quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus – ESTUDO 019 — A RECUSA EM ACEITAR O SENHOR JESUS — PARTE 001


Resultado de imagem para porque o evangelho incomoda

NESSA SÉRIE NÓS ESTAMOS TRATANDO DE DOIS ASPECTOS IMPORTANTES ACERCA DA VERDADEIRA IGREJA: 1) A IGREJA COMO CORPO DE CRISTO; E 2) A IGREJA NO PLANO ETERNO DE DEUS. CONVIDAMOS TODOS OS NOSSOS LEITORES A ACOMPANHAREM ESSA SÉRIE E COMPARTILHAREM A MESMA COM TODOS OS SEUS CONHECIDOS, AMIGOS E IRMÃOS. OUTROS ESTUDOS DESSA SÉRIE PODERÃO SER ENCONTRADOS POR MEIO DE LINKS NO FIM DE CADA ESTUDO.

C. DESCULPAS E MAIS DESCULPAS NA REJEIÇÃO DE JESUS E DO EVANGELHO DA SALVAÇÃO

1. As desculpas daqueles que ouvem a mensagem do evangelho e recusam aceitá-la não é admissível diante do Deus ETERNO. Como vimos, Jesus disse:

João 15:22

Se eu não viera, nem lhes houvera falado, pecado não teriam; mas, agora, não têm desculpa do seu pecado.


João 9:41

Respondeu-lhes Jesus: Se fôsseis cegos, não teríeis pecado algum; mas, porque agora dizeis: Nós vemos, subsiste o vosso pecado.

Esta verdade possui as seguintes implicações:

a. Se Cristo não tivesse vindo pessoalmente estas pessoas não poderiam ser acusadas de O terem desprezado. Agora, todavia, essas pessoas são indesculpáveis, pois rejeitaram sua oferta que diz:

Romanos 5:20

Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça.

Recusar o evangelho da graça é o único pecado capaz de condenar uma pessoa a viver toda eternidade fora da presença de Deus em um lugar de tormentos.

b. A gravidade desse pecado, rejeitar o Senhor Jesus e Sua oferta graciosa, pode ser vista também no fato de que Deus não levou em conta os tempos da ignorância, mas agora com o advento de Cristo, esta situação mudou —

Atos 17:29—31

29 Sendo, pois, geração de Deus, não devemos pensar que a divindade é semelhante ao ouro, à prata ou à pedra, trabalhados pela arte e imaginação do homem.

30 Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam;

31 porquanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio de um varão que destinou e acreditou diante de todos, ressuscitando-o dentre os mortos.

Veja a reação dos gregos em Atenas acerca das palavras que acabamos de ler —

Atos 17:32

Quando ouviram falar de ressurreição de mortos, uns escarneceram, e outros disseram: A respeito disso te ouviremos noutra ocasião.


Esta é atitude que torna os homens indesculpáveis.

c. Mas a situação dessas pessoas é ainda mais grave. Isso pode parecer impossível, mas é real. Todos que recusam o evangelho transformam em algo vão, tanto as palavras de Cristo, quanto Seu convite, bem como Seus argumentos com que pleiteou com eles. Por todos estes motivos essas pessoas são indesculpáveis. No dia do Juízo, quando forem confrontados com estes fatos não terão nada que possam dizer em defesa própria. Quanto maior é o anúncio do Evangelho, mais abrangente a propagação da verdade e mais fácil o acesso à informação, tanto mais culpados se fazem aqueles que rejeitam o Senhor e Sua palavra. 

2. O segundo motivo porque aqueles que rejeitam — odeiam — a Cristo são indesculpáveis é porque tudo o que Jesus fez e ensinou era digno ou merecia ser recebido com gratidão e amor. Foi o próprio Senhor Jesus quem disse:

João 15:24

Se eu não tivesse feito entre eles tais obras, quais nenhum outro fez, pecado não teriam; mas, agora, não somente têm eles visto, mas também odiado, tanto a mim como a meu Pai.

Assim, a incredulidade bem como a inimizade dessas pessoas as torna indesculpáveis. Talvez alguns tentassem se justificar alegando que as palavras de Jesus eram iguais as de qualquer outro rabino daqueles dias. Afinal, palavras são apenas palavras! Mas não, as palavras de Jesus foram acompanhadas por poderosas obras e manifestações do poder de Deus como “nenhum outro fez”. Jesus ofereceu provas contundentes acerca do fato de que Sua missão era mesmo ordenada pelo Deus ETERNO, o mesmo “Eu Sou”  יְהוָֹה YHVH — o ETERNO do Antigo Testamento — ver Êxodo 3:14. A expressão “Eu Sou o que Eu Sou” é literalmente grafada como segue em hebraico: אֶהְיֶה אֲשֶׁר אֶהְיֶה.

As implicações dessa verdade são como seguem:

a. 1. Da mesma maneira que o Criador demonstra seu poder e soberania através de suas obras e essa demonstração torna os homens indesculpáveis —

Romanos 1:20

Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis.

o mesmo é verdadeiro com relação ao Redentor. O Senhor Jesus por meio dos Seus milagres, Sua compaixão, Seus ensinamentos maravilhosos e Sua obra graciosa demonstrou, claramente, que Ele havia sido enviado pelo Deus ETERNO para o meio de uma humanidade perdida e morta em delitos e pecados —

Lucas 19:10

Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido.


Efésios 2:1

Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,

b. . As obras que Cristo realizou foram de tal magnitude como nenhum outro fez. O próprio Nicodemos que era um entre os maiorais dos judeus nos dias de Jesus, reconheceu que Jesus tinha recebido um comissionamento da parte do Deus ETERNO, pois ninguém poderia fazer os milagres que Jesus fazia se Deus não estivesse com aquela pessoa —

João 3:1—2

1  Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus.

2  Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.

Na história do povo de Deus ninguém fez tantos milagres, de tal magnitude e tão notáveis quanto Jesus fez —

João 20:29—31

30 Na verdade, fez Jesus diante dos discípulos muitos outros sinais que não estão escritos neste livro.

31 Estes, porém, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.

João 21:25

Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez. Se todas elas fossem relatadas uma por uma, creio eu que nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos.

Mesmo Moisés e Elias que realizaram milagres impressionantes, o fizeram como servos usando um poder que não era deles mesmos. O mesmo aconteceu com Pedro e João —

Atos 3:12

À vista disto, Pedro se dirigiu ao povo, dizendo: Israelitas, por que vos maravilhais disto ou por que fitais os olhos em nós como se pelo nosso próprio poder ou piedade o tivéssemos feito andar?

e o próprio Paulo —

Atos 14:8—17

8 Em Listra, costumava estar assentado certo homem aleijado, paralítico desde o seu nascimento, o qual jamais pudera andar.

9 Esse homem ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos e vendo que possuía fé para ser curado,

10 disse-lhe em alta voz: Apruma-te direito sobre os pés! Ele saltou e andava.

11 Quando as multidões viram o que Paulo fizera, gritaram em língua licaônica, dizendo: Os deuses, em forma de homens, baixaram até nós.

12 A Barnabé chamavam Júpiter, e a Paulo, Mercúrio, porque era este o principal portador da palavra.

13 O sacerdote de Júpiter, cujo templo estava em frente da cidade, trazendo para junto das portas touros e grinaldas, queria sacrificar juntamente com as multidões.

14 Porém, ouvindo isto, os apóstolos Barnabé e Paulo, rasgando as suas vestes, saltaram para o meio da multidão, clamando:

15 Senhores, por que fazeis isto? Nós também somos homens como vós, sujeitos aos mesmos sentimentos, e vos anunciamos o evangelho para que destas coisas vãs vos convertais ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que há neles;

16 o qual, nas gerações passadas, permitiu que todos os povos andassem nos seus próprios caminhos;

17 contudo, não se deixou ficar sem testemunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo o vosso coração de fartura e de alegria.

Mas o Senhor Jesus usou Sua própria autoridade e poder. Esta atitude do Senhor Jesus não passava despercebida às pessoas que tiveram oportunidade de testemunhar os acontecimentos —

Mateus 7:28—29

28 Quando Jesus acabou de proferir estas palavras, estavam as multidões maravilhadas da sua doutrina;

29 porque ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas.

Mateus 9:6—8

6 Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados — disse, então, ao paralítico: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa.

7  E, levantando-se, partiu para sua casa.

8  Vendo isto, as multidões, possuídas de temor, glorificaram a Deus, que dera tal autoridade aos homens.


Mateus 10:1

Tendo chamado os seus doze discípulos, deu-lhes Jesus autoridade sobre espíritos imundos para os expelir e para curar toda sorte de doenças e enfermidades.


Marcos 1:27

Todos se admiraram, a ponto de perguntarem entre si: Que vem a ser isto? Uma nova doutrina! Com autoridade ele ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem!


Marcos 2:12

Então, ele se levantou e, no mesmo instante, tomando o leito, retirou-se à vista de todos, a ponto de se admirarem todos e darem glória a Deus, dizendo: Jamais vimos coisa assim!


Por outro lado, depois de exaustivas provas, os líderes judeus ainda questionavam a Jesus acerca de “com que autoridade ele fazia o que fazia e quem lhe dera tal autoridade?” – ver Mateus 21:23. Todas as obras que Jesus fez eram boas obras, eram obras de misericórdia e esses fatos fazem com que seja realmente incompreensível a atitude daquelas pessoas em o odiarem. Tal atitude nos mostra quão distorcido é o caráter das pessoas caídas que são capazes de morder a mão que lhes está estendida para salvá-los! Não houve nenhuma outra pessoa que fosse universalmente tão útil, mais do que qualquer outro ser humano, como o Senhor Jesus foi. Era de se esperar que Ele fosse amado e respeitado universalmente. No entanto a triste realidade é que em troca por todo o bem feito, o Senhor recebeu ódio e desprezo —

Isaías 53:3

Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso.

OUTROS ESTUDOS ACERCA DA IGREJA COMO CORPO DE CRISTO E NO PLANO ETERNO DE DEUS

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 001 — A Igreja

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 002 — A Unidade de Igreja

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 003 — Como a Unidade Funciona na Prática

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 004 — Como o Amor Funciona na Prática

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 005 — Unidade em Meio à Diversidade

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 006 — Unidade Com Variedade Mas com Harmonia

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 007 — A Igreja Como o “Mistério” de Deus e Uma Introdução a Efésios 1:3—14

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 008 — Uma Introdução a Efésios 1:3—14

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 009 — A Bênção Espiritual — Efésios 1:3

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 010 — As Regiões Celestiais — Efésios 1:3

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 011 — Nossa Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — Parte 001

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 012  A —Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 002

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 013 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 003

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 014 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 004

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 015 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 005

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 016 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 006

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 017 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 007 — O Mundo Nos Odeia

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 018 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 008 — Por que O Mundo Nos Odeia

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 019 — As Desculpas para Rejeitar a Jesus e o Evangelho da Graça — PARTE 001

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 020 — As Desculpas para Rejeitar a Jesus e o Evangelho da Graça — PARTE 002

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 021 — As Desculpas para Rejeitar a Jesus e o Evangelho da Graça — PARTE 003
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2017/01/a-igreja-como-corpo-de-cristo-e-no_6.html

Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:

http://www.facebook.com/pages/O-Grande-Diálogo/193483684110775

Desde já agradecemos a todos.           

Nenhum comentário:

Postar um comentário