sexta-feira, 30 de setembro de 2016

ANDREW MURRAY - ESTUDO 016 - ORE PARA SER CHEIO COM O CONHECIMENTO DA VONTADE DE DEUS


Resultado de imagem para conhecendo e fazendo a vontade de deus

ESSA SÉRIE DE ARTIGOS ESTÁ BASEADA EM UM LIVRO ESCRITO POR ANDREW MURRAY CUJO TÍTULO ORIGINAL É: NOT MY WILL OU NÃO A MINHA VONTADE. ESPERAMOS E ORAMOS QUE TODOS POSSAM SER RICAMENTE ABENÇOADOS POR MEIO DESSAS MEDITAÇÕES

Colossenses 1:9

Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual.

Os colossenses eram cristãos novos recém saídos das trevas do paganismo para a luz representada pelo Senhor Jesus. Eles precisavam de muitas coisas. Dentre essas coisas, uma pela qual Paulo orava de forma mais intensa, era para que eles fossem cheios com o conhecimento da vontade de Deus. E isso, em toda a sabedoria e entendimento espirituais.

Para se apropriar da importância dessa oração e entender que conhecer a vontade de Deus está na raiz duma vida cristã verdadeiramente forte, note o que Paulo diz acerca do resultado da resposta de tal oração: trata-se da bênção que chega ao coração que se encontra cheio com a vontade de Deus. Paulo diz:

Colossenses 1:9—10

9 Não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual;

10 a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado, frutificando em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus.

Todo aquele que estiver cheio com o conhecimento da vontade de Deus em toda a sabedoria e entendimento, andará de modo digno agradando o Senhor em todas as coisas. Ele também um crente frutífero em toda boa obra. E ainda mais —

Colossenses 1:11—12

11 Sendo fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua glória, em toda a perseverança e longanimidade; com alegria,

12 dando graças ao Pai, que vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz.

Nos versos acima — Colossenses 1:9—12 —, note os seguintes termos: pleno (2x), toda/o (4x) e inteiro agrado. O que eles nos ensinam? Eles no dizem que, na vida cristã, não deve existir nada que seja mesquinho ou insignificante. A caminha do cristão deve agradar o Senhor em todas as coisas por meio de boas obras e fortalecida com todo o poder do Senhor. Também deve ser uma vida cheia de perseverança, longanimidade e alegria. Mas nada disso pode acontecer, a menos que, antes de tudo, nossa vida esteja cheia com o conhecimento da vontade de Deus em toda a sabedoria e entendimento espirituais.

Pegue sua Bíblia e leia mais uma vez essa grande oração do apóstolo Paulo feita a favor dos colossenses. Eu tenho certeza que se você fizer isso, você terá plena convicção que estar com o conhecimento da vontade de Deus em toda a sabedoria e entendimento espirituais, é algo da maior importância para todo crente verdadeiro. Nenhum crente pode estar satisfeito apenas com o pouco que conhece acerca da vontade de Deus. Nunca devemos pensar que já sabemos o bastante acerca disso, a vontade de Deus, para conduzir nossas vidas. Ou temos a plenitude ou então não temos nada, realmente. Quando mais conhecermos a vontade de Deus e desejarmos ser cheios com a plenitude da mesma em toda a sabedoria e entendimento espirituais, então poderemos experimentar, com uma intensidade maior ainda, o poder de Deus em nossas vidas.
Mas, de que maneira pode alguém ser cheio com a o conhecimento da vontade de Deus com descrita, várias vezes, acima? A resposta é bem simples. Paulo ora para que isso aconteça. Ele diz: não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual. Você precisa transforma tal anseio em tua própria vontade. Lembre-se: é impossível conhecer a Deus, ou amá-lO, ou agradá-lO e até mesmo desfrutar da comunhão com Ele, separado de conhecer e fazer a vontade do Senhor. Lembre-se que somos salvos, exatamente, por esse motivo: conhecer e fazer a vontade de Deus. Fazer a vontade de Deus é a glória do céu e a bênção sobre nossas vidas na terra. Somos chamados para sermos transformados, dia a dia, em pessoas que se parecem cada vez mais com o próprio Senhor Jesus. E o que foi que Jesus disse a respeito de fazer a vontade de Deus? Veja

João 4:32, 34

32 Mas ele lhes disse: Uma comida tenho para comer, que vós não conheceis.

34 Disse-lhes Jesus: A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra.

Estar cheio com o conhecimento da vontade de Deus deve ser algo mais importante para nós, do que o próprio alimento! Ore nesse sentido, de modo persistente, sem cessar. Tenha certeza que sua oração será respondida.

E não se esqueça dessas palavras: em toda a sabedoria e entendimento espiritual. A sabedoria e o conhecimento espiritual são coisas que alcançamos apenas por meio da direção que o Espírito Santo nos oferece. E esse direcionamento do Espírito Santo não é tanto uma questão de cabeça e sim do coração. Deus enviou o Espírito do Seu Filho para habitar em nossos corações. Reconheça Sua presença; procura honrá-lO em todas as coisas; tema fazer qualquer coisa que possa entristecê-lO. Entregue-se por completo à direção que o Espírito Santo tem para te dar. Permita que tua vontade esteja completamente sujeita à vontade de Deus. Tome a decisão de não para de orar até estar cheio com o conhecimento da vontade de Deus. Certamente o Espírito Santo ira satisfazer o coração faminto, e conceder toda sabedoria e entendimento espiritual necessário.
Crente, nossa maior necessidade é conhecer e fazer a vontade de Deus, o nosso Pai. Ore com fervor para que teu coração possa ser cheio com o conhecimento da vontade de Deus. Quando isso acontecer em teu coração, também será evidente em tua vida.

OUTROS ESTUDOS DA SÉRIE “NOT MY WILL” — NÃO A MINHA VONTADE

Estudo 001 – A VONTADE DE DEUS — A GLÓRIA DO CÉU

Estudo 002 – FAZENDO A VONTADE DE DEUS — O CAMINHO PARA CÉU

Estudo 003 – FAZENDO A VONTADE DE DEUS — NOSSA UNIDADE COM O SENHOR JESUS

Estudo 004 – FAZENDO A VONTADE DE DEUS — QUE OS PERDIDOS SEJAM SALVOS

Estudo 005 – FAZENDO A VONTADE DE DEUS — O ALIMENTO CELESTIAL

Estudo 006 – FAZENDO A VONTADE DE DEUS — SACRIFICANDO MINHA PRÓPRIA VONTADE

Estudo 007 – FAZENDO A VONTADE DE DEUS — O CAMINHO PARA ILUMINAÇÃO ESPIRITUAL

Estudo 008 — A VONTADE DE DEUS — SEJA FEITA A TUA VONTADE

Estudo 009 — A VONTADE DE DEUS — SENHOR QUE QUERES QUE EU FAÇA?

Estudo 010 — A VONTADE DE DEUS — CONHECENDO E FAZENDO A VONTADE DE DEUS

Estudo 011 — A VONTADE DE DEUS — SENDO UMA PESSOA DE ACORDO COM O CORAÇÃO DE DEUS

Estudo 012 — A VONTADE DE DEUS — SEJA FEITA A VONTADE DE DEUS

Estudo 013 — A VONTADE DE DEUS — PRATICANDO A VONTADE DE DEUS

Estudo 014 — A VONTADE DE DEUS — A RENOVAÇÃO DA MENTE E A VONTADE DE DEUS

Estudo 015 — A VONTADE DE DEUS — É A VONTADE DE DEUS QUE CRISTO NOS LEVE PARA FORA DESSE MUNDO

Estudo 016 — A VONTADE DE DEUS — ORE PARA SER CHEIO COM O CONHECIMENTO DA VONTADE DE DEUS


Que Deus abençoe a todos

Alexandros Meimaridis.

Traduzido do original e adaptado por Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.  

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus – ESTUDO 018 — A ESCOLHA OU ELEIÇÃO DIVINA — EFÉSIO 1:4 — PARTE 008


Resultado de imagem para no mundo mas não do mundo

NESSA SÉRIE NÓS ESTAMOS TRATANDO DE DOIS ASPECTOS IMPORTANTES ACERCA DA VERDADEIRA IGREJA: 1) A IGREJA COMO CORPO DE CRISTO; E 2) A IGREJA NO PLANO ETERNO DE DEUS. CONVIDAMOS TODOS OS NOSSOS LEITORES A ACOMPANHAREM ESSA SÉRIE E COMPARTILHAREM A MESMA COM TODOS OS SEUS CONHECIDOS, AMIGOS E IRMÃOS. OUTROS ESTUDOS DESSA SÉRIE PODERÃO SER ENCONTRADOS POR MEIO DE LINKS NO FIM DE CADA ESTUDO.


CONTINUAÇÃO...

10. João 15:19  Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; como, todavia, não sois do mundo, pelo contrário, dele vos escolhi, por isso, o mundo vos odeia.

Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu — Conforme vimos antes nós podemos centrar a descrição do significado da palavra grega κόσμος  kósmos — mundo como usada por João em seu evangelho e epístolas, como a humanidade alienada da vida de Deus, pecaminosa, sob o severo juízo de Deus e precisando de salvação — ver João 3:19! Os crentes não estão mais sob essa condição. Não pertencemos mais ao κόσμος  kósmos — mundo. Isto quer dizer que não mais compartilharmos do seu espírito —

Efésios 2:1—3

1 Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,

2 nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;

3 entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais.

Também quer dizer que não compartilharmos mais nem dos seus princípios e nem das suas práticas —

Efésios 5:3—13

3 Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos;

4 nem conversação torpe, nem palavras vãs ou chocarrices, coisas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças.

5 Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus.

6 Ninguém vos engane com palavras vãs; porque, por essas coisas, vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.

7 Portanto, não sejais participantes com eles.

8 Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz

9 (porque o fruto da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade),

10 provando sempre o que é agradável ao Senhor.

11 E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as.

12 Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha.

13 Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é luz.


Colossenses 3:5—11.


5 Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria;

6 por estas coisas é que vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.
7 Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas.

8 Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar.

9 Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos

10 e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou;

11 no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos.


Se ainda pertencêssemos ao mundo e fôssemos do mesmo tipo de pessoas que pertencem ao mundo, o mundo continuaria nos amando, pois é apenas humano gostarmos daqueles que são do mesmo tipo que a gente. As pessoas no mundo gostam umas das outras, gostam da companhia mútua e das conversações. Mas quando pensamos no que o mundo faz, isto é, naquilo que conversam e na maneira inconveniente como se comportam quando comparado com as séries de versículos mencionados acima, fica bem evidente que o mundo não pode nos amar.

Como, todavia, não sois do mundo — Uma vez nós pertencemos ao κόσμος  kósmos — mundo, como a humanidade alienada da vida de Deus, pecaminosa, sob o severo juízo de Deus e precisando de salvação. Nascemos nesse mundo, nele crescemos e nos tornamos, como todos os outros, “filhos da ira”. Seguíamos o “curso deste mundo” com seus princípios e práticas detestáveis. Mas um dia, nós fomos alcançados pela graça de Deus em Cristo e nós tornamos Seus discípulos. Com isso, os vínculos com o  κόσμος  kósmos — mundo foram definitivamente rompidos — ver Efésios 2:1—3 acima.

Como diz o apóstolo Paulo:

Colossenses 1:13

Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor.

A palavra grega μετέστησεν — metéstesen — transportou, quer dizer: transpor, transferir, remover de um lugar para outro,  indicando uma mudança de situação ou lugar. A raiz da palavra indica ainda:

1. Causar ou fazer ficar de pé, colocar, pôr, estabelecer.

2. Tornar firme, fixar, estabelecer; fazer uma pessoa ou algo manter o seu lugar.

3. Permanecer, ser mantido íntegro — de uma família ou um reino — escapar em segurança; estabelecer algo, fazê-lo permanecer; segurar ou sustentar a autoridade ou a força de algo.

4. Permanecer; ficar de pé ou próximo; parar, permanecer tranquilo, permanecer imóvel, permanecer firme; continuar seguro e são, permanecer ileso, permanecer pronto ou preparado; ser de uma mente firme; de qualidade, alguém que não hesita, que não desiste[1].

É devido a esse fato, o de termos sido transportados, que nós não pertencemos mais ao mundo da mesma maneira que o Senhor Jesus não pertence a este mundo!

Pelo contrário, dele vos escolhi — Essa frase indica muito mais o fato de os discípulos terem sido separados do restante do mundo, do que da eleição eterna dos mesmos. Jesus está se referindo ao chamado efetivo — que se manifesta por um efeito real; positivo — e eficiente — que produz o efeito desejado; que dá bom resultado — que os discípulos receberam para realizar a obra do Mestre. Mas temos que destacar que o chamado efetivo é uma das partes integrantes da doutrina da eleição eterna, pois a eleição só se concretiza com o chamado efetivo do pecador ao arrependimento. E porque somos chamados de forma efetiva por Deus, então...

Por isso, o mundo vos odeia — O ódio é a característica mais marcante do reino das trevas e do Diabo, da mesma maneira que o amor é a característica mais marcante do reino de Deus. Neste contexto temos que notar as seguintes verdades:

1. Quem são aqueles em quem encontramos esse ódio? Como já falamos, a expressão “mundo” descreve a humanidade alienada da vida de Deus, pecaminosa, sob o severo juízo de Deus e precisando de salvação — ver João 3:19! É esta humanidade pecadora e alienada de Deus que nos odeia. São os filhos deste mundo que se opõem aos filhos de Deus. São aqueles que estão a serviço do deus deste século —

2 Coríntios 4:4

Nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.

Do príncipe da potestade do ar que odeiam aqueles que estão a serviço do Salvador — Efésios 2:2.

São todos aqueles que têm por pai ao diabo de quem levam a imagem e querem, de todas as maneiras, satisfazer-lhe os desejos assassinos —

João 8:44

Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.


Note que não são poucos os que se encontram nesta categoria. Nós temos a tendência de pensarmos que são poucos os que realmente são “filhos do diabo”, mas a verdade ensinada na Bíblia é que esstes constituem um verdadeiro “mundo de gente”. O autor cristão Mathhew Henry[2] que viveu entre 1662—1714 dizia que se fosse feita uma eleição no mundo para se escolher entre o diabo e Jesus, o diabo venceria a votação, e isso, de maneira folgada. O salmista diz que são esses os que “tramam concordemente e firmam alianças contra Deus” —

Salmos 83:2—3

2 Os teus inimigos se alvoroçam, e os que te odeiam levantam a cabeça.

3 Tramam astutamente contra o teu povo e conspiram contra os teus protegidos.

 No Salmo 2 nós temos uma descrição da atitude destes inimigos e de como Deus os trata no presente e como irá tratá-los no futuro –

Salmo 2:1—5

1 Por que se enfurecem os gentios e os povos imaginam coisas vãs?

2 Os reis da terra se levantam, e os príncipes conspiram contra o SENHOR e contra o seu Ungido, dizendo:

3 Rompamos os seus laços e sacudamos de nós as suas algemas.

4 Ri-se aquele que habita nos céus; o Senhor zomba deles.
5 Na sua ira, a seu tempo, lhes há de falar e no seu furor os confundirá.


São pessoas mundanas cujas únicas considerações estão neste mundo. Não fazem nenhum tipo de consideração acerca da vida futura. Nós, todavia, como filhos de Deus somos exortados a retribuir o ódio que eles têm por nós com amor —

Mateus 5:44

Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem;

Lucas 6:28

Bendizei aos que vos maldizem, orai pelos que vos caluniam.

 Podemos odiar o pecado, mas precisamos amar sempre os pecadores imitando nosso Pai celestial:

João 3:17

Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.

2. Contra quem este ódio é dirigido? É dirigido contra os discípulos de Cristo, contra o próprio Senhor Jesus e contra o Pai.

a. O mundo odeia os discípulos —

João 15:18—19

18 Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim.

19 Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; como, todavia, não sois do mundo, pelo contrário, dele vos escolhi, por isso, o mundo vos odeia.


Somos exortados a não nos surpreender com o ódio que o mundo nutre por nós —

1 João 3:13

Irmãos, não vos maravilheis se o mundo vos odeia.

 Jesus havia expressado um grande amor pelos discípulos chamando-os de amigos —

João 15:13—15

13 Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos.

14 Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando.

15 Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer.

Mas da mesma maneira que Paulo recebeu “um espinho na carne” para que não viesse a se orgulhar por causa das revelações de Deus, Jesus advertiu aos discípulos e, por extensão a todos nós, de que o fato de sermos considerados Seus amigos significava que seríamos odiados pelas pessoas do mundo.

Jesus havia apontado Seus discípulos para fazerem Sua obra, mas os adverte das dificuldades que deveriam enfrentar. Dessa maneira eles deveriam estar prontos para encarar as dificuldades e não se surpreenderem com as mesmas. Jesus ordenou que eles se amassem uns aos outros e eles tinham a imperiosa necessidade de fazer isto mesmo, pois o mundo iria odiá-los – ver João 13:34 e 15:12—17. Deviam também tratar carinhosamente uns aos outros, pois do mundo iriam receber somente desamor e falta de consideração. Nesta questão de amar uns aos outros estão incluídos os seguintes fatos:

1. A inimizade do mundo contra os seguidores de Jesus se manifesta no fato de que o “mundo vos odeia” conforme vimos em 1 João 3:13. Aqueles que são benditos pelo Senhor são malditos pelo mundo. Aqueles que são os favoritos do céu não são os favoritos deste mundo —

Tiago 4:4

Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.

Esta história é muito antiga. Os filhos do mundo odeiam os filhos de Deus desde o início. A partir do momento em que a descendência da serpente no Éden foi colocada contra o descendente da mulher e todos aqueles que se identificam com esse descendente, o que temos visto é uma repetição desta história, mudando-se apenas os personagens — ver Gênesis 3:14—15; 4:3—8; e comparar com 1 João 3:12 e João 3:19. E assim a história segue: Esaú odiava Jacó por causa da bênção que ele – Esaú — mesmo havia recusado e que havia sido dada a seu irmão. Os irmãos de José o odiavam porque Jacó expressava maior amor por ele do que por eles. Chegaram a vendê-lo como escravo para o Egito, mas Deus tornou o mal em bênção. Saul odiava a Davi porque percebia que Deus o havia abandonado a favor de Davi. Se analisarmos friamente esses motivos, nós veremos que eles não são motivos realmente justificáveis para nutrir ódio! Jesus resumiu bem este sentimento de ódio não justificável por parte do mundo ao dizer:

João 15:25

Odiaram-me sem motivo.

2. Em segundo lugar a inimizade do mundo contra nós está implícita no fato de que as pessoas do mundo irão rejeitar nossa doutrina. Jesus disse:

João 15:20

Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós outros; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa.

Temos que estar preparados para sofrer as mesmas injúrias que foram feitas a nosso Senhor. Quando as pessoas do mundo desprezam nossa mensagem estão cometendo a maior ofensa que podem nos fazer. O profeta Jeremias experimentou na pele este desprezo —

Jeremias 18:18

Então, disseram: Vinde, e forjemos projetos contra Jeremias; porquanto não há de faltar a lei ao sacerdote, nem o conselho ao sábio, nem a palavra ao profeta; vinde, firamo-lo com a língua e não atendamos a nenhuma das suas palavras.

b. Outro motivo porque o mundo odeia os seguidores de Jesus é porque pertencemos ao Senhor – ver João 15:21a.

Estamos no mundo como representantes do Senhor. Quando comunicamos a mensagem da salvação estamos agindo como embaixadores — categoria mais alta de um representante — de Deus e do Senhor Jesus —

2 Coríntios 5:18—20

18 Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação,
19 a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação.

20 De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus.

O mundo odeia os representantes de Cristo porque odiou o próprio Senhor primeiro. Mas nosso Senhor nos exortou dizendo:

João 16:33.

No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo

 E o apóstolo Pedro nos ensina que é mesmo um privilégio sofrermos porque estamos identificados com Jesus —

1 Pedro 4:14

Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus.

Esta foi a experiência dos apóstolos —

 Atos 5:41.

E eles se retiraram do Sinédrio regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome.

 c. Todo este ódio é fruto da ignorância, pois Jesus disse: “não conhecem aquele que me enviou – ver João 15:21b”.

A situação do mundo como definimos anteriormente é realmente patética. O Deus da glória, o Deus Eterno, o único Deus Vivo e Verdadeiro escolheu se revelar de maneira direta aos seres humanos ao tomar a forma do homem Jesus. Mas em vez de o reconhecerem como tal, Ele foi desprezado e ignorado – ver Isaías 53:3. Como se estas atitudes não fossem suficientes ainda se levantaram contra Ele para o matarem! Começando como os próprios judeus — ver João 1:11 e Atos 3:13—14; e passando pelos gentios — ver Atos 4:26—27, todos tiveram sua parcela de culpa no que diz respeito a terem odiado o Senhor. Se o tivessem conhecido certamente não teriam feito o que fizeram —

1 Coríntios 2:8

Sabedoria essa que nenhum dos poderosos deste século conheceu; porque, se a tivessem conhecido, jamais teriam crucificado o Senhor da glória;

 Por este motivo Paulo diz que quando pregamos a mensagem acerca de Jesus a mesma soa como escândalo para os judeus e como loucura para os gentios – ver 1 Coríntios 1:22—23, como consequência somos odiados como odiaram nosso Senhor.

Para alguns, talvez, esse ódio pode parecer estranho e surpreendente. Mas conforme as palavras do Senhor o mesmo deve ser esperado. O apóstolo Pedro nos exorta dizendo:

1 Pedro 4:12—13.

Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo; pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois co-participantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando.

Se o Senhor que era puro e que andou por toda a parte fazendo somente o bem – ver Atos 10:38 — foi chamado de Belzebu — o maioral dos demônios —, então não podemos realmente nos surpreender de sermos chamados de nomes ofensivos – ver Mateus 10:25. Jesus é nosso exemplo em como devemos reagir ao ódio que o mundo nutre por nós. Este é um diferencial da nossa fé, quando comparada com outras, pois nosso Deus é nosso exemplo —

Hebreus 12:1—4

1 Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta,

2 olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.

3 Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos fatigueis, desmaiando em vossa alma.

4 Ora, na vossa luta contra o pecado, ainda não tendes resistido até ao sangue

A situação das pessoas que ignoram — que é o mesmo que odiar — ao Senhor é extremamente precária, pois ignoram o Deus verdadeiro. Quando se recusam a ouvir — atender e obedecer — as palavras do Senhor essas pessoas se tornam indesculpáveis —

João 15:22

Se eu não viera, nem lhes houvera falado, pecado não teriam; mas, agora, não têm desculpa do seu pecado.

 Não existe nenhum tipo de desculpa que possa ser utilizada nesse caso, pois o Senhor veio pessoalmente nos falar e continua a nos falar através da Sua palavra e através dos seus servos. A autoridade do Senhor Jesus bem como Sua profunda afeição por nós não pode ser questionada. Suas palavras estão carregadas de autoridade pela coerência da Sua vida. Quando recusam ouvir o Senhor não estão tomando uma decisão razoável, mas estão realmente desprezando o próprio Deus —

João 15:23

Quem me odeia odeia também a meu Pai.

Tais pessoas, são, por este motivo, indesculpáveis. Desprezar a mensagem do evangelho faz com que se tornem culpados de todas as graves consequências de tal ato —

João 3:36

Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.


Por outro lado aqueles que ouvem a mensagem do evangelho possuem privilégios especiais: Nessa mensagem o próprio Cristo vem e lhes fala. Primeiro Jesus veio e falou pessoalmente aos homens da Sua geração. E Jesus continua falando através da Sua palavra, a Bíblia, bem como através dos Seus servos, que de forma fiel anunciam Seu evangelho. Quando ouvimos as palavras do evangelho entendemos Sua inquestionável autoridade e o amor com que Deus nos tem amado. Cada palavra do evangelho está revestida tanto da majestade quanto do cuidado Divino.

OUTROS ESTUDOS ACERCA DA IGREJA COMO CORPO DE CRISTO E NO PLANO ETERNO DE DEUS

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 001 — A Igreja

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 002 — A Unidade de Igreja

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 003 — Como a Unidade Funciona na Prática

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 004 — Como o Amor Funciona na Prática

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 005 — Unidade em Meio à Diversidade

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 006 — Unidade Com Variedade Mas com Harmonia

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 007 — A Igreja Como o “Mistério” de Deus e Uma Introdução a Efésios 1:3—14

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 008 — Uma Introdução a Efésios 1:3—14

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 009 — A Bênção Espiritual — Efésios 1:3

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 010 — As Regiões Celestiais — Efésios 1:3

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 011 — Nossa Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — Parte 001

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 012  A —Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 002

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 013 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 003

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 014 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 004

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 015 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 005

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 016 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 006

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 017 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 007 — O Mundo Nos Odeia

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 018 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 008 — Por que O Mundo Nos Odeia
Que Deus abençoe a todos.


Alexandros Meimaridis


PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:

http://www.facebook.com/pages/O-Grande-Diálogo/193483684110775

Desde já agradecemos a todos. 




[1] Strong, James. Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. Sociedade Bíblica do Brasil, Barueri, 2002.
[2] Matthew Henry escritor e comentarista bíblico viveu na Inglaterra onde nasceu em 1662 e faleceu em 1714. Iniciou a produção do primeiro comentário da Bíblia inteira. Já tinha comentado todo o Antigo Testamento e estava no livro de Romanos no Novo Testamento quando faleceu. Alguns dos seus associados completaram a obra.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

JOSÉ COMO TIPO DE CRISTO — ESTUDO 043 — JOSÉ COMO REVELADOR DE SEGREDOS


Resultado de imagem para o deus que se revela

Essa é uma série cujo propósito é estudar, com profundidade, a vida de José como um Tipo do Senhor Jesus Cristo. No final de cada estudo você irá encontrar links para outros estudos. A Série tem o título Geral de: José como Tipo de Cristo.

043. José É Visto Agora Como um Revelador de Segredos

Como haviam feito antes o padeiro e o copeiro do Faraó, agora é a vez do próprio soberano do Egito contar a José, o sonho que tanto lhe perturbara e lhe tinha feito perder o sono, e que os sábios do Egito não haviam sido capazes de decifrar. É algo mesmo muito bonito ver a humildade de José diante dessa situação toda:

Gênesis 41:16
Respondeu-lhe José: Não está isso em mim; mas Deus dará resposta favorável a Faraó.

De modo semelhante o Senhor Jesus fez diversas afirmações nesse tom, como podemos ver, por exemplo, em:

João 8:28
Disse-lhes, pois, Jesus: Quando levantardes o Filho do Homem, então, sabereis que EU SOU e que nada faço por mim mesmo; mas falo como o Pai me ensinou.

João 12:49—50
49 Porque eu não tenho falado por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, esse me tem prescrito o que dizer e o que anunciar.
50 E sei que o seu mandamento é a vida eterna. As coisas, pois, que eu falo, como o Pai mo tem dito, assim falo.

João 17:8
Porque eu lhes tenho transmitido as palavras que me deste, e eles as receberam, e verdadeiramente conheceram que saí de ti, e creram que tu me enviaste.

Depois de ouvir o sonho do Faraó, José falou, começando apenas com as seguintes palavras:

Gênesis 41:25
Então, lhe respondeu José: O sonho de Faraó é apenas um; Deus manifestou a Faraó o que há de fazer.

A seguir, José tornou conhecido ao Faraó o significado dos sonhos que tivera. A narrativa de José é muito próxima daquela que encontramos no início do livro do Apocalipse —

Apocalipse 1:1—2
1 Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer e que ele, enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João,
2 o qual atestou a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo, quanto a tudo o que viu.

Da mesma maneira que Deus deu a conhecer aos egípcios as coisas que Ele estava prestes a fazer, assim também Deus nos concedeu, por meio de Jesus Cristo, o conhecimento das coisas que, com certeza, devem acontecer em nosso meio, nesse mundo. Vejam como os paralelos são próximos:

Gênesis 41:28

Esta é a palavra, como acabo de dizer a Faraó, que Deus manifestou a Faraó que ele há de fazer.

Apocalipse 1:1
Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer.

Deus é o grande e último revelador, e Cristo é o agente por meio de quem tal revelação é transmitida aos crentes. No Evangelho de João existem várias afirmações desse tipo. Ver, por exemplo:

João 1:18
Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou.

João 14:10
Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, faz as suas obras.

João 15:15
Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer.

João 17:14
Eu lhes tenho dado a tua palavra, e o mundo os odiou, porque eles não são do mundo, como também eu não sou.

O papel do Filho como o instrumento do Pai também pode ser visto em —

Mateus 11:25—27
25 Por aquele tempo, exclamou Jesus: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos.
26 Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado.
27 Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.

Lucas 10:21—22
21 Naquela hora, exultou Jesus no Espírito Santo e exclamou: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado.
22 Tudo me foi entregue por meu Pai. Ninguém sabe quem é o Filho, senão o Pai; e também ninguém sabe quem é o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.

A afirmação “as coisas que em breve devem acontecer”, não tem tanto a ver com a velocidade dos eventos, mas com a certeza que os mesmo irão acontecer.      

OUTROS ESTUDOS ACERCA DE JOSÉ COMO TIPO DE CRISTO

Estudo 001 — José como Tipo De Cristo — Introdução

Estudo 002 — José como Tipo De Cristo — A Infância de José

Estudo 003 — José como Tipo De Cristo — Os Irmãos e Os Nomes de José

Estudo 004 — José como Tipo De Cristo — José Como Pastor dos Seus Irmãos

Estudo 005 — José com Tipo De Cristo — José Como o Filho Amado de Seu Pai

Estudo 006 — José com Tipo De Cristo — Jesus, o Filho e Deus Pai

Estudo 007 — José com Tipo De Cristo — José e a Túnica Talar de Distinção
Estudo 008 — José com Tipo De Cristo — O Ódio que os Irmãos de José Tinham Dele

Estudo 009 — José com Tipo De Cristo — José era Odiado por Causa de Suas Palavras

Estudo 010 — José com Tipo De Cristo — José Estava Destinado a Um Futuro Extraordinário

Estudo 011 — José com Tipo De Cristo — José Antecipa Sua Glória Futura

Estudos 012 e 013 — José como Tipo de Cristo — José Sofre nas Mãos de Seus Irmãos e Vai a Busca Deles a Pedido de Jacó

Estudos 014 e 015 — José como Tipo de Cristo — José Busca Fazer o Bem a Seus Irmãos, e É Enviado De Hebrom Para a Região de Siquém

Estudo 016 — José como Tipo de Cristo — José Vai Até a Região de Siquém

Estudos 017 e 018 — José como Tipo de Cristo — José se Torna um Viajante Errante Nos Campos e Campinas da Palestina

Estudos 019 — José como Tipo de Cristo — A Conspiração contra José

Estudos 020 — José como Tipo de Cristo — As palavras de José são Desacreditadas

Estudos 021 e 022 — José como Tipo de Cristo — José é Insultado e Humilhado e José é Lançado num Poço

Estudos 023 e 024 — José como Tipo de Cristo — José é Retirado Vivo do Poço e Os Irmãos de José Misturam Ódio com Hipocrisia

Estudos 025 e 026A — José como Tipo de Cristo — José é Vendido por Seus Irmãos e o Sangue de José é Derramado
Estudos 026B — José como Tipo de Cristo — O Futuro de Israel Profetizado em Gênesis 38

Estudos 027 e 028 — José se Torna um Servo — Jose se Torna Próspero

Estudos 029 — O Senhor de José Estava Muito Feliz com Ele

Estudos 030 — José Como Servo Foi Uma Bênção Para os Outros

Estudos 031 — José Era Uma  Pessoa Consagrada aos Outros

Estudos 032 — José Foi Duramente Tentado, Mas Resistiu à Tentação

Estudos 033 — José Foi Acusado Falsamente

Estudos 034 — José Não Tentou Se Defender das Falsas Acusações

Estudos 035 — José Sofreu nas Mãos dos Gentios

Estudo 036 e 37 — José Ganha o Reconhecimento do Carcereiro e José Foi Numerado com outros Transgressores.

Estudo 038 — José Como Instrumento de Bênção e de Condenação.

Estudo 039 — José Dá Evidências De Seu Conhecimento Quanto Ao Futuro.

Estudo 040 — As Predições de Jose se Tornam Realidades.

Estudo 041A — José Gostaria de Ser Lembrado

Estudo 041B — José Gostaria de Ser Lembrado

Estudo 042 — José Foi Libertado na Hora Certa

Estudo 043 — José Como Revelador dos Mistérios de Deus


Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.