terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Gênesis — Estudo 045 — A TÁBUA DAS NAÇÕES — PARTE 001 — OS FILHOS DE JAFÉ


Resultado de imagem para descendants of japheth
Mapa com a distribuição dos descendentes de Jafé em "vermelho"

Este estudo é parte de uma Análise do Livro do Gênesis. Nosso interesse é ajudar todos os leitores a apreciarem a rica herança que temos nas páginas da História Primeva da Humanidade. No final de cada estudo o leitor encontrará direções para outras partes desse estudo. 

O Livro do Gênesis

O Princípio de Todas as Coisas

בְּרֵאשִׁית בָּרָא אֱלֹהִים אֵת הַשָּׁמַיִם וְאֵת הָאָרֶץ        
              Eretz   ha  ve-et  Hashamaim   et      Elohim       Bará       Bereshit
               Terra  a      e        céus            os        Deus         criou      princípio No                              

  Gênesis 1:1

XI – Gênesis 10 e a Tábua das Nações

Ao iniciarmos o estudo do capítulo 10 do Livro do Gênesis nós nos deparamos, imediatamente, com uma mudança fundamental que tem a ver com o fato de que iremos abandonar a história de uma família para embarcar na história de 70 outras. O que está aqui registrado, bem como no próximo capítulo — Gênesis 11 — descreve o processo do desenvolvimento da raça humana que vai de Noé até Abrão.

De acordo com a Aliança feita com Noé e seus filhos — ver Gênesis 9:1 e 7 — a população da terra cresceu rapidamente. Noé teve 3 filhos — Sem, Cam e Jafé. Estes, por sua vez tiveram 16 filhos — média de 5,3 filhos sem contar as filhas. A Bíblia registra a existência de cerca de 10 gerações entre Sem e Abrão. Cálculos baseados na Tábua das Nações, partindo da premissa de que o ritmo de reprodução posterior se manteve constante, então a terra teria aproximadamente cerca de 15 milhões de habitantes quando Abrão estivesse com 35 anos. Se, todavia, estimarmos que a média de filhos homens fosse de 8 por família, então a população da terra estaria em algo próximo de 30 milhões quando Abraão estivesse com cerca de 100 anos. O Capítulo 10 de Gênesis não discute nenhum aspecto religioso dos seres humanos, apresenta apenas uma Tábua das Primeiras Nações das quais descenderam todas as outras. Vamos analisar esta Tábua das Nações.

A. Os Filhos de Jafé – Gênesis 10:1 - 5.  

A leitura de Gênesis 6:10 nos ensina que os três filhos de Noé eram Sem, Cam e Jafé.  Pelo relato de Gênesis 9:24 nós sabemos que Cam, apesar do fato de ser mencionado em segundo lugar em Gênesis 6:10 era, realmente o filho mais novo de Noé. E quem era o filho mais velho de Noé? A resposta definitiva nós encontramos em Gênesis 10:21. Mas se Sem era o filho mais velho, porque o autor do Livro do Gênesis inicia a listagem dos descendentes de Noé pelo seu filho do meio, Jafé?

A resposta talvez esteja relacionada ao fato de que Jafé teve mais descendentes diretos do que seus irmãos:


Gênesis 10:2

Jafé gerou: Gomer, Magogue, Madai, Javã, Tubal, Meseque e Tiras — 7 no total.

Gênesis 10:6

Cam gerou: Cuxe, Mizraim, Pute e Canaã — 4 no total.


Gênesis 10:22

Sem gerou: Elão, Assur, Arfaxade, Lude e Arã — 5 no total.

Outro motivo para Jafé ser mencionado primeiro também pode ter a ver com o fato de que seus descendentes se espalharam para mais longe do ponto de origem comum do que os descendentes de Cam e Sem. O território ocupado pelos descendentes de Jafé é descrito como sendo — אִיֵּי הַגּוֹיִם ‘iy ha goiYm — as ilhas das nações —

Gênesis 10:5

Estes — os filhos de Jafé — repartiram entre si as ilhas das nações nas suas terras, cada qual segundo a sua língua, segundo as suas famílias, em suas nações.


A expressão — אִיֵּי הַגּוֹיִם ‘iy ha goiYm — as ilhas das nações — descreve literalmente a região costeira ou litorânea bem como as ilhas. Como iremos ver mais adiante, as nações representadas pelos Jafetitas são países marítimos ou que podem ser alcançados mediante navegação. O conhecimento que temos hoje em dia indica que os descendentes de Jafé se fixaram nas margens norte do Mar Mediterrâneo e em outras regiões, conectadas via marítima, com este mesmo mar. Os Jafetitas foram os primeiros a desenvolver o conceito de “nação” já que, como mencionamos antes, eles eram mais propensos a especulações filosóficas do que os descendentes de Cam — voltados mais para as questões práticas — bem como os descendentes de Sem — voltados mais para as questões espirituais.

Apesar de não existir consenso acerca do que segue, o autor acredita que é do nome  יָפֶת Jafet — que os gregos desenvolveram o personagem mitológico chamado de ΙαπετὸςIapetòs — Japetus. Este tal de Japetus, de acordo com a mitologia grega, era filho legítimo de Uranus — o céu — e de Gaia — a terra. Japetus foi, por sua vez, o pai de Prometeus que se tornou o preservador da raça humana. Desta maneira, através de seu filho, Japetus está relacionado tanto com a origem quanto com a preservação da raça humana, que é, de acordo com o texto bíblico que temos diante de nós, prerrogativa de Jafé e seus irmãos. Vamos analisar a lista de descendentes de Jafé.

1.גֹּמֶר Gomer — Os registros mais antigos relacionam o nome de Gomer aos ΚιμμέριοιKimmérioi — Cimérios que habitaram, originalmente, o norte da península da Criméia, às margens do Mar Cáspio — Ucrânia moderna. Tendo sido desalojados pelos Citas, vieram a se estabelecer na Anatólia — Turquia moderna — onde ficaram conhecidos com Címbrios. Ramos destes mesmos povos — Cimérios e Címbrios — se espalharam pelo norte da Alemanha, França, Espanha, Portugal bem como pelas ilhas britânicas — ramo céltico. Acredita-se que este foi o primeiro grupo de pessoas a alcançar o que chamamos de Oceano Atlântico. De Portugal partiram para o oeste onde aportaram nas costas brasileiras. Assim, através dos portugueses, os brasileiros possuem uma quantidade considerável de sangue celta o que os faz descendentes de Gomer e de Jafé.

2. מָגוֹג Magog — Magogue. É geralmente aceito que o nome Magogue faz referência aos Citas ou Tártaros — povos túrcicos que habitaram principalmente a região da Tartária — Armênia e Capadócia — e que corresponde ao sul da Federação Russa moderna. Os mongóis que invadiram o leste europeu eram descendentes destes povos O nome de Magogue está em outras partes da Bíblia — ver Ezequiel 38:2; 39:6; Apocalipse 20:8 — atrelado ao nome de Gogue. Juntos estes povos são apresentados como extremamente beligerantes.

3. מָדַי Madai. Esse é o nome pelo qual os Medos são chamados nas páginas da Bíblia. Madai ocupou a área que fica entre o norte do Rio Tigre — a leste da Síria — e o sudoeste do Mar Cáspio – ver 2 Reis 17:6. A área ocupada por Madai corresponde aos países modernos do Iraque e do Irã. É bastante provável que os descendentes de Madai tenham também participado na formação dos povos que habitaram a região do Hindustão que constitui a Índia e o Paquistão modernos.

4. יָוָן Javan — Javã. Facilmente identificado com as tribos Helênicas conhecidas como Jônicas e que se estabeleceram nas costas do mar Egeu, na região do Peloponeso e na Ática — todas na região da Grécia moderna. A partir daí os descendentes de Javã se estabeleceram ao sul das margens do mar Negro e se estenderam para o leste até a região da Síria moderna. Para o oeste os descendentes de Javã chegaram a ocupar o sul da península Itálica na Itália moderna. Estes povos são mencionados inúmeras vezes na Bíblia e a citação de Isaías 66:19 é realmente impressionante diante dos desenvolvimentos históricos posteriores.

5. תֻבָל Tubal — Povo que, ao que parece, se estabeleceu no sudeste do Mar Negro. Daí se espalhou para o norte para a região da Rússia moderna. Existem especulações que tanto o Rio Tobal quanto a cidade de Tobolsk teriam herdado seus nomes deste patriarca descendente de Jafé. Outros acham que esses foram os habitantes originais da Península Ibérica, e não seria impossível que o mesmo fosse verdade tanto em relação ao sul da Rússia quanto à Espanha.

6.מֶשֶׁךְ Mesheq — Meseque. Os descendentes deste patriarca ocuparam, de modo preferencial, a região da Turquia Moderna. Também se espalharam para o norte e é possível que tenham alcançado a região da Rússia moderna. Certamente eles estavam presentes na região da Armênia moderna que serve de ponte entre a Anatólia e as montanhas da Cáucaso[1].

7. תִירָס Tiyras — Sob esse nome nós vamos encontrar os povos que, estendendo-se para o oeste passaram pela península grega, pela modernas regiões da Bósnia-Herzegovina, Eslovênia — anteriormente partes da Iugoslávia — até atingirem a península itálica. O nome do Mar Tirreno é provavelmente derivado destes povos. Historiadores sugerem que os descendentes de Tiras formaram o povo Etrusco que acabou se consolidando como dominador da península entre os rios Tiber e Arno. Os Etruscos foram, mais tarde, dominados pelos Romanos que passaram a dominar, não só a Itália como todo o mundo banhado pela bacia do Mar Mediterrâneo.

B. Os Filhos de Gômer.  

Jafé teve sete filhos e sete netos – ver Gênesis 10:3—4.

1. אַשְׁכֲּנַז Asquenaz — Povo que se estabeleceu na região do Ararate entre a Turquia, o Irã e a Rússia modernos. Asquenaz é mencionado junto com os reinos de Ararate e Mini pelo profeta Jeremias — ver Jeremias 51:27. Em hebraico moderno a expressão “asquenaz” é usada para caracterizar os povos germânicos e os curdos.

2. רִיפַת Riyphat — Rifate — Verdadeiro enigma para os historiadores. Teriam se estabelecido por toda a região da Turquia moderna se estendendo para o leste até a Armênia moderna.
3. תֹגַרְמָה Togaremah Togarma. Os descendentes de Togarma são mencionados fazendo troca de mercadorias com os habitantes de Tiro — ver Ezequiel 27:14. São também mencionados como parte do Exército de Gogue — ver Ezequiel 38.6. Alguns estudiosos acham que o nome Turquia procede diretamente dos descendentes deste patriarca. Outros acham que eles se espalharam para o norte da Rússia indo habitar as regiões da Hungria e da Finlândia — países que, curiosamente têm idiomas cognatos. Essa opinião ocorre porque o idioma finlandês possui maiores afinidades com o idioma húngaro do que com os outros idiomas da Escandinávia — dinamarquês, sueco e norueguês. Por sua vez, o idioma húngaro não guarda relações nem com o alemão, nem com o polonês, nem com o romeno.

C. Os Filhos de Javã. 

1. אֱלִישָׁה Eliyshah — Elisá, cujo significado é “Deus daquele que está por vir”. Este foi o povo que se estabeleceu na ilha de Creta no Mediterrâneo. Alguns historiadores acham que o mesmo povo se estabeleceu na região de Cartago no norte da África.

2. תַרְשִׁישׁ Tareshiysh — Társis. No Antigo Testamento o nome de Társis está relacionado à uma terra distante de onde ouro, prata, marfim, bugios — macacos — e pavões eram trazidos para a corte do rei Salomão — ver 1 Reis 10:22 e Jeremias 9:10. De lá também procediam o ferro, o estanho e o chumbo — ver Ezequiel 27:12. A frota mencionada como pertencente a Salomão teria seu porto no Mar Vermelho, em Eziom-Geber — ver 1 Reis 22:49 — de onde partiriam tanto para alcançar o leste da África como a própria Índia. Isto colocaria Társis fora da bacia do Mediterrâneo. Especulações são abundantes concernentes à exata localização de Társis. Alguns acreditavam que se referia à costa da moderna Espanha, outros imaginam terras muito mais distantes como as ilhas britânicas, enquanto outros ainda acreditam que se refira às costas do México moderno. De qualquer maneira, o que fica evidente pelos nossos textos é que Társis só podia ser alcançada por via marítima. Assim, é perfeitamente verdadeiro o relato que encontramos no livro de Jonas quando o profeta vai ao porto de Jope, para tomar um navio cujo destino era Társis — ver Jonas 1:3. A cidade de Tarso, onde nasceu o apóstolo Paulo deriva seu nome deste patriarca.

3. כִּתִּים Qittiym — Quitim. Nome associado à cidade fenícia de Kition na costa sudoeste da ilha de Chipre próxima da moderna cidade de Larnaka. No Antigo Testamento Quitim se refere tanto a uma terra — ver Isaías 23:1 que menciona a ilha de Chipre — como a um grupo de ilhas — ver Ezequiel 27:6.

4. דֹדָנִים Dodaniym — Dodanim. Baseados na leitura de 1 Crônicas 1:7 muitos comentaristas pensam que os nomes de דֹדָנִים Dodaniym — Dodanim e רוֹדָנִים Rodaniym — Rodanim fazem referência ao povo que habitava a ilha de Rodes no Mar Mediterrâneo ao sul da costa da Turquia moderna. Uma acomodação plausível para esta condição é que o nome original — Dodanim — como aparece em Gênesis 10:4, faria referência a um povo antigo chamado de Danaos que habitaram a região do Peloponeso na península grega durante o período Micênico e que teria, mais tarde, migrado para a ilha de Rodes onde o nome teria sido adaptado para Rodanim.

O conteúdo de Gênesis 10:5 faz referência aos descendentes de Jafé e deixa bem claro que a lista aqui apresentada não pretende ser exaustiva. Muito pelo contrário, o uso da expressão אִיֵּי הַגּוֹיִם ‘iy ha goim — ilhas das nações, faz referência a terras que o autor não deseja identificar. Muitas dessas nações, independente de suas localizações, só podem ser alcançadas por via marítima. Cada uma dessas nações possui seu próprio território, sua própria língua — uma indicação vaga de que desenvolveram seus próprios idiomas — bem como seus próprios מִשְׁפְּחֹתָם misheppehotam — clãs.
Os descendentes de Jafé, como já mencionamos, foram aqueles que se especializaram no uso da navegação. Gregos, fenícios e outros povos tornaram-se marinheiros renomados na Antiguidade. O mito de Atlântida: Segundo os diálogos de Platão chamados de “Timeu e Crítias” sacerdotes egípcios em conversa com o legislador grego Sólon — século VI a.C. — teriam mencionado a existência de uma enorme ilha ao oeste das Colunas de Hércules — Estreito de Gilbratar — que era maior que toda a Ásia Menor e a Líbia juntas. Os habitantes dessa ilha eram um povo de conquistadores que foram finalmente conquistados e subjugados pelo povo de Atenas. Os habitantes de Atlântida tornaram-se pecadores pervertidos e sua ilha acabou por sucumbir em meio a um enorme terremoto.

Outros artigos acerca dO LIVRO DE GÊNESIS

001 — Introdução e Esboço

002 — Introdução ao Gênesis — Parte 2 — Teorias Acerca da Criação

003 — Introdução ao Gênesis — Parte 3 — A História Primeva e Sua Natureza

004 — Introdução ao Gênesis — Parte 4 — A Preparação para a Vida Na Terra

005 — Introdução ao Gênesis — Parte 5 — A Criação da Vida

006 — Introdução ao Gênesis — Parte 6 — O DEUS CRIADOR

007 — Introdução ao Gênesis — Parte 7 — OS NOMES DO DEUS CRIADOR, OS CÉUS E A TERRA

008 – Gênesis — A Criação de Deus - Parte 1 – A Criação de Deus Dia a Dia – O Primeiro Dia — Parte 1

009 – Gênesis — A Criação de Deus - Parte 8A – A Criação de Deus Dia a Dia – O Primeiro Dia — Parte 2

010 — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus - Parte 9 – A Criação de Deus Dia a Dia – O Segundo e o Terceiro Dia

011 — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus — Parte 10 — A Criação de Deus Dia a Dia — O Quarto Dia

012 — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus — Parte 11 — A Criação de Deus Dia a Dia — O Quinto Dia

013 — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus — Parte 12 — A Criação de Deus Dia a Dia — O Sexto Dia — Parte 1

013A — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus — Parte 12A — A Criação de Deus Dia a Dia — O Sexto Dia — Parte 2

014 — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus — Parte 13 — Teorias Evolutivas

015 — Estudo de Gênesis — Gênesis 2 — Parte 14 — GÊNESIS 2A

016 — Estudo de Gênesis — Gênesis 2 — Parte 15 — GÊNESIS 2B

017 — Estudo de Gênesis — Gênesis 3 — Parte 16 — GÊNESIS 3A

018 — Estudo de Gênesis — Gênesis 3 — Parte 17 — GÊNESIS 3B

019 — Estudo de Gênesis — Gênesis 3 — Parte 18 — GÊNESIS 3C

020 — Estudo de Gênesis — Gênesis 3 — O Livre Arbítrio — Parte 19

021 — Estudo de Gênesis — Gênesis 3 — O Dois Adãos — Parte 20

022 — Estudo de Gênesis — Gênesis 4 — A Era Pré-Patriarcal e a Mulher de Caim — Parte 21

023 — Estudo de Gênesis — Gênesis 4 — Caim, O Primeiro Construtor de Uma Cidade — Parte 22

024 — Estudo de Gênesis — Gênesis 4 — Caim, Como Assassino e Fugitivo da Presença de Deus — Parte 23

025 — Estudo de Gênesis — Gênesis 4 — Caim, Como Primeiro Construtor de uma Cidade e Pseudo-Salvador da Humanidade — Parte 24

026 — Estudo de Gênesis — Gênesis 4 — A Conclusão Acerca de Caim — Parte 25

027 — Estudo de Gênesis — Gênesis 5 — Sete e outros Patriarcas Antediluvianos — Parte 26

028 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — A Perversidade Humana, Os Filhos de Deus e as Filhas dos Homens— Parte 27A

029 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — OS Nefilim e os Guiborim — Os Gigantes e os Valentes — Parte 27B

030 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — A Maldade do Coração Humano— Parte 27C.

031 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — A Corrupção Humana Sobre a Face da Terra e Deus Pode se Arrepender? — Parte 27D.

032 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — Noé e a arca que ele construiu orientado por Deus — Parte 28A.

033 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — Noé e a arca que ele construiu orientado por Deus — Parte 28B.

034 — Estudo de Gênesis — Gênesis 7 — Noé e a arca que ele construiu orientado por Deus — Parte 29 — O Dilúvio Foi Global Ou Local?

035 — Estudo de Gênesis — Gênesis 8 — A promessa que Deus Fez a Noé e seus descendentes — Parte 30 — Nunca Mais Destruirei a Terra Pela Água

036 — Estudo de Gênesis —  O Valor Perene do Dilúvio para todas as Gerações — PARTE 001

037 — Estudo de Gênesis — O Valor Perene do Dilúvio para todas as Gerações — PARTE 002

038 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 001

039 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 002

040 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 003

041 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 004 — A NATUREZA DA ALIANÇA ENTRE DEUS E NOÉ

042 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 005 — OS FILHOS DE NOÉ — PARTE 001

043 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 006 — OS FILHOS DE NOÉ — PARTE 002 — OS NEGROS SÃO AMALDIÇOADOS?

044 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 007 — OS FILHOS DE NOÉ — PARTE 003 — A CONTRIBUIÇÃO DOS FILHOS DE NOÉ PARA A HUMANIDADE

045 — Estudo de Gênesis — A TÁBUA DAS NAÇÕES — PARTE 001 — OS DESCENDENTES DE JAFÉ
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2017/02/genesis-estudo-045-tabua-das-nacoes.html

046 — Estudo de Gênesis — A TÁBUA DAS NAÇÕES — PARTE 002 — OS DESCENDENTES DE CAM: NEGROS, AMARELOS E VERMELHOS

047 — Estudo de Gênesis — A TÁBUA DAS NAÇÕES — PARTE 003 — OS DESCENDENTES DE SEM E A ORIGEM DOS HEBREUS
Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos. 



[1] Montanhas do Cáucaso – Bol Soj Kaukaz – estão localizadas nos países modernos da Rússia, Geórgia, Armênia e Azerbaijão.

Os comentários não representam a opinião do Blog O Grande Diálogo; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

ESTUDO DA VIDA DE JESUS – PARTE 2 – ESTUDO 053 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 020


Resultado de imagem para enviados por deus


Essa é uma série cujo propósito é estudar, com profundidade, a vida do Senhor Jesus como apresentada nos quatro Evangelhos. No final de cada estudo você irá encontrar links para outros estudos. A Série tem o título Geral de: Jesus Confronta a Religião, a Sociedade e a Cultura.


II. O Prólogo do Evangelho de João — João 1:1—18 — Continuação

C. Exposição de João 1:1—18 — Continuação.

6. João 1:6 - Houve um homem enviado por Deus cujo nome era João — Continuação.

João Batista foi enviado por Deus e tinha uma missão especial a cumprir —

João 3:28

Vós mesmos sois testemunhas de que vos disse: eu não sou o Cristo, mas fui enviado como seu precursor.

Do mesmo modo, o Messias foi enviado por Deus e também tinha uma missão especial —

João 3:17

Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.

A diferença entre os dois é que João Batista, que tinha um comissionamento divino, era originário da Terra, ao passo que o Messias era originário dos Céus —

João 1:18

Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou.

João 3:13

Ora, ninguém subiu ao céu, senão aquele que de lá desceu, a saber, o Filho do Homem que está no céu.

Este tipo de comissão era comum nos dias do Antigo Testamento, como podemos ver no caso de Moisés —

Êxodo 3:10—15

10 Vem, agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito.

11 Então, disse Moisés a Deus: Quem sou eu para ir a Faraó e tirar do Egito os filhos de Israel?

12 Deus lhe respondeu: Eu serei contigo; e este será o sinal de que eu te enviei: depois de haveres tirado o povo do Egito, servireis a Deus neste monte.

13 Disse Moisés a Deus: Eis que, quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi?

14 Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros.

15 Disse Deus ainda mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vós outros; este é o meu nome eternamente, e assim serei lembrado de geração em geração.

Isaías 6:8—10

8 Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim.

9 Então, disse ele: Vai e dize a este povo: Ouvi, ouvi e não entendais; vede, vede, mas não percebais.

10 Torna insensível o coração deste povo, endurece-lhe os ouvidos e fecha-lhe os olhos, para que não venha ele a ver com os olhos, a ouvir com os ouvidos e a entender com o coração, e se converta, e seja salvo.

Os apóstolos de Jesus, por sua vez, também foram enviados pelo Senhor com um comissionamento divino —

João 20:21

Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio.

O Espírito Santo também seria enviado deste mesmo modo, por Deus, para:

1. Testemunhar acerca de Jesus e para ajudar os apóstolos — enviados — a testemunharem acerca de Jesus também —

João 15:26—27

26 Quando, porém, vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim;

27 e vós também testemunhareis, porque estais comigo desde o princípio.

Conduzir os apóstolos em toda a verdade —

João 16:12—13

12 Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora;

13 quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.

Glorificar a Jesus —

João 16:14—15

14 Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.

15 Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.

Por semelhante modo, os discípulos são enviados pelo Senhor para ir por todo o mundo pregando o evangelho —

Mateus 28:18—20

18 Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra.

19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;

20 ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.

Por fim, o evangelista caracteriza este emissário como sendo chamado pelo nome de João. Em nenhum momento o evangelista se refere a João como sendo João Batista. Ele o chama, exclusivamente, de João. Este nome, era de origem hebraica יוחנן Iohanan — foi transliterado para o grego como Ἰωάννης Ioánnes — e significa: o ETERNO é um doador gracioso. O nome de João, havia sido fornecido por um anjo — ver Lucas 1:13 — e a intenção fica bem evidente em vista da função que ele teria de executar. A função de João é descrita nos próximos dois versículos, a saber: João 1:7—8.

CONTINUA...

Outros estudos acerca da vida de Jesus podem ser encontrados nos links abaixo:

001 — Estudos Na Vida de Jesus — Porque Jesus Veio a Este Mundo

002 — Estudos na Vida de Jesus — O Registro Escrito Acerca de Jesus — Parte 001

003 — Estudos na Vida de Jesus — O Registro Escrito Acerca de Jesus — Parte 002.

004 — Estudos Na Vida de Jesus — A Revelação de Jesus e o Fim das Religiões —

005 — Estudos Na Vida de Jesus — A Revelação de Jesus e o Fim das Religiões — Parte 2.

006 — Estudos Na Vida de Jesus — A Revelação de Jesus e o Fim das Religiões — Parte 3.

007 — Estudos Na Vida de Jesus — A Revelação de Jesus e o Fim das Religiões — Parte 4.

008 — Estudos Na Vida de Jesus — A Revelação de Jesus e o Fim das Religiões — Parte 5.

009 — Estudos Na Vida de Jesus — A Revelação de Jesus e o Fim das Religiões — Parte 6.

010 — Estudos Na Vida de Jesus — A Revelação de Jesus e o Fim das Religiões — Parte 7.

011 — Estudos Na Vida de Jesus — A Revelação de Jesus e o Fim das Religiões — Parte 8.

012 — Estudos Na Vida de Jesus — A Revelação de Jesus e o Fim das Religiões — Parte 9.

013 — Estudos Na Vida de Jesus — A Revelação de Jesus e o Fim das Religiões — Parte 10.

014 — Estudos Na Vida de Jesus — A Revelação de Jesus e o Fim das Religiões — Parte 11.

015 — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 12

016 — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 13

017 A — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 14A

017 B — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 14B

017 C — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 14C

017 D — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 14D

018 A — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 15A

018 B — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 15B

019A — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 16A

019B — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 16B

020 — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 17

021 — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 18

022 — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 19

023 — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 20

024 — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 21

025 — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 22

026 — Estudos na Vida de Jesus — A Revelação de Deus e o Fim das Religiões — Parte 23
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/04/estudo-da-vida-de-jesus-parte-1-estudo.html

OUTROS ESTUDOS ACERCA DA VIDA DE JESUS — PARTE 2 PODEM SER ENCONTRADOS NOS LINKS ABAIXO:
001 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — ESTUDO 027 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 001 — A PLENITUDE DO TEMPO
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/05/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
002 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — ESTUDO 028 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 002 — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE LUCAS — LUCAS 1:1—4
003 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — ESTUDO 029 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 003 — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE JOÃO — JOÃO 1:1—18 — PARTE 001
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/07/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
004 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — ESTUDO 030 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 004 — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE JOÃO — JOÃO 1:1—18 — PARTE 002
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/08/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
005 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — ESTUDO 031 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 005 — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE JOÃO — JOÃO 1:1—18 — PARTE 003
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/09/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
006 — Estudos Na Vida de Jesus — PARTE 02 — ESTUDO 032 — OS PRÓLOGOS AOS EVANGELHOS — 006 — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE JOÃO — JOÃO 1:1—18 — PARTE 004
007A — A DIVINDADE DE JESUS E A IGREJA DE JESUS CRISTO DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS OU IGREJA DOS MÓRMONS.
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/11/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
007C —  A DIVINDADE DE JESUS E OS ADVENTISTAS DO SÉTIMO DIA
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/11/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo_30.html
007D — A DIVINDADE DE JESUS E  IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA — PARTE 001http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/12/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
007E — A DIVINDADE DE JESUS E  IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA — PARTE 002http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/12/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo_3.html
008 — A DIVINDADE DE JESUS COMO APRESENTADA PELO EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 001
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/12/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo_31.html
009 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 002
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2015/02/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
010 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 003
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2015/03/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
011 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 004http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2015/05/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
012 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 005http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2015/06/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
013 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 006
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2015/07/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
014 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 007
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2015/08/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
015 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 008
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2015/09/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
016 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 009
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2015/11/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
017 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 010
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2015/12/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
018 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 011
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2016/02/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
019 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 012
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2016/04/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
020 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 013
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2016/06/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
21 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 014
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2016/08/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
022 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 015 — A LUZ DOS HOMENS
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2016/10/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
023 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 016 — JESUS VEIO TRAZER O PERDÃO E A SALVAÇÃO DE DEUS
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2016/12/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo_8.html
024 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 017 — JESUS É O MESSIAS PROMETIDO NA PROFECIA DAS 70 SEMANAS
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2016/12/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo_11.html
025 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 018 — JESUS É O SOL DA JUSTIÇA PROMETIDO NA PROFECIA DE MALAQUIAS
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2017/01/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
26 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 019 — O TESTEMUNHO DE JOÃO ACERCA DE JESUS
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2017/02/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html
27 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 020 — O TESTEMUNHO DE JOÃO ACERCA DE JESUS — PARTE 002
28 — A DIVINDADE DE JESUS SEGUNDO O EVANGELHO DE JOÃO — PARTE 021 — O TESTEMUNHO DE JOÃO ACERCA DE JESUS — PARTE 003
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2017/03/estudo-da-vida-de-jesus-parte-2-estudo.html

Que Deus abençoe a todos. 

Alexandros Meimaridis 

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link: 


Desde já agradecemos a todos.

Os comentários não representam a opinião do Blog O Grande Diálogo; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.