segunda-feira, 28 de abril de 2014

Apocalipse 12:14 — A MULHER FOGE DO DRAGÃO — Estudo 017



ESTE ESTUDO É PARTE DE UMA SÉRIE DE ESTUdOS APRESENTADOS EM NOSSA IGREJA ATENDENDO À SOLICITAÇÃO DE UM DOS NOSSOS MEMBROS ACERCA DE “QUEM” PODERIA SER A MULHER MENCIONADA EM APOCALIPSE 12:1? nO FINAL DESSE ESTUDO VOCÊ ENCONTRARÁ OS LINKS PARA OS OUTROS ESTUDOS DESSA SÉRIE.

E foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que voasse até ao deserto, ao seu lugar, aí onde é sustentada durante um tempo, tempos e metade de um tempo, fora da vista da serpente — Apocalipse 12:14.

E foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que voasse até ao deserto, ao seu lugar.

Acabamos de mencionar a tipologia relacionada com essa forma de fuga. Todavia, queremos repetir que, enquanto o conceito geral do deserto, nas culturas de todos os tempos, é que o mesmo é um lugar de morte e desolação, na Bíblia o deserto é visto como um lugar de comunhão com Deus, de provação e repleto de expectativas relacionadas com o término da jornada pelo mesmo. Essas expectativas são de um descanso permanente na companhia do Deus Todo Poderoso, dos seus anjos e de todos os crentes de todas as eras – ver Hebreus 4.

As duas asas recebidas pela mulher são representativas de: 1) Libertação; 2) Capacitação divina. No Cântico de Moisés, registrado em Deuteronômio 32 nós lemos acerca de como Deus encontrou “Jacó” — i.e. seus descendentes — no deserto e cuidou deles, do mesmo como uma águia cuida dos seus filhotes —

Êxodo 19:4


Vós tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim.

Deuteronômio 32:10—12.

10 Achou-o na terra do deserto e num ermo solitário cheio de uivos; trouxe-o ao redor, instruiu-o, guardou-o como a menina do seu olho.

11 Como a águia desperta o seu ninho, se move sobre os seus filhos, estende as suas asas, toma-os e os leva sobre as suas asas,

12 assim, só o SENHOR o guiou; e não havia com ele deus estranho.

Em outra passagem o profeta Isaías nos diz o seguinte:

Isaías 40:30—31

Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem, mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.

As asas capacitaram a mulher para que fugisse para o deserto, um lugar de refúgio espiritual — comparar com Apocalipse 12:6. Em tempos de perseguição Deus protege os seus. Alguns intérpretes entendem que o deserto, nesse contexto, significa uma separação completa do mundo — especialmente da grande cidade — algo que é necessário, como preparação, para habitar por toda a eternidade, na nova Jerusalém celestial. É ali que a mulher é sustentada — alimentada e treinada — do grego τρέφεται tréfetai — cujo significado inclui: nutrir, sustentar, educar e criar — ver Lucas 4:16.

É provável que essa narrativa tenha a ver com a advertência de Jesus acerca da destruição futura de Jerusalém. Naquela ocasião Jesus orientou seus discípulos para que fugissem para as montanhas —

Mateus 24:15—22

15 Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo (quem lê, que entenda),

16 então, os que estiverem na Judéia, que fujam para os montes;

17 e quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa;

18 e quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes.

19 Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias!

20 E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado,

21 porque haverá, então, grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco haverá jamais.

22 E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos escolhidos, serão abreviados aqueles dias.

A tradição da Igreja registra uma fuga acontecida no a.D. 66 — início das hostilidades entre os judeus e os romanos. Naquela ocasião os crentes de Jerusalém e da Judeia fugiram para a cidade de Pella, na região de Decápolis.



Essa cidade existe até hoje como a moderna Tabaqat Fahl na atual Jordânia, e está a penas 32 quilômetros a sudeste do Mar da Galiléia. As tentativas de Satanás de destruir a Igreja Cristã tanto na guerra dos judeus contra os romanos, como na grande inundação que aconteceu, bem quando a igreja atravessava o Jordão — Marcos 13:18 — não deram em nada. Deus guardou sua igreja de todas as tentativas de causar-lhe dano naqueles dias. A igreja cristã da região de Decápolis acolheu e amparou a igreja cristã judaica que fugia de Jerusalém e da região da Judeia. Pouco tempo depois, João partiu de Pella conduzindo um grupo de judeus cristãos até a cidade de Éfeso na Ásia menor. A igreja em Jerusalém estava segura longe da própria cidade, mas o dragão continuava perseguindo os cristãos em Roma e na província da Ásia.      

Onde é sustentada durante um tempo, tempos e metade de um tempo — Essa expressão representa um período de 3 anos e meio, que corresponde aos 1260 dias do verso 6 e aos 42 meses de Apocalipse 13:5. Esse período corresponde ao tempo em que os judeus estiveram submetidos à tirania do rei da Síria Antíoco Epifânio IV, conforme profetizado por

Daniel 7:25

E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues nas suas mãos por um tempo, e tempos, e metade de um tempo.

Ainda no livro de Daniel, quando o profeta perguntou ao anjo quanto tempo até que as coisas assustadoras que tinha visto em sua visão acontecessem, o anjo lhe disse:

Daniel 12:7

E ouvi o homem vestido de linho, que estava sobre as águas do rio, quando levantou a sua mão direita e a sua mão esquerda ao céu e jurou, por aquele que vive eternamente, que depois de um tempo, de tempos e metade de um tempo, e quando tiverem acabado de destruir o poder do povo santo, todas essas coisas serão cumpridas.

João usa essa mesma medida para indicar o tempo em que a igreja estaria, completamente protegida, de todo ataque satânico. Esse mesmo período é mencionado uma quarta vez em Apocalipse 11:3. Com isso podemos dizer que durante esse período Deus protegeu sua Igreja, ao mesmo tempo, que a capacitou para testemunhar acerca de Jesus.

Fora da vista da serpente — Essa frase serve apenas para completar a outra que diz que a mulher fugiu para o deserto.

OUTROS ESTUDOS EM APOCALIPSE 12

001 — INTRODUÇÃO – Literatura Apocalíptica e o Conceito de Quiasmo

002 — INTRODUÇÃO – Tema Central e Significado Perene

003 — Apocalipse 12:1a — VIU-SE UM GRANDE SINAL NO CÉU — UMA MULHER — PARTE 1 

004 — Apocalipse 12:1b — VIU-SE UM GRANDE SINAL NO CÉU  — UMA MULHER  — PARTE 2

005 — Apocalipse 12:2—3 — A MULHER E O DRAGÃO — PARTE 1

006 — Apocalipse 12:3 — A MULHER E O DRAGÃO — PARTE 2

007 — Apocalipse 12:4 — A MULHER E O DRAGÃO — PARTE 3

008 — Apocalipse 12:5 — A MULHER E O FILHO QUE ELA DEU À LUZ

009 — Apocalipse 12:6 — A FUGA DA MULHER e a provisão divina

010 — APOCALIPSE 12:7 — A PELEJA NO CÉU — PARTE 1

011 — APOCALIPSE 12:8 — A PELEJA NO CÉU — PARTE 2

012 — Apocalipse 12:9 — o dragão, a antiga serpente, satanás e o diabo

013 — Apocalipse 12:10 — O DRAGÃO FOI EXPULSO DO CÉU

014 — Apocalipse 12:11 — vencedores por causa do sangue do cordeiro e porque não amaram mais aprópria vida

015 — APOCALIPSE 12:12 — FESTA NOS CÉUS E DORES NA TERRA

016 — APOCALIPSE 12:13 — O DRAÇÃO FOI ATIRADO PARA A TERRA

017 — APOCALIPSES 12:14 — A MULHER FOGE PARA O DESERTO

018 — APOCALIPSES 12:15—18 — O DRAGÃO DESISTE DA MULHER E VAI PERSEGUIR O RESTANTE DO POVO DE DEUS — FINAL
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2014/05/apocalipse-121517-o-dragao-persegue-o.html

Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

2 comentários:

  1. perfeito, nunca desista de postar mais "consciência' um dia todos acordaram e verão


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Elias,

      Amém e que Deus te abençoe.

      irmão Alex

      Excluir