terça-feira, 2 de outubro de 2012

SALMOS 23:3a - REFRIGERA-ME A ALMA SERMÃO 005



Resultado de imagem para agua corrente

Esse artigo é parte da série "O Senhor é Meu Pastor do Salmo 23" e é muito recomendável que o leitor procure conhecer todos os aspectos das verdades contidas nesse Salmo, com aplicações para os nossos dias. No final do artigo você encontrará uma lista de todos os artigos dessa série.

REFRIGERA-ME A ALMA

Texto: Salmo 23:3a

Introdução.

• O Salmo 23 foi escrito por Davi que era pastor de ovelhas. Mas ele não escreveu o Salmo da perspectiva do pastor e sim da perspectiva da ovelha.

• Para Davi, nós, os seres humanos, somos como ovelhas, das quais, o Deus ETERNO é o pastor. É Ele quem, de forma uniforme e graciosa, supre as necessidades e guia todos os que lhe pertencem.

• Em tempos posteriores, os profetas se apropriaram desta imagem e anunciaram também a vinda do SENHOR como pastor:

 Isaías 40:11 - Como pastor, apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos e os levará no seio; as que amamentam ele guiará mansamente.

 Ezequiel 34.23 - Suscitarei para elas um só pastor, e ele as apascentará; o meu servo Davi é que as apascentará; ele lhes servirá de pastor.

• Davi sabia o que era estar abatido e desalentado. Algumas vezes essas circunstâncias tinham a ver com seu próprio pecado, outras eram resultado do pecado de terceiros:

 Depois de ter sido ungido rei por Samuel, a próxima notícia que ouviu foi que o rei Saul tinha colocado sua cabeça à prêmio. Durante muito tempo teve que fugir, se escondendo de caverna em caverna, da perseguição de Saul que desejava matá-lo.

 Quando Saul morreu, em uma guerra contra os filisteus, o exército e o povo de Israel se uniram no propósito de fazer Davi rei sobre Israel – ver 1 Crônicas 12:38.

 Davi resolveu então, levar a Arca de Deus, que estava em Quriate-Jearim, de volta para Jerusalém – ver 1 Crônicas 13:1—4. Mas essa tentativa foi feita sem que se levasse em conta as instruções precisas, dadas por Deus, com respeito ao transporte da Arca da Aliança. A mesma deveria ser transportada exclusivamente por levitas – ver Números 1:49—53. Por não ter obedecido o mandamento de Deus, um homem chamado Uzá, acabou pagando com a própria vida por ter estendido a mão para amparar a Arca – ver 1 Crônicas 13:6—10.

 Davi ficou muito chateado com tudo aquilo, mas a chateação dele, como a do profeta Jonas – ver Jonas 4:6—11 - não era razoável.

 A pergunta contida em 1 Crônicas 13:13 é que deveria ter sido feita antes de se meter naquela aventura. Depois, seguindo as instruções de Deus, ele conseguiu levar a Arca de Deus para Jerusalém – ver 1 Crônicas 15.

 Mais adiante, Davi pecou adulterando com Bate-Seba e, tendo ela ficado grávida, mandou matar seu esposo, Urias. Foi duramente confrontado pelo profeta Natã – ver 2 Samuel 12:1—7. Por este motivo Davi pagou um alto preço: 1) seu filho Amon estuprou sua meia-irmã Tamar e foi, por sua vez, assassinado pelo seu meio-irmão Absalão – ver 2 Samuel 13: 2) em seguida Absalão deu um golpe de estado e Davi teve que fugir de Jerusalém – ver 2 Samuel 15; 3) ao retomar o reino, Davi teve o desgosto de ver seu filho Absalão também ser Assassinado – ver 2 Samuel 18; 4) depois de ter reassumido seu reino, Seba, um benjaminta como Saul, causou outra sedição tentando remover Davi do trono – ver 2 Samuel 20.

 Já próximo do final da sua vida Davi teve ainda que enfrentar dois grandes desgostos: 1) o primeiro foi resultado direto de sua própria arrogância ao mandar fazer um censo do povo de Israel. Mesmo sendo advertido por Joabe, Davi prosseguiu com seus planos, e as conseqüências foram terríveis: setenta e cinco mil homens perderam a vida e isso angustiou muito a Davi – ver 2 Samuel 24:1—17; 2) por fim, já bastante velinho, teve o desgosto de ver um de seus filhos, Adonias, tentar usurpar o trono que havia sido dado a Salomão. Para endireitar aquele estado de coisas, teve que ver Adonias ser morto.

• Diante de todas essas coisas, não devemos nos admirar que Davi reconhecesse, como uma das maneiras mais preciosas do cuidado de Deus em nossas vidas, o fato de que o ETERNO...

REFRIGERA-ME A ALMA

I. Ovelhas também enfrentam Problemas e Dificuldades.

• Entre todas as dificuldades que uma ovelha pode enfrentar em sua vida e precisar da intervenção direta do pastor, as mais comuns são:

 Ataques de predadores – vamos falar mais sobre isso em outras mensagens. Mas aqui é suficiente dizer que ovelhas não conseguem proteger a si mesmas, contra ataques de lobos, urubus etc.

 O risco de “virar”. Ovelhas, por serem animais de corpos grandes e roliços e pernas, relativamente curtas, quando viram de barriga para cima e ficam com as pernas no ar, não conseguem se desvirar a menos que sejam ajudadas.

 O Desconforto causado pelo excesso de pelos—lã—que precisa, necessariamente, para o bem estar da própria ovelha, ser tosado de tempos em tempos

 O risco de se extraviar e se perder.

• Em cada uma destas circunstâncias, o pastor precisa intervir e tal intervenção faz toda diferença se a ovelha vai viver ou morrer.

II. Porque e Como Deus Refrigera Nossas Almas

• Vimos como a vida de Davi foi marcada por atos estúpidos, por perseguições, traições, dor e sofrimento. Mas foi em meio a todo esse cipoal de dificuldades ele aprendeu muitas lições preciosas. Por exemplo:

 Salmos 42:11 - Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu.

 Salmos 56:13 - Pois da morte me livraste a alma, sim, livraste da queda os meus pés, para que eu ande na presença de Deus, na luz da vida.

• Se não tivesse passado pelas dificuldades que passou, não teria a oportunidade de aprender as lições que aprendeu.

• Tribulações e provações são parte do propósito integral de Deus em nossas vidas:

 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado – Romanos 5:3—5.

 Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes. – Tiago 1:2—4.

• Sem dificuldades, representadas por tribulações e provações não existe crescimento na vida cristã, especialmente, o crescimento que nos faz semelhantes ao Senhor Jesus, o qual foi aperfeiçoado—tornou-se perfeito modelo— por meio do sofrimento.

• Sofrer por Cristo é parte do nosso chamado para seguir a Jesus: Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele – Filipenses 1:29.

• Mas, mesmo no meio de todas estas dificuldade, nós, a exemplo de Davi não somos deixados sozinhos.

• Deus está sempre próximo, para refrigerar nossas almas.

III. Jesus – Nosso Bom Pastor e Aquele Que Refrigera Nossas Almas.

• Começando com a parábola da ovelha perdida – ver Lucas 15:4—7 – Jesus é aquele que veio buscar e salvar o que estava perdido – ver Lucas 19:10.

• Estávamos perdidos, extraviados. Alguns de nós, talvez, além de perdidos estávamos “virados” com as patas para o ar. Frustrados e desalentados foi assim que o Senhor nos encontrou, quando ouvimos o convite do Bom Pastor que diz: Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei - Mateus 11:28.

• Muitos acreditam que quando um filho de Deus tropeça e peca, quando se sente frustrado e desamparado, quando está enfrentando um sério problema, de qualquer natureza, o SENHOR está desgostoso com ele.

Alguns acham que Deus fica, até mesmo, furioso. Nada disso é verdade. Deus tem compaixão de nós. Tudo o que precisamos fazer é nos voltar para Deus e arrependidos, caso tenhamos pecado, dizer: Bom Pastor, refrigera minha alma.

• Outros acham que o sucesso material é medida de saúde espiritual. Não é! Que a parábola do homem rico e tolo – ver Lucas 12:16—21 – nos ajude a manter a sobriedade. A enxergar a realidade do nosso coração cobiçoso, por trás da nossa pretensa devoção ao Senhor.

Conclusão:

1. Hoje vivemos tempos em que o evangelho que está sendo pregado, não tem nada a ver com o verdadeiro evangelho. Trata-se do evangelho da auto-ajuda, do bem-estar, da ausência de lutas e dificuldade. Evangelho da prosperidade e do milagre na saúde. Esse tipo de evangelho não presta para nada. Serve apenas para enganar as pessoas que desejam ser enganadas – ver 2 Timóteo 4:3—4. É um evangelho que não salva ninguém porque não encara o paradoxo proposto por Jesus: Quem quiser, pois, salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por causa de mim e do evangelho salvá-la-á Marcos 8:35.

2. Quando Deus nos encontra, ele nos oferece o que precisamos de verdade: perdão, libertação, consolação. Nossos corações nos enganam com muita facilidade e achamos que precisamos de muitas coisas que não são realmente necessárias. Como disse o poeta:

Pode não ser essa mulher o que lhe falta
Pode não ser esse calor o que faz mal
Pode não ser essa gravata o que sufoca
Ou essa falta de dinheiro, que é fatal – Parte do poema “Que as Crianças cantem Livres – Taiguara.”

Jesus, verdadeiramente, refrigera nossas almas!

3. Temos que entender que é apenas natural buscar nossa comodidade, nosso conforto, nossa segurança. É normal, como pecadores, querermos evitar as dificuldades, os problemas e os sofrimentos. Mas sem essas coisas, como poderemos aprender a confiar em Deus. A depender de sua provisão e cuidado?

4. Precisamos mudar nossa atitude com urgência. Em vez de desejar nos livrar das dificuldades e problemas, procuremos enxergar nelas o que Deus quer nos ensinar. Que nosso anseio seja, acima de tudo, pelo refrigério que o Senhor tem para nos oferecer. Chega de nhê-nhê-nhê, chega de reclamar. Encaremos as tribulações e provações amparados pela graciosa presença de Deus em nossas vidas. Somente o SENHOR, o Bom Pastor, pode refrigerar nossas almas.

5. Como as ovelhas tosquiadas, devemos nos alegrar em nos ver livres de nós mesmos, para seguirmos o Bom Pastor, com descontração e verdadeira alegria, mesmo em meio a grandes dificuldades. Isso é verdadeiro refrigério.

6. Jesus tinha verdadeiro gozo dentro de si. Era a alegria do Espírito Santo que não dependia das circunstâncias. Ele disse: Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo - João 15:11.

7. Que possamos sempre ter e manifestar esse gozo do Espírito Santo que não depende de nada, pois é completo em si mesmo.

OUTROS ESTUDOS DESSA SÉRIE PODEM SER ENCONTRADOS NOS LINKS ABAIXO:

001 – O SENHOR É O MEU PASTOR =

002 – NADA ME FALTARÁ =

003 – ELE ME FAZ REPOUSAR =

004 — AGUAS DE DESCANSO =

005 – REFRIGERA-ME A ALMA

006 – GUIA-ME PELAS VEREDAS DA JUSTIÇA

007 – AINDA QUE EU ANDE PELO VALE DA SOMBRA DA MORTE

008 — O TEU BORDÃO E O TEU CAJADO ME CONSOLAM

009 — PREPARAS-ME UMA MESA NA PRESENÇA DOS MEUS ADVERSÁRIOS

010 — UNGES-ME A CABEÇA COM ÓLEO

011 — O MEU CÁLICE TRANSBORDA

012 — BONDADE E MISERICÓRDIA CERTAMENTE ME SEGUIRÃO TODOS OS DIAS DA MIMHA VIDA

013 — E HBITAREI NA CASA DO SENHOR PARA TODO O SEMPRE
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2013/06/salmos-236b-e-habitarei-na-casa-do.html

Deus abençoe a todos nós.

Alexandros Meimaridis 

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

3 comentários: