sexta-feira, 3 de julho de 2015

ESTUDO PARA CASAIS - ESTUDO 031 - A INCOMPATIBILIDADE NO CASAMENTO — PARTE 5 - O QUE FAZER QUANDO UM ADULTÉRIO ACONTECE?


Estes estudos são parte de uma série de palestras que estamos ministrando nas reuniões de casais da nossa igreja. Os estudos anteriores podem ser encontrados nos links mais abaixo:

A INCOMPATIBILIDADE NO CASAMENTO — PARTE 5

1. Hoje queremos continuar com nosso estudo sobre “A INCOMPATIBILIDADE DO CASAMENTO”, com ênfase especial na questão envolvendo o adultério.

2. Aconteceu. E agora? Para muitas pessoas o adultério praticado por um dos cônjuges representa o fim do relacionamento. Mas, será que é necessário chegar a esse ponto? Afinal de contas o relacionamento com um terceiro(a) pode ser apenas uma aventura sem sentimentos sérios ou profundos atrelados. O verdadeiro interesse da pessoa continua com o cônjuge.   

3. Diante disso é importante conversar para ver se a parte ofensora tem realmente interesse e vontade de abandonar, de uma vez, o outro relacionamento e se empenhar em tentar fazer sobreviver o relacionamento com o cônjuge. Isso pode e muitas vezes é algo bastante doloroso, para aquele que ofendeu. Se houver muita resistência da parte ofendida em buscar uma reconciliação, a parte ofendida irá desejar se preservar do sofrimento e poderá preferir não ficar nem com o cônjuge nem com a terceira parte, mas partir para algo completamente novo, tentando com isso se esquecer do passado.  

4. Esses motivos devem ser suficientes para chamar a atenção do casal enfrentando essa difícil situação para que não tornem as coisas mais difíceis do que as mesmas já estão. Buscar soluções é o caminho certo. Complicar a situação é o caminho errado.  

5. Censuras, importunações, conselhos, lágrimas, recriminações e ameaças — tudo isso não ajuda em nada a situação. Sermões e ameaças fazem apenas aumentar a culpa e o sofrimento do ofensor, enquanto aumenta a amargura da parte ofendida. O casal precisa se voltar para Deus, o ofensor confessar seu pecado a Deus e ao cônjuge e os dois aceitarem o fato de que Deus, que os uniu, continua amando os dois e desejando vê-los realizados. Quando essa compreensão é alcançada e o casal decide prosseguir com fé, então uma boa parte do grave problema está resolvida.     

6. O ofensor deve procurar ajuda para tentar entender qual foi a motivação emocional que o conduziu para um desvio tão grave. O que estava buscando? Existem mulheres que buscam encontrar o conforto de um pai nos braços de outro homem mais velho. Por outro lado existem homens mais velhos que procuram reencontrar a própria juventude se envolvendo com mulheres mais jovens. É óbvio que nos dois casos, alcançar tais objetivos é impossível.

7. Tais dependências psicológicas possuem raízes profundas na alma das pessoas e, por esse motivo, precisam ser tratadas de acordo. Se não houver real interesse em tratar essas questões do modo pastoral ou com um profissional da área que também seja cristão, então o divórcio torna-se a única opção viável para uma situação intolerável.

8. Estudos mostram que cerca de 50% dos homens entre 21 e 50 anos, são ou foram liberais, do ponto de vista sexual uma ou mais vezes em suas vidas. De fato, essas mesmas pesquisas mostraram que a promiscuidade de homens não casados era apenas um pouco mais elevada do que aquela dos homens casados. Mas, esses mesmos estudos também mostram que 34% de todas as mulheres adultas entre 18 e 45 anos também foram sexualmente liberais uma ou outra vez. As mulheres costumam alegar que estavam apaixonadas — pura mentira — enquanto os homens admitem mesmo que foi pura safadeza.   

9. Amar o cônjuge de verdade — algo nem sempre muito fácil de fazer — em vez de dar chiliques ou fazer ameaças é capaz de produzir os mais inesperados resultados. Dependendo da profundidade das cicatrizes emocionais que foram criadas pela ofensa as duas coisas mais importantes a fazer são: 1) Procurar ajuda tão logo o pecado seja descoberto. Quanto antes o socorro for buscado maiores as chances de recuperação. É semelhante a um ataque cardíaco. 2) Procure entender que algumas dessas situações só se resolvem por meio de um aconselhamento intensivo. É como tratar de alguém numa UTI.  

10. Uma verdade que temos aprendido nesses estudos é que qualquer casamento pode ser melhorado desde que marido e esposa queiram mudar para que as melhoras aconteçam. Não podemos mudar nosso cônjuge. Mas se os dois decidirem mudar por si mesmos, então existirá uma verdadeira possibilidade do casamento melhorar.

11. Bem vamos começar a tratar das questões mais profundas que estão envolvidas em todos os casos de adultério. Até onde podemos ver, o falso deus Eros é tão adorado em nossos dias como acontecia em Éfeso nos dias do apóstolo Paulo. Mas, independentemente dessa situação, uma grande verdade permanece: todos nós somos pecadores e carecemos da graça de Deus. E quanto mais profunda for essa convicção — de que somos pecadores — mais profundamente poderemos experimentar a graça de Deus.      

12. Nenhum tipo de pecado pode causar mais prejuízos para todos os envolvidos do que os pecados cometidos envolvendo nossa sexualidade. Como falamos no estudo anterior, até mesmo as próprias igrejas cristãs estão cheias desses pecados. Mas, por maior que seja o pecado a graça de Cristo será sempre maior. Quando o pecado acontece o maior interesse de Deus está na completa recuperação dos pecadores. Perdão, graça, amor é o que Deus tem para oferecer para todos os que estão verdadeiramente arrependidos. Mas, infelizmente nos dias de hoje o arrependimento tornou-se, praticamente, inexistente em nosso meio, como seres humanos. A situação torna-se ainda mais complicada quando falamos de arrependimento relativo a pratica de imoralidades sexuais. Todavia, é impossível haver recuperação e restauração completa sem um arrependimento, confissão e completo abandono da prática pecaminosa.

Provérbios 28:13

O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.


ESTUDOS ANTERIORES SOBRE O RELACIONAMENTO A DOIS

000 – NÃO DEIXE SEU CASAMENTO NAUFRAGAR

001 – DIFERENÇAS ENTRE O HOMEM E A MULHER – PARTE 1

002 – DIFERENÇAS ENTRE O HOMEM E A MULHER – PARTE 2

003 – NECESSIDADES E PROBLEMAS DA MULHER – PARTE 1

004 – NECESSIDADES E PROBLEMAS DA MULHER – PARTE 2

005 — NECESSIDADES E PROBLEMAS DO HOMEM — Parte 1

006 — NECESSIDADES E PROBLEMAS DO HOMEM — Parte 2

007 — NECESSIDADES E PROBLEMAS DO HOMEM — Parte 3

008 — NECESSIDADES E PROBLEMAS DO HOMEM — Parte 4

009 — NECESSIDADES E PROBLEMAS DO HOMEM — Parte 5

010 — NECESSIDADES E PROBLEMAS DO HOMEM — Parte 6

011 — NECESSIDADES E PROBLEMAS DO HOMEM — Parte 7 — Final

012 — O HOMEM COM GUARDADOR E CULTIVADOR DO CASAMENTO

013 — ENTENDENDO A SUBMISSÃO DO PONTO DE VISTA BÍBLICO

014 — ENTENDENDO QUE HOMENS E MULHERES SÃO IGUAIS, MAS DIFERENTES

015 — SEGREDOS, SEGREDOS, SEGREDOS: O MAIOR DE TODOS ELES

016 — COMO OS MARIDOS MAGOAM AS ESPOSAS – PARTE 1

017 — COMO OS MARIDOS MAGOAM AS ESPOSAS – PARTE 2

018 — COMO SER A MULHER QUE DEUS DESEJA QUE VOCÊ SEJA — PARTE 1

019 — COMO SER A MULHER QUE DEUS DESEJA QUE VOCÊ SEJA — PARTE 2

020 — COMO AMAR SUA MULHER DO JEITO QUE ELA GOSTARIA DE SER AMADA — Parte 1

021 — COMO AMAR SUA MULHER DO JEITO QUE ELA GOSTARIA DE SER AMADA — Parte 2

022 — COMO AMAR SUA MULHER DO JEITO QUE ELA GOSTARIA DE SER AMADA — Parte 3

023 — CONFLITOS QUE PREJUDICAM O CASAMENTO — PARTE 001 — O CIÚME

024 — CONFLITOS QUE PREJUDICAM O CASAMENTO — PARTE 002 – AS MULHERES E O RELACIONAMENTO COM SEUS PAIS

025 — CONFLITOS QUE PREJUDICAM O CASAMENTO — PARTE 003 – ELEVANDO NOSSO GRAU DE TOLERÂNCIA

026 — CONFLITOS QUE PREJUDICAM O CASAMENTO — PARTE 004 – CUIDANDO DAS NECESSIDADES DO OUTRO PARA EVITAR O DIVÓRCIO

027 — A INCOMPATIBILIDADE NO CASAMENTO PARTE 001 — LIDANDO COM O CÚME

028 — A INCOMPATIBILIDADE NO CASAMENTO PARTE 002

029 — A INCOMPATIBILIDADE NO CASAMENTO PARTE 003

030 — A INCOMPATIBILIDADE NO CASAMENTO PARTE 004

031 — A INCOMPATIBILIDADE NO CASAMENTO PARTE 005

032 — SEXUALIDADE HUMANA: FATORES QUE NÃO PODEMOS ESQUECER — PARTE 001

033 — SEXUALIDADE HUMANA: FATORES QUE NÃO PODEMOS ESQUECER — PARTE 002

034 — SEXUALIDADE HUMANA: FATORES QUE NÃO PODEMOS ESQUECER — PARTE 003

035 — SEXUALIDADE HUMANA: FATORES QUE NÃO PODEMOS ESQUECER — PARTE 004 — TRAZENDO CONVICÇÃO PARA UM CORAÇÃO ENDURECIDO

036 — SEXUALIDADE HUMANA: FATORES QUE NÃO PODEMOS ESQUECER — PARTE 005 — O MAL CAUSADO PELO ADULTÉRIO

037 — SEXUALIDADE HUMANA: FATORES QUE NÃO PODEMOS ESQUECER — PARTE 006 — A NECESSIDADE DE VERDADEIRO ARREPENDIMENTO EM CASOS DE ADULTÉRIO
038 — DIFERENÇAS FUNDAMENTAIS ENTRE AS NECESSIDADES DOS HOMENS E DAS MULHERES
Que Deus abençoe a todos

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:

http://www.facebook.com/pages/O-Grande-Diálogo/193483684110775

Desde já agradecemos a todos  

Nenhum comentário:

Postar um comentário