terça-feira, 9 de abril de 2013

SALMO 23:5C - O MEU CÁLICE TRANSBORDA




Esse artigo é parte da série "O Senhor é Meu Pastor do Salmo 23" e é muito recomendável que o leitor procure conhecer todos os aspectos das verdades contidas nesse Salmo, com aplicações para os nossos dias. No final do artigo você encontrará uma lista de todos os artigos dessa série. 


O MEU CÁLICE TRANSBORDA

Texto: Salmo 23:5c

Introdução.

• O Salmo 23 foi escrito da perspectiva de uma ovelha que se gaba dos excelentes cuidados que recebe do seu pastor.

• Entres os muitos cuidados que o pastor pode oferecer ao seu rebanho, nossa ovelha destaca os seguintes:

 Porque o meu pastor é o SENHOR, o Deus ETERNO, o Deus Altíssimo, o Deus Todo-Poderoso então, na me faltará.

 Ele me faz repousar em pastos verdejantes.

 Leva-me para junto das águas de descanso.

 Refrigera-me a alma.

 Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.

 Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque o teu bordão e o teu cajado me consolam.

 Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários.

 Unge-me a cabeça com óleo.

• Diante de todo esse cuidado, o salmista manifesta seu regozijo dizendo o seguinte:

O MEU CÁLICE TRANSBORDA

• Essa expressão tem um significado muito preciso em todas as culturas orientais. Da Palestina até a terra do sol nascente, o Japão, o transbordamento do cálice significa PLENITUDE de tudo que tem verdadeiro significado e valor para os seres humanos.

• Nem Davi, nem os orientais e muito menos nós aqui, estamos fazendo referências a bens materiais que são, tão facilmente confundidos, com verdadeiros motivos de plenitude nas sociedades consumistas do ocidente. A mentira é assim: quanto mais você tem, mais feliz você será.

• Não é disso que estamos falando aqui. Quando o salmista diz “o meu cálice transborda” ele está fazendo uma referência direta, em primeiro lugar, à unção da cabeça com óleo, como vimos na mensagem anterior, e a partir daí, a tudo o que veio antes. Tem tudo a ver com o cuidado e a presença de Deus e não tem nada a ver com as circunstâncias ao nosso redor.



I. Vivendo e Andando no Espírito

• Como cristão, todos nós fomos “ungidos”, e “selados” pelo Espírito Santo, além de termos recebido esse mesmo Espírito como penhor da parte de Deus – ver 2 Coríntios 1:21—22.

• Ora, se recebemos e fomos ungidos pelo próprio Espírito de Deus, o qual veio para habitar, de modo permanente, em nós então, nada mais óbvio do que as palavras que encontramos em Gálatas 5:25: Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.

• Então, como podemos “andar no Espírito Santo”? É simples. O que diz o Espírito Santo?
E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito – Efésios 5:18.

• Como posso ser cheio do Espírito Santo? Da mesma maneira que você foi salvo. O que temos que fazer para sermos salvos? Orar e aceitar, pela fé, a Jesus como nosso Senhor e Salvador.

• Não é diferente com o enchimento do Espírito Santo. Temos que nos voltar para Deus, a cada dia e, em oração, pedir em fé para recebermos o enchimento com o Espírito Santo.

• Se você crê nas palavras de Jesus acerca do Consolador, e crê que o Espírito Santo habita em você então, com fé sincera se entregue a ele todos os dias e peça para ele encher você.



II. Manifestando o Fruto do Espírito Santo

• Uma vez cheios do Espírito Santo, nós podemos experimentar o poder d’Ele para, com relação aos irmãos e irmãs:

 Admoestar os insubmissos.

 Consolar os desanimados.

 Amparar os fracos.

 Ser longânimos para com todos.

 Evitar que alguém retribua mal por mal.

 Possamos seguir sempre o bem entre nós– ver 1 Tessalonicenses 5:14—15.

• Com relação aos de fora, nós iremos experimentar o poder do Espírito para compartilhar as Boas Novas nos moldes com que Paulo instruiu a Timóteo, dizendo: Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina – 2 Timóteo 4:1—2.

• No mesmo contexto em que lemos a instrução, “Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito” – Gálatas 5:25 – nós também encontramos uma lista que demonstra, de fato, se estamos, ou não cheios do Espírito Santo.

• Trata-se de Gálatas 5:22—23 onde Paulo apresenta uma relação das características que o Espírito deseja manifestar em nós e através de nós:

 Amor - ἀγάπη – agápe – que descreve o amor sacrificial de Deus a nosso favor – ver 1 João 3:16.

 Alegria - χαρὰ - hará – mais do que alegria, faz referência a satisfação, que é independente das circunstâncias. É a alegria que derivamos dos relacionamentos.

 Paz - εἰρήνη – eiréne – a ênfase está na paz com Deus e na paz com as pessoas. É paz nos relacionamentos e não nas circunstâncias.

 Longanimidade - μακροθυμία – makrothumía - paciência, tolerância, constância, firmeza e perseverança. Todas essas palavras têm a ver com nossos relacionamentos.

 Benignidade - χρηστότης – krestótes – faz referência a bondade moral ou integridade.

 Bondade - ἀγαθωσύνη – agathosúne – descreve a retidão de coração e vida.

 Fidelidade - πίστις – pístis – manifesta nossa confiança em Deus e em Sua palavra, ao mesmo tempo em que manifesta nossa fidelidade e lealdade uns para com os outros.

 Mansidão - πραΰτης – praútes – carrega os conceitos de: gentileza e humildade.

 Domínio próprio - ἐγκράτεια – enkráteia – domínio dos desejos, especialmente os relacionados ao sexo.

• Agora, o mais bacana de tudo isso é que: contra essa manifestação do Espírito Santo em nossas vidas, não existe nenhuma lei. Nós podemos e devemos manifestar o fruto do Espírito o tempo todo e em todas as ocasiões.

Conclusão:

1. É com grande consternação que constato que a vasta maioria, do chamado povo de Deus, não tem a mínima noção da riqueza que a presença do Espírito Santo em nossas vidas pode nos oferecer.

2. Doutrinados por falsos mestres, os crentes do século XXI:

• São egoístas em vez de manifestar o verdadeiro amor.

• São tristes, por que não possuem os bens que tanto desejam.

• Não gozam de paz verdadeira, a menos que se sintam 100% saudáveis.

• Não têm a mínima tolerância, nem paciência para com os irmãos. Constância, firmeza e perseverança nos relacionamentos de uns para com os outros são qualidades totalmente ausentes. Pulam mais de denominação em denominação do que macacos entre árvores. Isso quando não abandonam a igreja de uma vez por todas.

• O egoísmo a que estamos acostumados e com o qual estamos confortáveis, destrói por completo a fibra de integridade e de bondade em nós. Não temos nem tempo nem interesse nos outros, quando estamos tão centrados em nós mesmos.

• Não confiamos no cuidado de Deus e por este motivo temos uma lista completa de pedidos para lhe apresentar. Nossa alegria, satisfação e segurança estão na concretização desses pedidos e não na presença gloriosa de Deus em nossas vidas.

• Gentileza e humildade? Pode esquecer.

• Domínio próprio? Fala sério! Não existe nenhum domínio próprio quando todas as nossas preocupações e cuidados giram ao redor dos nossos próprios interesses.

• É esse tipo de evangelho que está sendo proclamado nos dias de hoje. Pena.

3. O verdadeiro Evangelho, por outro lado, nos convida a encontrar plena satisfação em Deus e Sua Palavra.

• O profeta Isaías diz: Ah! Todos vós, os que tendes sede, vinde às águas; e vós, os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei; sim, vinde e comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite – Isaías 55:1—2.

• Jesus também convida: Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve – Mateus 11:28—30.

4. Nosso Bom Pastor, Jesus, tem prometido cuidar de nós e, de fato, ele tem cuidado de nós. Quando começamos a pensar em tudo o que Jesus tem para nos oferecer, não demoramos muito pra compreender que o nosso cálice também está transbordando com os cuidados e o carinho do nosso Bom Pastor por nós.

5. O apóstolo Paulo disse que Deus já nos abençoou com toda sorte de bênção espiritual em Cristo – ver Efésios 1:3. Aleluia! Glória a Deus.

6. Precisamos amadurecer e reconhecer quão distante nós temos andado da vida de plenitude na presença de Deus. Mas também precisamos confessar nosso pecado e abrir nossas vidas para que o Senhor nos encha e nos faça transbordar com as características da verdadeira vida em pleno controle do Espírito Santo.

Que nosso cálice transborde e que vivamos na plenitude do Espírito Santo é o que desejo para todos hoje.


OUTROS ESTUDOS DESSA SÉRIE PODEM SER ENCONTRADOS NOS LINKS ABAIXO:

001 – O SENHOR É O MEU PASTOR =

002 – NADA ME FALTARÁ =

003 – ELE ME FAZ REPOUSAR =

004 — AGUAS DE DESCANSO =

005 – REFRIGERA-ME A ALMA

006 – GUIA-ME PELAS VEREDAS DA JUSTIÇA

007 – AINDA QUE EU ANDE PELO VALE DA SOMBRA DA MORTE

008 — O TEU BORDÃO E O TEU CAJADO ME CONSOLAM

009 — PREPARAS-ME UMA MESA NA PRESENÇA DOS MEUS ADVERSÁRIOS

010 — UNGES-ME A CABEÇA COM ÓLEO

011 — O MEU CÁLICE TRANSBORDA


Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis 

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

Um comentário: