sábado, 6 de maio de 2017

SALMO 130 - SERMÃO 003 — NOSSA DESESPERADA CONDIÇÃO — SALMOS 130:3


Resultado de imagem para condição humana

O Salmo 130 é bem conhecido pelas suas primeiras palavras em latim: De Profundis ou Das profundezas. O salmo é um clamor profundo que brota do coração de um ser humano tomado pela mais intensa perturbação por causa da inquietude causada pelo pecado pessoal. Em meio à sua dor, o Salmista manifesta sua plena confiança em ser perdoado pelo Deus ETERNO.

“DE PROFUNDIS”

Uma Exposição Bíblica e Teológica do Salmo 130

Introdução

A. Na última mensagem nos falamos acerca do fato que aquilo que realmente importa no nosso relacionamento com Deus, quando oramos, não é tanto que Deus responda nossas orações, mas que tenhamos a certeza de que Ele nos ouve. O Salmista clama a Deus:  שָׁמָע shama`— “ESCUTA” — Salmos 130:2

B. Uma vez que temos certeza de que Deus nos ouve, nós podemos descansar tranquilos sabendo que O SENHOR irá sempre responder às nossas orações com base em duas verdades:

1. Deus responde nossas orações de acordo com aquilo que ele sabe ser o melhor para nós.

2. Deus responde nossas orações de acordo com aquilo que irá produzir a maior glorificação do seu nome.

C. O autor desse Salmo tinha plena consciência de sua real e desesperada condição como pecador diante de Deus. Ele sabia o que era: PECADOR. Ele também sabia o que Deus era: UM DEUS ABSOLUTAMENTE SANTO. Esse dois fatores incomodavam o Salmista profundamente.

D. No Salmo 130:3 o Salmista reflete acerca de outra realidade: TODOS SÃO PECADORES DIANTE DE DEUS E SE DEUS LEVAR EM CONTA SOMENTE OS NOSSOS PECADOS, E ELE MESMO NÃO FIZER NADA PARA NOS AJUDAR, ENTÃO, NINGUÉM SOBREVIVERÁ! 

E. É em cima das palavras do Salmo 130:3 que queremos meditar hoje, acerca

DA NOSSA DESESPERADA CONDIÇÃO DIANTE DE UM DEUS SANTO

I. Quem é Pecador?

A. O termo hebraico שָׁמָר shamar — traduzido por “observares” indica uma observação diligente capaz de reter em perpétua memória tudo o que os seres humanos fazem. Mas note como Jó, já possuía uma compreensão da misericórdia de Deus:

Jó 14:15—17

15 Chamar-me-ias, e eu te responderia; terias saudades da obra de tuas mãos;

16 e até contarias os meus passos e não levarias em conta os meus pecados.

17 A minha transgressão estaria selada num saco, e terias encoberto as minhas iniquidades.

B. Se Deus exercer sua justiça de forma estrita e chamar cada ser humano para comparecer diante dEle, nossa reação seria como aquela descrita no Apocalipse que diz:

Apocalipse 6:15—17

15 Os reis da terra, os grandes, os comandantes, os ricos, os poderosos e todo escravo e todo livre se esconderam nas cavernas e nos penhascos dos montes

16 e disseram aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós e escondei-nos da face daquele que se assenta no trono e da ira do Cordeiro,

17 porque chegou o grande Dia da ira deles; e quem é que pode suster-se?

C. É verdade que Deus tem um registro rigoroso de tudo o que fazemos, pensamos, dizemos ou deixamos de fazer. Todavia, Ele não reage imediatamente. Deus é paciente, é longânimo, é misericordioso e, por isso, deixa o julgamento sempre para mais adiante, enquanto nos dá oportunidade de nos arrependermos. É como diz o Salmista:

Salmos 103:10

Não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui consoante as nossas iniquidades.

D. O Salmista do nosso Salmo tem plena consciência dessas realidades, mas ele sente o peso do seu próprio pecado e é isso que o faz não apenas clamar com um suplicante, mas confessar reconhecendo-se um pecador diante de Deus.

E. A convicção da sua própria pecaminosidade lhe dá plena certeza que nenhum ser humano pode יַעֲמֹד `amad — subsistir, no sentido de manter-se firme em pé diante do Deus que é Santo, como os homens de Bete-Semes haviam reconhecido nos dias do profeta Samuel:

1 Samuel 6:20

Então, disseram os homens de Bete-Semes: Quem poderia estar perante o SENHOR, este Deus santo? E quem subirá desde nós?

F. O Salmista sabe que:

1 João 5:19

Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno.

G. O pior erro que uma pessoa pode cometer é se autoiludir pensando que não é pecadora e que não se encontra sob a ira do Deus Todo Poderoso.

H. A resposta a nossa pergunta do início — Quem é Pecador? — já tem sua resposta: Todos nós somos pecadores.

II. Sendo Pecadores, Quem Poderá Subsistir Diante do Deus Santo?

A. Absolutamente ninguém poderá subsistir diante de um Deus Santo, se o próprio Deus não fizer nada a nosso favor. Nossa condição é bem descrita pelo apóstolo Paulo que faz um apanhado de vários Salmos e do profeta Isaías, quando diz:

Romanos 3:10—18

10 Como está escrito: Não há justo, nem um sequer,

11 não há quem entenda, não há quem busque a Deus;

12 todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer.

13 A garganta deles é sepulcro aberto; com a língua, urdem engano, veneno de víbora está nos seus lábios,

14 a boca, eles a têm cheia de maldição e de amargura;

15 são os seus pés velozes para derramar sangue,

16 nos seus caminhos, há destruição e miséria;

17 desconheceram o caminho da paz.

18 Não há temor de Deus diante de seus olhos.

B. O texto de Paulo é compilado dos seguintes Salmos e de Isaías:

1. Romanos 3:10—12 de Salmos 14:1—3; 53:1—3.

2. Romanos 3:13 de Salmos 5:9; 140:3.

3. Romanos 3:14 de Salmos 10:7.

4. Romanos 3:15—17 de Isaías 59:7—8

5. Romanos 3:18 de Salmos 36:1.

C. Deus, o SENHOR, irá certamente nos trazer diante do seu tribunal, crentes e incrédulos. Nesse sentido eu concordo com o nosso irmão Júlio Xavier quando diz: “Todos os caminhos conduzem realmente para Deus, i. e., para o grande Juízo de Deus!”

D. Existem apenas duas maneiras de comparecer diante de Deus no dia do Juízo:

1. Revestido de Cristo — vamos falar mais sobre isso na conclusão.

2. Vestido com as próprias obras que a Bíblia chama de trapos de imundícia.

Isaías 64:6

Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades, como um vento, nos arrebatam.

E. Mas, no próximo verso, que iremos ver na mensagem seguinte, o Salmista irá nos mostrar que existe um caminho para sair das profundezas.

Conclusão

A. Quando nos aproximamos de Deus devemos ter três coisas em mente:

1. Em primeiro lugar precisamos reconhecer que nosso Deus é Santo e Justo e ele será reto Juiz de todos os nossos pensamentos e atos de comissão ou omissão.

2. Depois precisamos reconhecer que somos pecadores terríveis, mesmo que não cometamos pecados como assassinatos, estupros e etc.

3. Por fim precisamos reconhecer que Deus nos ama e porque Ele nos ama, foi que enviou Seu único Filho — Jesus, o Cristo — para ser nosso Salvador.

B. Como Jesus se tornou nosso único Salvador? Ele fez isso através de 4 grandes atos de Deus na história. Esses atos foram únicos, exclusivos e não podem ser repetidos. Nós estamos falando que nossa salvação foi alcançada da seguinte maneira:

1. CRUCIFICAÇÃO — RECONCILIAÇÃO COM DEUS — Romanos 5:10; 2 Coríntios 5:18—19.
Nossa crucificação com Cristo representa nossa vitória constante sobre a carne.

2. RESSURREIÇÃO — RENASCIMENTO ESPIRITUAL — Romanos 6:4.
Nossa ressurreição com Cristo representa nossa capacidade constante de viver em novidade de vida.

3. ASCENSÃO — REPRESENTAÇÃO NO CÉU. LIBERTAÇÃO E VITÓRIA LEGAL SOBRE SATANÁS — Romanos 6:14; Colossenses 2:13—15.
Nossa ascensão com Cristo representa nossa libertação contínua de influência satânica.

4. PENTECOSTES — O MINISTÉRIO DE BATISMO, UNÇÃO, SELAGEM E PENHOR DO ESPÍRITO SANTO — 1 Coríntios 12:13; 2 Coríntios 1:21—22; Efésios 1:13—14.
Nossa participação no ministério do Espírito Santo representa nossa capacitação constante para viver e servir a Deus.

C. Por causa da obra de Cristo nós podemos se aproximar de Deus, ou antes, Deus mesmo veio buscar e salvar o que estava perdido.

Lucas 19:10

Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido.

D. Por causa de Cristo não temos nada o que temer. Pelo contrário, somos convidados a comparecer diante de Deus todas as vezes que necessitarmos:

Hebreus 10:19—22

19 Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus,

20 pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne,

21 e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus,

22 aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e lavado o corpo com água pura.

E. Porque nossos pecados ofendem a Deus por toda a eternidade era necessário que Deus também nos oferecesse um perdão que se estendesse pelo mesmo período

Hebreus 9:11—12

11 Quando, porém, veio Cristo como sumo sacerdote dos bens já realizados, mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, quer dizer, não desta criação,

12 Não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção.

OUTRAS MENSAGENS DA SÉRIE DO SALMO 130

SERMÃO 001 — O CLAMOR DO SALMISTA

SERMÃO 002 — OS OUVIDOS DE DEUS ESTÃO ATENTOS AO NOSSO CLAMOR


Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

Os comentários não representam a opinião do Blog O Grande Diálogo; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário