1:1—3

1 Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas,

2 nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo.

3 Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas, 

É essa manifestação que torna as pessoas indesculpáveis —

João 15:22

Se eu não viera, nem lhes houvera falado, pecado não teriam; mas, agora, não têm desculpa do seu pecado.

C. Ao dirigir João para que ele usasse essa palavra λόγος lógos, o Espírito Santo tinha a intenção de dar a essa expressão um significado definitivo que pudesse servir para todos os cristãos de todas as eras. Nos dias do próprio apóstolo João já existia uma seita que começava a defender a idéia de que o Logos era na realidade o primeiro Aeon — era ou vida. Ele seria aquele que havia emanado diretamente de Deus e como tal era algo criado. Ainda segundo esta seita foi este Aeon que se uniu ao corpo do homem que chamamos Jesus. Foi para impedir que doutrinas como estas triunfassem naqueles dias que o Espírito Santo levou o apóstolo João a estabelecer a posição do Logos como sendo exatamente a mesma do próprio Deus. Hoje em dia nós precisamos nos apegar com firmeza à Palavra de Deus para enfrentarmos as muitas tentativas — inclusive de grupos que se intitulam cristãos — de reduzirem o Senhor Jesus, o qual é Deus —

Romanos 9:5 —

Deles são os patriarcas, e também deles descende o Cristo, segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre. Amém!

a um mero ser criado ou a um deus de segunda categoria.

Entre os grupos, pretensamente cristãos, que negam a divindade de Jesus, nós podemos citar os seguintes:

Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias ou Mórmons

Ensino Errado # 1

Jesus é o “Jeová” do Antigo Testamento ao passo que Deus Pai é Elohim.

Fonte

“Jesus é Johovah; eles são uma e a mesma pessoa – “Mormon Doctrine, 1977 ed. p. 392”.

Nossa Resposta

Não existe a menor possibilidade de sustentar essa hipótese. No Antigo Testamento nós temos dúzias de passagens que se referem ao tetragrama — YHWH — geralmente traduzido como senhor. e Elohim, normalmente traduzido como Deus,  como sendo a mesma pessoa —

Êxodo 3:15

Disse Deus ainda mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vós outros; este é o meu nome eternamente, e assim serei lembrado de geração em geração.

Deuteronômio 6:4

Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR.

Salmos 95:3—7

3 Porque o SENHOR é o Deus supremo e o grande Rei acima de todos os deuses.

4 Nas suas mãos estão as profundezas da terra, e as alturas dos montes lhe pertencem.

5 Dele é o mar, pois ele o fez; obra de suas mãos, os continentes.

6 Vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do SENHOR, que nos criou.

7 Ele é o nosso Deus, e nós, povo do seu pasto e ovelhas de sua mão. Hoje, se ouvirdes a sua voz.

Salmos 99:5

Exaltai ao SENHOR, nosso Deus, e prostrai-vos ante o escabelo de seus pés, porque ele é santo.

Jeremias 7:28

Dir-lhes-ás: Esta é a nação que não atende à voz do SENHOR, seu Deus, e não aceita a disciplina; já pereceu, a verdade foi eliminada da sua boca.

Jeremias 10:10

Mas o SENHOR é verdadeiramente Deus; ele é o Deus vivo e o Rei eterno; do seu furor treme a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação.

Note de forma especial: Salmos 83:18.[1]
E reconhecerão que só tu, cujo nome é SENHOR, és o Altíssimo sobre toda a terra.

Ensino Errado # 2

Antes de se tornar em um ser humano, Jesus já existia no mundo espiritual como o mais velho de todos os filhos espirituais nascidos da parte de Deus Pai.

Fonte

Jesus era o mais inteligente, o mais fiel e o mais parecido com Deus dentre todos os filhos e filhas de Deus, nosso Pai no mundo espiritual – “The Gospel Through the Ages, p. 21”.

Nossa Resposta

O ser humano Jesus gerado pelo poder do Espírito Santo no ventre de Maria é o Filho Unigênito de Deus, o qual não possui outros filhos nesta mesma categoria —

João 3:16

Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

Mas esse ser já existia, junto com o Pai e o Espírito Santo na Eternidade antes da criação —

Colossenses 1:17

Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste.

Ensino Errado # 3

Jesus foi apontado para ser o salvador da humanidade na eternidade porque se mostrou superior a seu irmão Lúcifer, o qual se tornou, então, em seu arqui-inimigo.

Fonte

As santas Escrituras nos falam de um grande concílio no mundo espiritual que teria ocorrido antes que os seres humanos fossem colocados na terra. Este concílio foi presidido pelo próprio Deus, que é nosso eterno Pai, na presença de todos os seus filhos e filhas. Nesta reunião o Pai celestial explicou aos seus filhos o “Grande Plano da Salvação do Evangelho”. A indicação de Jesus como o Salvador foi contestada por outro dos Filhos de Deus. Este outro era chamado de Lúcifer. Este espírito irmão de Jesus tentou de todas as formas ser indicado para ser o Salvador, mas não conseguiu o que desejava — “The Gospel Through the Ages, p. 12—15”.

Nossa Resposta

Como “filho de Deus”, Jesus ocupa um lugar singular: Ele é mencionado como sendo μονογενῆ monogenê — que quer dizer: único do seu tipo, exclusivo. Portanto ele nunca teve um “irmão” que lhe fosse compatível ou do mesmo tipo.

Essa história contada pelos mórmons é apenas parte das muitas invencionices deles e que incluem:

a. Que Deus não passa de um homem exaltado.

b. Que Deus tem uma esposa que é a mãe de todos.

c. Que junto com sua esposa Deus procriou bilhões de filhos espirituais, inclusive
Jesus, Lúcifer, eu e você, caro leitor.

Ensino Errado # 4

Jesus não foi gerado pelo poder do Espírito Santo e de forma miraculosa e nem foi nascido de uma virgem. Ele foi gerado através da relação sexual entre Maria e Deus Pai.

Fonte

“Cristo foi gerado por um Pai imortal da mesma maneira que os homens mortais são gerados por pais mortais” – “Mormon Doctrine, p. 547”.

Nossa Resposta

Jesus foi miraculosamente gerado pelo Espírito Santo no ventre de uma virgem, Maria. Ela permaneceu virgem até o nascimento de seu filho primogênito —

Mateus 1:18—25

18 Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: estando Maria, sua mãe, desposada com José, sem que tivessem antes coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo.

19 Mas José, seu esposo, sendo justo e não a querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente.


20 Enquanto ponderava nestas coisas, eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo.

21 Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles.

22 Ora, tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor por intermédio do profeta:

23 Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco).

24 Despertado José do sono, fez como lhe ordenara o anjo do Senhor e recebeu sua mulher.

25 Contudo, não a conheceu, enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus.

Lucas 1:26—38

26 No sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado, da parte de Deus, para uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré,

27 a uma virgem desposada com certo homem da casa de Davi, cujo nome era José; a virgem chamava-se Maria.

28 E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Alegra-te, muito favorecida! O Senhor é contigo.

29 Ela, porém, ao ouvir esta palavra, perturbou-se muito e pôs-se a pensar no que significaria esta saudação.

30 Mas o anjo lhe disse: Maria, não temas; porque achaste graça diante de Deus.

31 Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem chamarás pelo nome de Jesus.

32 Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; Deus, o Senhor, lhe dará o trono de Davi, seu pai;

33 ele reinará para sempre sobre a casa de Jacó, e o seu reinado não terá fim.

34 Então, disse Maria ao anjo: Como será isto, pois não tenho relação com homem algum?

35 Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso, também o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus.

36 E Isabel, tua parenta, igualmente concebeu um filho na sua velhice, sendo este já o sexto mês para aquela que diziam ser estéril.

37 Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas.

38 Então, disse Maria: Aqui está a serva do Senhor; que se cumpra em mim conforme a tua palavra. E o anjo se ausentou dela.

Ensino Errado # 5

Jesus era polígamo e entre suas esposas nós podemos encontrar Maria Madalena e as irmãs de Lázaro, Marta e Maria. Ele teve muitos filhos através desses casamentos. Essa doutrina foi ensinada pelos líderes no início do movimento mórmon e hoje, apesar de não ser negada está relegada a um segundo plano.

Fonte

“... houve um casamento em Caná da Galiléia; e uma leitura cuidadosa daquele texto — João 2:1—12 – irá nos mostrar que aquele casamento era do próprio Senhor Jesus... Vocês não devem levantar objeções, portanto, acerca de Jesus ter sido casado. 

Nossa Resposta.

Jesus nunca foi casado e muito menos era polígamo. Não existe a menor evidência na Bíblia de que Jesus tivesse sido casado. João 2:2 nos diz que ele foi convidado para aquele casamento. Muitas doutrinas mórmons foram inventadas por homens de mentes obscurecidas.

Ensino Errado # 6

Jesus não é Deus, o Filho, a segunda pessoa da Trindade. Ele não é igual ao Pai como Deus.

Fonte.

“Jesus é maior que o Espírito Santo, o qual lhe está em plena submissão, mas seu Pai é maior do que Ele” – Joseph Fielding Smith em “Doctrines of Salvation, 1:18”.

Nossa Resposta

Jesus é Deus, o Filho, a segunda pessoa da Trindade. Ele é igual ao Pai e ao Espírito Santo. Cada pessoa da Trindade possui funções diferentes, mas compartilham da mesma natureza —

João 8:58

Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade eu vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU.

Tito 2:13

Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus,

2 Pedro 1:1.

Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco obtiveram fé igualmente preciosa na justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo.

Outros estudos acerca da vida de Jesus — PARTE 2 podem ser encontrados nos links abaixo:

001 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 001 — A PLENITUDE DO TEMPO

002 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 002 — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE LUCAS — LUCAS 1:1—4

003 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 003 — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE JOÃO — JOÃO 1:1—18.

004 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 004 — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE JOÃO — JOÃO 1:1—18 — PARTE 002

005 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 005 — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE JOÃO — JOÃO 1:1—18 — PARTE 003

006 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 006 — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE JOÃO — JOÃO 1:1—18 — PARTE 004
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/10/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html

007A — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 007A — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE JOÃO — JOÃO 1:1—18 — PARTE 005A

Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.


[1] As informações a seguir dizem respeito e são consistentes com o que é apresentado na Bíblia Sagrada na versão de Almeida Revista e Atualizada — ARA — publicada pela Sociedade Bíblica do Brasil. Deus é chamado por diversos nomes no Antigo Testamento no original hebraico. Visando ajudar os leitores da língua portuguesa, os tradutores da ARA resolveram estabelecer uma norma, que utilizaram de forma consistente por todas as páginas do Antigo Testamento. Esta norma tem a ver com o estabelecimento de um paradigma visando traduzir os nomes de Deus do original hebraico para o português, de forma sempre consistente e sem variação para evitar confusões. Ficou então estabelecido o seguinte paradigma para todas as ocorrências das palavras hebraicas que são utilizadas para se referir a Deus:

1. אֱלֹהִים - Elohim – é traduzido de forma consistente pela expressão “Deus” — ver Gênesis 1:1.

2. יהוה  — Tetragrama — que representa o nome inefável — que não pode ser pronunciado — de Deus e cujo significado é “Eterno” — é traduzido de forma consistente pela expressão “SENHOR” – ver Êxodo 3:15. O mesmo é verdadeiro para todos os nomes compostos pelo tetragrama + outra qualidade — ver יְהוָה יִרְאֶה Tetragrama + yirehSENHOR Proverá — Gênesis 22:14.

3. אֵל El — Expressão genérica que pode se referir tanto ao Deus verdadeiro quanto a falsos deuses. Essa expressão é traduzida de forma consistente como “Deus” quando se refere ao Deus verdadeiro e como “deus” quando se refere a algum falso deus. Existem vários nomes compostos de Deus no Antigo Testamento que são uma combinação de אֵל El + outra qualidade. Exemplos de nomes compostos desta natureza podem ser vistos em Salmos 136:26 onde Deus é chamado אֵל הַשָּׁמָיִם El Hashshamayim — Deus dos Céus; ver também Daniel 11:36 onde Deus é chamado  אֵל אֵלִים El Elim — o Deus dos deuses; Isaías 10:21 onde Deus é chamado de אֵל גִּבּוֹר El Guibor — Deus Forte e Números 16:22 onde Deus é chamado de “Deus, Autor e Conservador de toda a vida” — אֵל אֱלֹהֵי הָרוּחֹת לְכָל־בָּשָׂר El Elohei haruhot lekal basar.

4. אֵל שַׁדַּי El Shadday — é traduzido de forma consistente pela expressão “Deus Todo-Poderoso” – ver Gênesis 17:1.

5. אֲדֹנָי  — Adonai — é traduzido de forma consistente pela expressão “Senhor” quando se refere ao Deus verdadeiro — ver Êxodo 4:10. Pode também fazer referência a um patrão ou soberano humano e, neste caso é traduzido por “senhor” – ver Gênesis 47:18 . A combinação das vogais deste nome com as consoantes do tetragrama é a responsável pela invenção do curioso nome “Jeová” e todos os seus similares – Javé, Jeová, Jehová, Jehovah, Iehová, Iahweh etc. Tal nome não existe é fruto da ignorância das pessoas.

6 שֵׁמ Shem — é traduzido de forma consistente pela expressão “nome” – ver Salmos 8:1 e comparar com Salmos 138:2. Esta é a expressão favorita entre os judeus para se referir a Deus nos dias de hoje, especialmente em cultos públicos: שֵׁמ הַ ha Shem — “o nome”.

7. קָדוֹשׁ Kadosh — é traduzido de forma consistente pela expressão “Santo” – ver Isaías 40:25.

8. צּוּר Tzur é traduzido de forma consistente pela expressão “Rocha” — ver Deuteronômio 32:4. 

JOHN SMID QUE ALEGAVA CURAR GAYS, CASA-SE COM SEU COMPANHEIRO

JOHN SMID ENQUANTO ERA DIRETOR-EXECUTIVO DA "LOVE IN ACTION" (Foto: Reprodução MSNBC)
JOHN SMID ENQUANTO ERA DIRETOR-EXECUTIVO DA "LOVE IN ACTION" (FOTO: REPRODUÇÃO MSNBC)

O artigo abaixo foi publicado pelo site da revista Marie Claire

Ex-líder de grupo que defende a “cura gay” se casa com um homem
O americano John Smid, que liderou durante 18 anos o grupo que se dizia capaz de impedir a atração de pessoas do mesmo sexo, acaba de oficializar a união com seu parceiro Larry McQueen


Durante 1990 e 2008, o americano Jonh Smid ocupava o cargo de diretor-executivo do grupo “Love in Action” e considerava a homossexualidade “um pecado”, chegou até a incentivar as pessoas a rezarem para que os gays se distanciassem. Mas eis que, recentemente, o seu discurso caiu por terra. John acaba de oficializar a união com seu parceiro Larry McQueen, informou a agência de notícias The Lone Star Q.

“Eu tinha fé de que algo iria acontecer, mas isso nunca aconteceu. Agora, na minha idade, já não tenho muitos anos restantes, não posso viver mais assim pelo resto da minha vida. Então, eu pensei que não, eu não estou disposto a continuar empurrando algo que não vai ocorrer”, contou.

Por isso, anunciou em sua conta de Facebook: “Conheci McQueen gradualmente, até que chegou um momento em que descobrimos que queríamos conhecer melhor um ao outro por meio de uma relação amorosa. Conforme saiamos, compartilhávamos as mesmas expectativas de vida, filosofias pessoais e nossos valores de fé. Encontramos uma compatibilidade que era confortável e emocionante.” Agora, estão oficialmente juntos.
A proposta mais controversa lançada por ele quando ainda representava a empresa foi divulgada em 2005. Na época, John prometeu criar um programa que poderia mudar a opção sexual de uma criança.

JOHN SMID E LARRY MACQUEEN, SEU COMPANHEIRO (Foto: Reprodução Facebook)
JOHN SMID E LARRY MACQUEEN, SEU COMPANHEIRO (FOTO: REPRODUÇÃO FACEBOOK)

A reportagem original do site da Marie Claire poderá ser vista por meio desse link aqui:


OUTROS ARTIGOS ACERCA DE PRÁTICAS DE IMORALIDADES SEXUAIS































Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

GÁLATAS 6:2 — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS – Parte 23 — LEVAI AS CARGAS UNS DOS OUTROS — SERMÃO 031


Esse artigo é parte da série "Amai-vos Uns aos Outros" e é muito recomendável que o leitor procure conhecer todos os aspectos dos mandamentos nos quais o Senhor nos ordena demonstrarmos amor uns pelos outros. No final do artigo você encontrará links para outros estudos dessa série.

VIVENDO A VIDA COMUM DOS SANTOS DE DEUS

Introdução.

A. Pessoas em todos os lugares têm problemas e necessitam de cuidados de algum tipo. E os cristãos, não são exceção. Entre estes problemas nós vamos encontrar: 
1. Solidão e depressão. 
2. Ansiedade quanto ao futuro ou preocupações e cuidados com alguém próximo. 
3. Necessidades materiais e até mesmo pobreza. 
4. Enfermidades crônicas, algumas terminais e sequelas de acidentes. 
5. Escravidão a algum hábito ruim — como a mentira — ou a algum vício.  
B. Diante deste quadro nós temos que reafirmar duas verdades fundamentais: 
1. A fé em Jesus Cristo não isenta a ninguém dos cuidados desta vida. 
2. A fé em Jesus Cristo nos capacita a suportar as dificuldades, por que a Palavra de Deus nos diz: 
Romanos 8:28 
Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. 
C. Além disso, nós ainda temos um enorme privilégio que é o seguinte: nossa fé em Cristo nos coloca na companhia de pessoas que, por causa do amor que têm por Jesus Cristo, estão verdadeiramente interessadas em ajudar umas às outras a suportar as dificuldades. 
D. Na mensagem anterior nós falamos acerca da necessidade que temos, como cristão, de nos colocar à serviço uns dos outros. A partir de hoje e, até o final desta série, nós queremos falar de formas práticas em que podemos servir uns aos outros. 
E. Uma das melhores maneiras de servir uns aos outros, sabendo que todos nós enfrentamos dificuldades nessa vida, é obedecendo ao mandamento de reciprocidade que diz...  
Levai as Cargas uns dos Outros 
Introdução 
A. Quando pensamos na nossa responsabilidade de ajudar a levar as cargas uns dos outros, temos que começar, antes de qualquer outra coisa, aprender a olhar para o Senhor Jesus que, como não poderia deixar de ser, estabelece o exemplo que devemos seguir. Note as seguintes passagens: 
Isaías 53:4—5 
Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. 
2 Coríntios 8:9 
Pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos. 
1 Pedro 2:24 
Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados. 
I. O Mandamento. 
Gálatas 6:2 
Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo. 
II. Definição dos Termos: 
βαστάζετε  bastázete — 1. Pegar com as mãos; 2. Pegar a fim de carregar ou levar, colocar algo sobre si mesmo para ser carregado; 3. Levar o que é duro de suportar. 
Levar as cargas uns dos outros, é o ato de tomar, sobre nós mesmos, a dificuldade, problema ou a circunstância opressiva que aflige outro cristão, como se fossem nossas mesmas, e fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para aliviar as mesmas. 
II. Exemplos Bíblicos 
Atos 11:27—30 
Naqueles dias, desceram alguns profetas de Jerusalém para Antioquia, e, apresentando-se um deles, chamado Ágabo, dava a entender, pelo Espírito, que estava para vir grande fome por todo o mundo, a qual sobreveio nos dias de Cláudio — Tiberius Claudius Caesar Augustus Germanicus imperador romano de 41—54 a.D. Os discípulos, cada um conforme as suas posses, resolveram enviar socorro aos irmãos que moravam na Judéia; o que eles, com efeito, fizeram, enviando-o aos presbíteros por intermédio de Barnabé e de Saulo. 
Filemon: 10, 17—19 
Solicito-te em favor de meu filho Onésimo, que gerei entre algemas... Se, portanto, me consideras companheiro, recebe-o, como se fosse a mim mesmo. E, se algum dano te fez ou se te deve alguma coisa, lança tudo em minha conta.   Eu, Paulo, de próprio punho, o escrevo: Eu pagarei — para não te alegar que também tu me deves até a ti mesmo. 
III. De Que Maneira Podemos Levar as Cargas Uns dos Outros? 
Dificuldades, cuidados e problemas são sempre situacionais. Devemos nos empenhar para satisfazer a necessidade diante de nós, levando em conta os aspectos particulares de cada situação. Mas, Independente da situação, aqui estão algumas coisas que podemos sempre fazer: 
A. Diga para a pessoa que você está preocupado e disposto a ajudar. Procure demonstrar simpatia e interesse genuínos. 
B. Ore com a pessoa. Ore também por ela e deixe-a saber que você está orando. 
C. Gaste tempo com a pessoa quando ela precisar de conforto ou de amizade. 
D. Procure suprir necessidades financeiras, se as mesmas existirem. Necessidades financeiras podem se manifestar de formas variadas: roupas, alimentos, medicamentos, moradia e, até mesmo dinheiro. 
E. Encoraje a pessoas a abandonar o pecado ou um mau hábito. 
F. Compartilhe a palavra de Deus e procure aplicar a mesma à situação enfrentada pela pessoa. 
IV. Implicações Contidas Neste Mandamento 
Este mandamento, que nos diz que devemos levar as cargas uns do outros, possui as seguintes implicações: 
A. Como cristão nós enfrentamos todos os tipos de problemas e dificuldades. Lembre-se que seu problema não é algo único e não deve ser, em nenhuma hipótese, motivo de vergonha. 
B. Crentes devem falar uns com outros, todas as vezes que estiverem enfrentando problemas. Não é intenção nem o desejo de Deus, que o cristão carregue suas cargas sozinho. Foi por este motivo que ele nos colocou juntos, aqui: para que ajudemos a levar as cargas uns dos outros. 
C. Assim que um cristão toma conhecimento que um irmão ou irmã está carregando algum fardo, é sua obrigação tomar sobre si aquele fardo. Se não agir assim está desconsiderando e desobedecendo a Lei de Cristo e terá que responder por isso diante do Senhor.   
D. Levar as cargas é situacional e específico. Nossa ajuda deve estar voltada para satisfazer necessidades específicas, em situações bem definidas. 
E. Quando tomamos sobre nós as cargas uns dos outros, nós demonstramos que estamos andando de acordo com o Espírito Santo de Deus. Quando nos recusamos, demonstramos que estamos em pecado.
Conclusão:
A. É óbvio que só podemos levar as cargas uns dos outros se estivermos juntos. Cada um na sua casa ou encontros casuais, não nos permitem cumprir este mandamento. Não é possível conhecer as necessidades uns dos outros agindo desta maneira.

B. Quando falamos de cargas, estamos nos referindo ao seguinte. A lista a seguir é não exaustiva:

1. Fraqueza referente à personalidade, hábitos ou fé.

2. Aflições físicas tais como: enfermidades, fome, maus tratos e prisão.

3. Necessidades financeiras ou de abrigo.

4. Aflições espirituais e mentais, tais como:

a. Pecados

Gálatas 6:1

Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado.

b. Medo e dúvidas

2 Coríntios 7:5—6

5  Porque, chegando nós à Macedônia, nenhum alívio tivemos; pelo contrário, em tudo fomos atribulados: lutas por fora, temores por dentro.

6  Porém Deus, que conforta os abatidos, nos consolou com a chegada de Tito;

c. Perplexidade

2 Coríntios 4:18

Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.

d. Ansiedade quanto ao próprio futuro ou de outros

Filipenses 4:6

Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.

e. Solidão

Filipenses 2:26

Visto que ele tinha saudade de todos vós e estava angustiado porque ouvistes que adoeceu.

C. Quando cristãos levam as cargas uns dos outros, eles promovem o bem estar, não apenas do necessitado, mas de todo o corpo de Cristo.

D. Quando um membro sofre, todos sofrem junto. Da mesma maneira, quando um membro é ajudado, a Igreja, como um todo, é ajudada.

E. Além disso, levar as cargas uns dos outros, é uma excelente maneira de mostrar ao mundo que nós levamos nosso compromisso com Deus à sério.

F. Quando o mundo consegue enxergar que os cristãos amam uns aos outros, a ponto de levar as cargas uns dos outros, eles se sentirão mais interessados em se aproximar do Senhor Jesus pelos motivos certos — amor, misericórdia, compaixão e graça.

G. Que o Senhor Jesus, que carregou sobre si mesmo os nossos pecados, nos ajude a enxergar o privilégio que temos, em poder levar as cargas uns dos outros.

Amém.

Outros Estudos Acerca da Vida Comum dos Santos de Deus.

001 — O Custo do Discipulado =

002 — Uma Proposta de Vida =

003 e 004 — Comunhão e Interdependência =

005 — Os Dons espirituais e a Vida Comum =

006 — Discipulado =

007 — O Amor ao Próximo =

008 — Amai-vos uns aos outros — Parte 1 — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS

009 — Amai-vos uns aos outros — Parte 2 — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS

010 — Romanos 15:1—7 — Acolhei-vos Uns aos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 3

011 — Romanos 16:16 — Saudai-vos Uns Aos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 04

012 — 1 Coríntios 12:24—25 — Tande o Mesmo Cuidado Uns Para Com os Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 05

013 — Efésios 5:18-21 — Sujeitai-vos ou Submetei-vos Uns Aos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 06

014 — Efésios 4:1—3 — Suportai-vos Uns Aos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 07

015 — Tiago 5:16 — Confessai Vossos Pecados uns Aos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 08

016 — Colossenses 3:12—13 — Perdoai uns Aos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 09

017 — Romanos 14:13 — Não Julgueis Uns Aos Outros — Parte A — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 10A

018 — Romanos 14:13 — Não Julgueis Uns Aos Outros — Parte B — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 10B

019 — Tiago 4:11 — Não faleis Mal uns dos Outros — AMAI-VOS UNS AOS AOUTROS — Parte 11

020 — Tiago 5:9 — Não Vos Queixeis uns dos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 12

021 — Gálatas 5:14—15 — Não Vos Mordais nem Devoreis uns Aos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 13

022 — Gálatas 5:25—26 — Não Provoqueis Uns aos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 14

023 — Gálatas 5:25—26 — Não Invejeis Uns aos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 15

024 — Colossenses 3:9—10 — Não Mintais uns aos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS — Parte 16

025 — Romanos 14:29 e 1 Tessalonicenses 5:11  — Edificar uns aos outros — AMAIVOS UNS AOS OUTROS — PARTE 17

026 — Colossenses 3:16  — Instruí-vos Mutuamente — AMAIVOS UNS AOS OUTROS — PARTE 18

027 — 1 Tessalonicense 5:1 e Hebreus 3:12—13  — Consolai-vos e Exortai-vos Uns aos Outros — AMAIVOS UNS AOS OUTROS — PARTE 19

028 — Romanos 15:14 e Colossenses 3:16 — Admoestai-vos ou Aconselhai-vos uns aos outros —  AMAI-VOS UNS AOS OUTROS – Parte 20 — SERMÃO 028

029 — Efésios 5:18—20 e Colossenses 3:16 — Falando entre vós com... — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS – Parte 21 — SERMÃO 029

030 — Gálatas 5:13—14 — Sede Servos Uns dos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS – Parte 22 — SERMÃO 030

031 — Gálatas 6:2 — Levai as Cargas Uns dos Outros — AMAI-VOS UNS AOS OUTROS – Parte 23 — SERMÃO 031

Grande Abraço e que Deus possa abençoar a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.