quinta-feira, 4 de junho de 2015

A IGREJA COMO CORPO DE CRISTO E NO PLANO ETERNO DE DEUS - ESTUDO 008 - UMA INTRODUÇÃO A EFÉSIOS 1:3-14



NESSA SÉRIE NÓS ESTAMOS TRATANDO DE DOIS ASPECTOS IMPORTANTES ACERCA DA VERDADEIRA IGREJA: 1) A IGREJA COMO CORPO DE CRISTO; E 2) A IGREJA NO PLANO ETERNO DE DEUS. CONVIDAMOS TODOS OS NOSSOS LEITORES A ACOMPANHAREM ESSA SÉRIE E COMPARTILHAREM A MESMA COM TODOS OS SEUS CONHECIDOS, AMIGOS E IRMÃOS. OUTROS ESTUDOS DESSA SÉRIE PODERÃO SER ENCONTRADOS POR MEIO DE LINKS NO FIM DE CASA ESTUDO.
A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus – ESTUDO 008 — UMA INTRODUÇÃO A EFÉSIOS 1:3—14

VIII. Exposição de Efésios 1:3–14.

Conforme falamos no estudo anterior, os versículos de Efésios 1:3—14 compõem uma longa, única, sentença. Em grego são 202 palavras e em português, na versão de Almeida Revista e Atualizada (ARA), são 222 palavras! Esta passagem tem chamado a atenção dos comentaristas através dos séculos. O pastor e escritor cristão D. M. Lloyd-Jones dedicou 245 páginas do seu comentário[1] de Efésios capítulo 1 a es1es 12 versículos. João Calvino dedicou meras 8 páginas por já haver tratado muitas destas verdades em outros escritos[2].

A. Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo – Efésios 1:3.

1. A palavra grega Εὐλογητὸς eulogetòs — bendito significa na literatura grega não religiosa o “ato de falar bem de alguém ou de algo, de louvar, de elogiar”. De fato é dessa palavra grega e do latim que derivamos nossa palavra “elogio” em português. Ainda no grego essa mesma expressão pode ser usada como sinônima de “agradecer, glorificar, cantar louvores e confessar”. Portanto, como podemos ver, o apóstolo Paulo escolheu uma palavra com significado bastante rico e de amplas aplicações para iniciar o que chamamos anteriormente de “uma verdadeira explosão de louvor”.

2. Já na Septuaginta —LXX[3] — e outras literaturas judaicas incluindo-se ai o Novo Testamento, a palavra Εὐλογητὸς eulogetòs — bendito assumiu um significado adicional derivado, provavelmente, do significado da palavra hebraica בָרָך barak – ajoelhar, abençoar, louvar, saudar[4]. A palavra que mais nos interessa aqui é abençoar e alguns usos no Antigo Testamento seguem:

a. Gênesis 12:1—3 — refere-se à bênção com que Deus prometeu abençoar Abrão.

b. Salmos 16:7 — refere-se ao louvor que os homens podem oferecer a Deus.

c. Neemias 11:2 — refere-se ao louvor que os homens podem oferecer uns aos outros.

d. Ezequiel 34:26 — refere-se às coisas boas que Deus “derrama” sobre nós.

e. Malaquias 3:10 — refere-se à promessa de Deus de abençoar sem medida.

f. A palavra בָרָך  barak – aparece 67 vezes no Antigo Testamento.

3. A palavra em Hebraico é também usada para se referir à consagração de coisas ou mesmo pessoas —

Êxodo 23:25

Servireis ao SENHOR, vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e tirará do vosso meio as enfermidades.

Marcos 8:7

Tinham também alguns peixinhos; e, abençoando-os, mandou que estes igualmente fossem distribuídos.

1 Coríntios 10:16

Porventura, o cálice da bênção que abençoamos não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é a comunhão do corpo de Cristo?

4. A passagem que certamente encapsula de melhor maneira o sentido da expressão hebraica בָרָך barak talvez seja

Números 6:23—27

23 Fala a Arão e a seus filhos, dizendo: Assim abençoareis os filhos de Israel e dir-lhes-eis:

24 O SENHOR te abençoe e te guarde;

25 o SENHOR faça resplandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti;

26 o SENHOR sobre ti levante o rosto e te dê a paz.

27 Assim, porão o meu nome sobre os filhos de Israel, e eu os abençoarei.

Nesses versículos encontramos aquilo que tem sido chamado de “bênção Aarônica ou Sacerdotal”. De acordo com a concepção hebraica desse termo, Deus é a única fonte de bênção. Como tal, Ele é o grande dispensador tanto da bênção quando da maldição (ver Números 22 e capítulos seguintes).

5. Em Efésios 1:3 temos um jogo de palavras que os gregos antigos chamavam de “antanaklasis” que consiste em usar uma mesma palavra em uma mesma frase para indicar significados diversos. Assim temos o seguinte jogo de palavras neste versículo: Εὐλογητὸς eulogetòs — bendito (o Deus), que εὐλογήσας eulogésas — nos abençoou, com toda εὐλογίᾳ eulogía – bênção. Diante deste quadro temos que tomar muito cuidado para não entendermos que o louvor humano é superior ou antecedente à bênção com que somos abençoados. No grego o problema não existe porque os escritores do Novo Testamento usam o adjetivo verbal Εὐλογητὸς eulogetòs — bendito para descrever Deus quando louvado pelos seres humanos — como em

Lucas 1:68

Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo.

Lucas 19:38

Bendito é o Rei que vem em nome do Senhor! Paz no céu e glória nas maiores alturas!

e usa o particípio verbal passivo εὐλογουμένος eulogouménos — abençoados para designar os seres humanos que são abençoados por Deus. A Bênção que recebemos de Deus nos é outorgada devido à liberalidade de Deus e nós não temos nenhum mérito em todo este processo. É por esse motivo que o particípio está na voz passiva. Por outro lado, quando dizemos “bendito seja Deus” não estamos abençoando a Deus como se Ele tivesse necessidade de tal ato oriundo de nossa parte e sim o fato de que estamos apenas reconhecendo uma determinada situação na qual Deus nos tem colocado. Um Deus que nos abençoa só pode ser um Deus bendito! E neste contexto tal expressão da nossa parte é muito mais significativa por causa do tipo de bênção que recebemos de Deus. Como é que Paulo descreve esta bênção?

6. Paulo descreve a bênção que recebemos de Deus como “toda sorte de bênção espiritual”. O grego original pode ser traduzido por “toda, cada uma, todo tipo ou completa” bênção espiritual. A idéia que o autor favorece é de que a palavra “completa” é a que melhor traduz a bênção com que Deus nos abençoa na mesma linha da bênção concedida a Abrão ou a chamada bênção Aarônica conforme vimos anteriormente. A bênção de Deus é completa!

7. A importância desta palavra πάσῃ páse – completa — traduzida na ARA de forma consistente como “toda” e palavras similares — não pode ser superestimada conforme o que Paulo diz no restante da Epístola aos Efésios. “Toda sorte de bênção” implica: — se ficar impressionado com os superlativos é normal. Foi escrito com este propósito.

Efésios 1:8 - ... toda a sabedoria e prudência...

Efésios 1:10 - ... todas as coisas nos céus e na terra...

Efésios 1:11 - ... faz todas as coisas conforme o conselho da Sua vontade.

Efésios 1:21 - ... acima de todo principado, e potestades, e poder, e domínio e de todo nome que se possa referir não só no presente século, mas também no vindouro.

Efésios 1:22 - ... pôs todas as coisas debaixo do pés e, para ser o cabeça sobre todas as coisas o deu à Igreja.

Efésios 1:23 - ... daquele que a tudo enche em todas as coisas.

Efésios 2:21 - ... todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor.

Efésios 3:9 - ... oculto em Deus , que criou todas as coisas.

Efésios 3:15 - ... de quem toma o nome toda família, tanto nos céus como sobre a terra.

Efésios 3:18 - ... com todos os santos...

Efésios 3:19 – e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus.

Efésios 3:20 - ...  àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós.

Efésios 4:6 - um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos.

Efésios 4:10 - Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.

Efésios 4:15 - ... cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.

Efésios 4:16 - de quem todo o corpo, bem ajustado e consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor.

Efésios 6:16 -  embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno.

8. O motivo exclusivo porque a bênção de Deus é completa é porque ela nos é concedida “em Cristo”. Esta bênção “em Cristo” é descrita nos versos 3 a 14 de Efésios capítulo 1. Ela é única e indivisa. Jesus é o único Senhor

Efésios 4:5

Há um só Senhor.

e sua unicidade é manifestada na unicidade da bênção que Deus nos concede “em Cristo”.

9. Aqueles que receberam esta bênção de Deus como descrita em Efésios 1:3—14:

aa. Não precisam do convite: “Venha também receber o seu milagre e viver em paz”.

a. Não precisam da oferta: “Pare de Sofrer”.

b. Não precisam do Jesus limitado que apenas “Salva, Cura, Batiza e Voltará”.

c. Não precisam ser, obrigatoriamente, batizados nas águas para serem salvos.

d. Não precisam passar por nenhum ritual de quebra de maldições hereditárias, pois são novas criaturas e as coisas velhas já passaram.

e. Não precisam falar em línguas estranhas nem profetizar para provar que foram “batizados” com o Espírito Santo.

f. Não precisam, alegadamente, consultar os mortos para saber como é a vida no além, nem como estão parentes e amigos que já partiram dessa vida.

g. Não precisam pertencer a uma igreja Reformada mesmo que essa igreja tenha mais de 150 anos de idade no Brasil.

h. Não precisam pertencer a nenhuma igreja apostólica do apóstolo tal e qual.

i. Não precisam repetir a oração escrita no “santinho”, nem esperar três dias para mandar publicar e muito menos mandar imprimir 1000 cópias do “santinho” como prova de gratidão.

j. Não precisam fazer promessas e, muito menos cumpri-las, a outros seres humanos já mortos.

k. Não precisam se comunicar com “espíritos” para receber orientação acerca dos “trabalhos” que precisam ser feitos para ser feliz no amor ou encontrar um novo emprego, etc.

l. Não precisam guardar o dia do Sábado nem seguir outras esquisitices inventadas por uma mulher que se auto-intitulava a “voz da profecia”.

m. Não precisam responder a perguntas formuladas, de uma maneira tão canhestra, tais como: “Poderá Viver para Sempre no Paraíso Terrestre?”

n. Não precisam fingir que falam línguas estranhas para não serem diferentes dos outros irmãos.

o. Não precisam ser iniciados nos segredos de nenhuma organização secreta, por mais sublime que ela possa ser.

p. Não precisam da “cobertura espiritual” de ninguém, por mais importante que essas pessoas se intitulem.

q. Não precisam atender a nenhum apelo gnóstico para receber conhecimento secreto como o que existe no convite: “Venha até uma de nossas igrejas e nós vamos ensinar você a usar a sua fé para conseguir o que você quiser”.

r. Não precisam passar por cerimônias estranhas de se deixarem batizar pelos mortos ou casar por toda eternidade.

s. Não precisam ler, ouvir ou assistir à previsões acerca de como serão seus dias, semanas, meses e anos. Não precisam nem de mapa astral!

t. Não precisam diminuir Deus e elevar o ser humano para que os dois possam, então, se relacionar de uma maneira mais equilibrada.

u. Não precisam ser beneficiários de nenhum milagre do tipo “é a mão de Deus aqui neste lugar”, como se o Deus verdadeiro estivesse limitado a um lugar apenas.

v. Não precisam da bênção de nenhum patriarca da fé.

w. Não precisam receber nenhuma “unção” especial além daquela que já receberam de Deus através do Espírito Santo —

2 Coríntios 1:21—22

21 Mas aquele que nos confirma convosco em Cristo e nos ungiu é Deus,

22 que também nos selou e nos deu o penhor do Espírito em nosso coração.

x. Não precisam de nenhum falso judeu hassídico alegadamente convertido e que possui supostos conhecimentos nunca dantes revelados.

z. Não precisam de nenhum apóstolo bonachão que envia as mãos sujas no suco de uva que será, em seguida servido na “santa ceia” da sua igreja.


10. A bênção com que Deus nos abençoa “em Cristo” nos livra do emaranhado representado pelo festival de besteiras representado pelas práticas descritas acima. Quanto sofrimento, angústia, dor e tormento espiritual e, muitas vezes até mesmo físico, quando nos recusamos a aceitar a simplicidade da bênção oferecida a nós “em Cristo” e nos metemos no cipoal religioso representado por todas estas idéias alistadas acima.

OUTROS ESTUDOS ACERCA DA IGREJA COMO CORPO DE CRISTO E NO PLANO ETERNO DE DEUS

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 001 — A Igreja

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 002 — A Unidade de Igreja

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 003 — Como a Unidade Funciona na Prática

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 004 — Como o Amor Funciona na Prática

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 005 — Unidade em Meio à Diversidade
A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 006 — Unidade Com Variedade Mas com Harmonia

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 007 — A Igreja Como o “Mistério” de Deus e Uma Introdução a Efésios 1:3—14

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 008 — Uma Introdução a Efésios 1:3—14

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 009 — A Bênção Espiritual — Efésios 1:3

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 010 — As Regiões Celestiais — Efésios 1:3

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 011 — Nossa Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — Parte 001
A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 012  A —Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 002

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 013 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 003

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 014 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 004

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 015 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 005

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 016 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 006

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 017 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 007 — O Mundo Nos Odeia

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 018 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 008 — Por que O Mundo Nos Odeia

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 019 — As Desculpas para Rejeitar a Jesus e o Evangelho da Graça — PARTE 001


Que Deus abençoe a todos. 

Alexandros Meimaridis
  
PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link: 


Desde já agradecemos a todos.



[1] Lloyd-Jones, D. M. O Supremo Propósito de Deus – Exposição sobre Efésios 1:1-23. Publicações Evangélicas Selecionadas – PES, São Paulo, 1996.
[2] Calvin, John. Commentary on Galatians and Ephesians. William B. Eerdmans Publishing Company, Grand Rapids, 1999.
[3] A Septuaginta, comumente identificada pelo símbolo LXX, é a tradução das escrituras hebraicas para o grego realizada no Egito sob o patrocínio de Ptolomeu II Filadelfo (285–246 a.C).
4 Murtonen, A. “The Use and Meaning of the Words lebarek e berakah in the Old Testament” VT 9 (1959), 158-177. 

Um comentário:

  1. JOEL CARVALHO - DF9 de junho de 2016 09:14

    Série esplêndida, que já salvei em PDF para ler cuidadosamente, como alguém em busca de um tesouro.

    ResponderExcluir