terça-feira, 24 de maio de 2016

EFÉSIOS - SERMÃO 024 – A UNIDADE DA IGREJA - EFÉSIOS 4:1—3



Esse esboço de sermão é parte da série "Exposição da Epístola aos Efésios" e é muito recomendável que o leitor procure conhecer todos os aspectos das verdades contidas nessa exposição, com aplicações para os nossos dias. No final do artigo você encontrará um link para outros estudos dessa série.

EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS


Introdução.

A. Nos três primeiros capítulos de Efésios Paulo descreveu os atos de Deus na história relacionados com a nossa salvação. Paulo falou acerca:

1. Da nossa eleição em Cristo antes da fundação do mundo.

2. Da nossa adoção para sermos membros da família de Deus.

3. Da nossa redenção ou libertação tanto da condenação como do poder do pecado.

4. Do perdão de todos os nossos pecados.

5. De termos sido selados com o Espírito Santo e de recebermos este mesmo Espírito como penhor ou garantia da nossa salvação eterna.

6. De como Deus, sendo rico em misericórdias, nos amou e nos salvou exclusivamente pela graça mediante a fé.

7. Do fato de que Jesus derrubou todas as paredes que causavam separação entre os homens e entre eles e Deus.

8. Da Igreja como uma nova sociedade idealizada por Deus, desenvolvida pelo Senhor Jesus e implementada pelo poder do Espírito Santo.

9. De que é necessário crescer na vida de fé até que sejamos tomados por toda a plenitude de Deus = sejamos iguais ao Senhor Jesus Cristo.

B. Agora, a partir do capítulo 4, Paulo vai falar acerca da nossa responsabilidade diante de tudo o que Deus fez. Dos novos padrões de comportamento compatíveis com a nova sociedade que Deus criou.

C. Os três últimos capítulos de Efésios estão repletos de mandamento diretos e implicações concretas para nossas vidas diárias.

D. A primeira e mais importante implicação para a vida de qualquer comunidade é:

A UNIDADE DA IGREJA

I. A Unidade é Fruto da Ação de Deus e não do Esforço Humano – Efésios 4:3.

A. Existem no Novo Testamento inúmeras passagens que nos ensinam acerca da unidade fundamental que existe na ἐκκλησία ekklissia. Esta unidade é tanto dos crentes individualmente com o Senhor Jesus, como uns com os outros.

1 Coríntios 12:12

Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo.

O corpo é corpo somente quando reconhece esta unidade!

Efésios 5:23

Porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo.

Apesar desta verdade alguns irmãos acham que eles é que são a cabeça da igreja!

B. Como é que alguém se torna parte da igreja que é o corpo de Cristo?

1 Coríntios 12:13 tem a resposta:

Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito.

Os cristãos constituem uma unidade porque a salvação através de Jesus Cristo é o ponto inicial da unidade.

C. O que é o Batismo com o Espírito Santo? É sermos colocados pelo Espírito Santo no Corpo de Cristo que é a igreja. Mas não fomos somente colocados pelo Espírito Santo no corpo de Cristo. A cada uma de nós, que cremos em Jesus, também nos foi concedidobeber de um só Espírito”. Isto é uma metáfora para indicar que o Espírito Santo veio habitar dentro de cada um de nós que cremos em Jesus. Cada crente e todo crente é habitado pelo Espírito de Deus e é parte da unidade que o Espírito Santo forma no corpo de Cristo que é a igreja —

Romanos 8:9

Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.

Efésios 4:3

Esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz.

Além disto, todo e cada crente foi ungido por Deus com o Espírito Santo e recebeu o Espírito Santo como selo e penhor  — garantia

2 Coríntios 1:21—22

21 Mas aquele que nos confirma convosco em Cristo e nos ungiu é Deus,

22 que também nos selou e nos deu o penhor do Espírito em nosso coração.

Não existem super crentes! Cada crente precisa se consagrar completamente a Jesus Cristo e se deixar absorver integralmente pelo ministério do Espírito Santo.

D. A unidade da igreja não está baseada, portanto, em relacionamentos artificiais nem organizacionais. Apesar dessas verdades, ainda assim existem pessoas que preferem se separar, “formar panelas” com outras pessoas que pensam e agem da mesma maneira. A dicotomia que existe de forma tão evidente entre o “povão” no dizer de um pastor presbiteriano da nossa cidade e os “ministros”, entre o “nós e o eles” é tão escandalosa que deveria nos fazer corar de vergonha o só pensarmos em promover tamanha iniquidade. Somos um no Senhor e nenhum crente possui absolutamente nada em que ele possa se gloriar ou usar para se mostrar arrogante com relação a outros crentes!

E. É por esses motivos que devemos esforçar-nos diligentemente por “PRESERVAR” e não por “CRIAR” a unidade do Espírito no vínculo da paz.

II. O Chamado que Recebemos de Deus — Efésios 4:1.

A. Como cristãos nós fomos chamados por Deus mesmo para participar de Sua família e do Seu povo. Como tal nós precisamos andar — viver no dia a dia — de modo digno do chamado que recebemos.

1. Em primeiro lugar devemos viver em unidade. Como uma família. Ver Efésios 4:16.

2. Em segundo lugar devemos viver em santidade. Ver Efésios 4:17—5:21.

III. Elementos Imprescindíveis à Unidade Cristã — Efésios 4:2.

A. De acordo com o apóstolo Paulo existem quatro características que precisam ser cultivadas entre os cristãos se queremos preservar a unidade que o Espírito Santo nos concede: humildade, mansidão, longanimidade, suportar uns aos outros.

B. Todas estas características precisam ser cultivadas em amor. A unidade da igreja depende do caráter moral dos seus membros e não das estruturas organizacionais.

C. Vamos analisar estas características:

1. Em primeiro lugar Paulo fala que precisamos de ταπεινοφροσύνης tapeinofrosúnis — humildade: Esta atitude não era reconhecida como louvável nos dias do Novo Testamento e da Igreja Primitiva. Pelo contrário, era vista como uma atitude servil e abjeta. Foi somente com o advento de Jesus que a humildade passou a ser reconhecida pelo seu verdadeiro valor. O próprio Senhor se caracterizou como sendo humilde —

Mateus 11:29

Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma.

E Jesus foi o único entre os mestres éticos e religiosos do mundo inteiro a estabelecer, como modelo a ser seguido, uma criança —

Mateus 18:1—6

1 Naquela hora, aproximaram-se de Jesus os discípulos, perguntando: Quem é, porventura, o maior no reino dos céus?

2 E Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles.

3 E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus.

4 Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no reino dos céus.

5 E quem receber uma criança, tal como esta, em meu nome, a mim me recebe.

6 Qualquer, porém, que fizer tropeçar a um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar.

2. Ser humilde significa reconhecer o valor que existe nas outras pessoas e indica a necessidade que temos de nos tornar servos uns dos outros como o fez Jesus —

Marcos 10:45

Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.

3. O oposto da humildade é o orgulho que é fruto da nossa vaidade pessoal. Somos todos filhos de Deus. Todos estamos numa mesma posição: em Cristo. Não existe nenhum espaço para ninguém se achar melhor que outro na igreja que é o Corpo do Senhor. O primeiro fator de desunião entre os cristão é o orgulho que se esconde no mais profundo do nosso ser e precisa ser duramente confrontado dia a dia.

4. A segunda característica é πραΰτητος praútetos — mansidão. Aristóteles reconhecia esta como uma verdadeira qualidade, pois ela significava o meio termo entre ficar muito irado e nunca ficar irado.

5. Humildade e mansidão formam um para perfeito — ver Mateus 11:29 acima. Da mesma maneira que o homem humilde não está preocupado com seus méritos, o homem manso, por sua vez, não está preocupado com seus direitos. Não existe no meio do povo de Deus nenhum espaço para que alguém sinta que possui mais direitos que as outras pessoas.

6. O oposto da mansidão é a arrogância que faz com que nos julguemos a nós mesmos além do que convém. Essa arrogância é também responsável por fomentar a desunião entre o povo de Deus.

7. As outras duas próximas qualidades μακροθυμίας makrothumías — longanimidade e ἀνεχόμενοι ἀλλήλων anechómenoi allélon — suportando-vos uns aos outros, também andam de mão dadas. Essa palavras nos falam da necessidade que temos de suportar os agravos que nos são feitos, sem retaliar —

1 Timóteo 1:16

Mas, por esta mesma razão, me foi concedida misericórdia, para que, em mim, o principal, evidenciasse Jesus Cristo a sua completa longanimidade, e servisse eu de modelo a quantos hão de crer nele para a vida eterna.

F. Elas também nos falam do exercício de tolerância, sem o qual, nenhum grupo humano – mesmo de 2 pessoas – pode sobreviver.

G. Todas as qualidades acima precisam estar firmemente amarradas pelo amor —

Colossenses 3:14

Acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição.

Conclusão:

A. A unidade que existe entre os cristãos é fruto da ação de Deus e não depende dos seres humanos para ser criada. Ela já existe! É nossa responsabilidade nos esforçar por preservar a unidade que o Espírito Santo de Deus nos concede.

B. O Senhor Jesus é nosso perfeito exemplo quando o assunto é humildade. Ele não somente disse que era humilde, mas viveu de forma prática e exemplar tal humildade:

Filipenses 2:3—8

3 Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo.

4 Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros.

5 Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,

6 pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus;

7 antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana,

8 a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.

C. Onde falta humildade, mansidão, longanimidade e uma atitude de aceitação de uns para com os outros sobram estruturas organizacionais gigantescas que servem apenas para nos devorar e nos destruir.

D. Que o amor, possa ser o norteador das nossas vidas à medida que nos esforçamos por preservar a unidade que Deus nos concede como mais um presente da sua graça superabundante. O amor como nos ensina a Bíblia é:

1 Coríntios 13:4—8

O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba; mas, havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará.


OUTRAS MENSAGENS DA SÉRIE NA EPÍSTOLA AOS EFÉSIOS

ALGUNS ASPECTOS DAS INSONDÁVEIS RIQUEZAS DE CRISTO COMO APRESENTADAS EM EFÉSIOS

EFÉSIOS 1:1—2 — SERMÃO 001 — INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA AOS EFÉSIOS

EFÉSIOS 1:3—14 — SERMÃO 002 — TODA SORTE DE BÊNÇÃO ESPIRITUAL

EFÉSIOS 1:4—6 — SERMÃO 003 —A BÊNÇÃO DA NOSSA ELEIÇÃO POR DEUS

EFÉSIOS 1:7—8 — SERMÃO 004 —A BÊNÇÃO DA NOSSA REDENÇÃO

EFÉSIOS 1:9—10 — SERMÃO 005 —A BÊNÇÃO DA UNIFICAÇÃO DE TODAS AS COISAS EM CRISTO

EFÉSIOS 1:11—14 — SERMÃO 006 — A BÊNÇÃO DE DEUS EM PERSPECTIVA

EFÉSIOS 1:15—16— SERMÃO OO7 — A IMPORTÂNCIA DA FÉ E DO AMOR

EFÉSIOS 1:16—17 — SERMÃO OO8 — A IMPORTÂNCIA DO ESPÍRITO SANTO EM NOSSAS VIDAS

EFÉSIOS 1:18—21 — SERMÃO OO9 — A ESPERANÇA DO SEU CHAMAMENTO EM NOSSAS VIDAS

EFÉSIOS 1:18—21 — SERMÃO O10 — A RIQUEZA DA GLÓRIA DA SUA HERANÇA NOS SANTOS

EFÉSIOS 1:18—21 — SERMÃO O11 — A SUPREMA RIQUEZA DO SEU PODER

EFÉSIOS 1:22—23 — SERMÃO O12 — A IGREJA E CRISTO COMO PLENITUDE

EFÉSIOS 2:1—3 — SERMÃO O13 — A CONDIÇÃO DO SER HUMANO SEM DEUS

EFÉSIOS 2:4—10 — SERMÃO 014 — A CONDIÇÃO HUMANA  PELA GRAÇA DE DEUS

O QUE DEUS FEZ POR NÓS — SALVAÇÃO

PARA O QUE DEUS NOS SALVOU?

EFÉSIOS 2:11—12 — SERMÃO 015 — NOSSA PRECÁRIA CONDIÇÃO ANTES DE CRISTO VIR AO MUNDO

A VERDADEIRA CIRCUNCISÃO E O VERDADEIRO BATISMO

EFÉSIOS 2:13—18 — SERMÃO 016 — NOSSA NOVA CONDIÇÃO “EM CRISTO”

EFÉSIOS 2:19—22 — SERMÃO 017 — A IGREJA COMO CIDADÃOS, FAMÍLIA E TEMPLO

EFÉSIOS 3:1—7 — SERMÃO 018 — A REVELAÇÃO DO MISTÉRIO DE DEUS

EFÉSIOS 3:8—13 — SERMÃO 019 — PAULO COMO INSTRUMENTO DE DEUS

EFÉSIOS 3:1—13 — SERMÃO 020 — A RELEVÂNCIA DA IGREJA

EFÉSIOS 3:14—21 — SERMÃO 021 — A PATERNIDADE DE DEUS AO QUAL ORAMOS

EFÉSIOS 3:14—21 — SERMÃO 022 — A ORAÇÃO DE PAULO A FAVOR DOS EFÉSIOS

EFÉSIOS 3:14—21 — SERMÃO 023 — A GLÓRIA DEVIDA A DEUS
EFÉSIOS 4:1—3 — SERMÃO 024 — A UNIDADE DA IGREJA

EFÉSIOS 4:4—6 — SERMÃO 025 — A IGREJA É UNA PORQUE DEUS É UM

EFÉSIOS 4:7—10 — SERMÃO 026 — UNIDADE EM MEIO A DIVERSIDADE

EFÉSIOS 4:11 — SERMÃO 027 — OS DONS DE EDIFICAÇÃO DA IGREJA
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2016/12/efesios-sermao-027-os-dons-de-ensino-e_26.html

Que Deus Abençoe a Todos

Alexandros Meimaridis 

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário