sábado, 23 de janeiro de 2016

Gênesis Estudo 037 — PARTE 32 — O SIGNIFICADO DO DILÚVIO PARA AS PESSOAS DE TODAS AS ERAS — PARTE 002


Este estudo é parte de uma Análise do Livro do Gênesis. Nosso interesse é ajudar todos os leitores a apreciarem a rica herança que temos nas páginas da História Primeva da Humanidade. No final de cada estudo o leitor encontrará direções para outras partes desse estudo. 
O Livro do Gênesis
O Princípio de Todas as Coisas

בְּרֵאשִׁית בָּרָא אֱלֹהִים אֵת הַשָּׁמַיִם וְאֵת הָאָרֶץ        
      Eretz ha ve-et  Hashamaim et  Elohim    Bará     Bereshit
      Terra  a  e     céus    os   Deus    criou   princípio No                                                                                               Gênesis 1:1
IX. A História de Noé — Continuação.  


4. O Significado do Dilúvio para os Homens de Todas as Eras — CONTINUAÇÃO.

Aqueles que estão “em Cristo”, porque acreditaram na mensagem salvadora de Deus, como Noé e o seus também estavam “na arca”, porque acreditaram na Palavra de Deus, já sofreram as consequências da ira de Deus através do sofrimento de Jesus que agiu como nosso representante na cruz do Calvário. Naquele dia, no monte Calvário, a ira de Deus foi derramada sobre Jesus. O apóstolo Paulo nos diz a esse respeito o seguinte:

2 Coríntios 5:21

Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus.

Aqueles que crêem que Deus fez isto mesmo podem experimentar a salvação que Deus oferece absolutamente de graça. Aqueles que se recusam a aceitar a oferta gratuita de Deus, continuam em uma posição extremamente precária, pois deverão enfrentar a ira de Deus pessoalmente, sem a proteção representada pelo Senhor Jesus —

João 3:36

Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.
Saber apenas, que a arca existia, era incapaz de salvar alguém nos dias de Noé, da mesma maneira que apenas saber que Jesus é o Salvador não salva ninguém. Para ser salvo nos dias de Noé era imperioso estar dentro da arca. Por semelhante modo, para ser salvo em nossos dias é imperioso professar fé em Cristo —

Romanos 10:9—13

9 Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.

10 Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação.

11 Porquanto a Escritura diz: Todo aquele que nele crê não será confundido.

12 Pois não há distinção entre judeu e grego, uma vez que o mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam.

13 Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

Devemos sempre nos lembrar das palavras do profeta Isaías quando iniciou a descrição dos sofrimentos do Messias. Ele disse: O povo diz:

Isaías 53:1—2 — na Nova Tradução na Linguagem de Hoje.

Quem poderia crer naquilo que acabamos de ouvir? Quem diria que o SENHOR estava agindo? Pois o SENHOR quis que o seu servo aparecesse como uma plantinha que brota e vai crescendo em terra seca. Ele não era bonito nem simpático, nem tinha nenhuma beleza que chamasse a nossa atenção ou que nos agradasse.

Isaías está dizendo que ninguém acreditava nas palavras que descreviam a vinda do Messias como servo sofredor, da mesma maneira que ninguém acreditava na mensagem de Noé.

Assim é hoje em dia também. As pessoas querem ver manifestações de poder, encontros que ajuntem centenas de milhares de pessoas, coisas que sejam realmente gloriosas. Que tragam algum tipo de glória ao ser humano, apenas porque participou de tais eventos. Se Noé tivesse construído um transatlântico como o “Queen Mary 2”, ele poderia, se quisesse, até “vender” ingressos para salvar as pessoas do dilúvio. Mas não, passar um ano dentro de um barco tosco e cheio de animais fedidos, “não obrigado, mas eu vou passar por essa oferta”. “Realmente eu tenho algo mais importante para fazer do que embarcar nesta arca”. 

Da mesma maneira, as igrejas procuram adaptar a mensagem do evangelho, nos dias de hoje, para fazê-la mais atraente:

1. “Shows da Fé”, onde a fé é um verdadeiro show, mas não tem nada a ver com a verdadeira fé que é capaz de salvar o pecador da condenação eterna.

2. Coreografias, onde moças e rapazes, muitas vezes vestidos de maneira pouco modesta, fazem verdadeiras acrobacias e torções corporais, sendo algumas delas, extremamente sensuais.

3. Bandas de louvor que roubam o privilégio do Povo de Deus de louvar o Senhor ele mesmo, enquanto os verdadeiros “artistas” cristãos nos mostram “como é que se faz”.

4. Pregadores famosos que propugnam os maiores absurdos, falando de coisas que eles realmente não entendem como: “Batalha Espiritual”, “Demônios Territoriais”, “Quebra de Maldições Hereditárias”, “Cobertura Espiritual”, “Prosperidade” e todo um besteirol sem fim, que atrai aqueles que querem se manter sempre na “crista da onda” e não perder nenhum lance de tudo aquilo que “deus está fazendo” nos dias de hoje.

5. Manifestações de poder de todos os tipos:

a. Dentes de ouro e ouro que brota dos cabelos de pessoas especialmente “ungidas”. Verdadeiros embustes que iludem os incautos e aqueles que são sempre ávidos por novidades.

b. Reuniões de pessoas nos chamados “montes”, no meio da noite, onde as mais estapafúrdias manifestações podem ser observadas: pessoas caindo no chão e rolando de maneira descontrolada, pessoas que imitam sons típicos de animais como rugidos, grunhidos, latidos, mugidos etc.

c. Reuniões onde pessoas caem, ao sopro do pregador no microfone — unção do sopro.

d. Reuniões onde as Pessoas caem, ao serem atingidas pela unção da perna esquerda de uma irmã que, falando do púlpito dá “chutes” com a perna esquerda, especialmente ungida, em direção das pessoas no auditório, as quais desabam como se tivessem sido atingidas por um poderoso impacto — registrado na Comunidade do Aeroporto de Toronto e que ficou conhecida, por esse e outros eventos, como a “Bênção de Toronto”. Como o nome diz a bênção é de Toronto e não tem nada a ver com bênção de Deus

e. Reuniões onde as pessoas desatam a rir — unção do riso — e assim permanecem por horas sem fim.

f. Campanhas sem fim: 300 de Gideão, Fogueira Santa do Monte Sinai, Desencapetamento Total, Descarrego, 318 Pastores e muitas, muitas outras bobagens.

Objetos que são especialmente ungidos ou fornecidos para serem levados para os lares das pessoas: rosas ungidas para resolver problemas sentimentais e conjugais; unção de peças de roupas de enfermos, desempregados e de pessoas ausentes ou desaparecidas; distribuição de copos de água para serem levados para “abençoar ou benzer” os lares e pessoas; gotículas de óleo, supostamente importado diretamente de Israel, para “ungir ou benzer” lares e pessoas enfermas; sacos de plástico cheios de “ar” soprado pelo missionário ou coisa que o valha, para que seja levado aos lares e liberado no ambiente para expulsar todos os demônios e maus espíritos que porventura estejam perturbando o ambiente, saquinhos com pequenas porções de areia trazidas de Israel são vendidas para o deleite de pessoas ignorantes e supersticiosas, chicotinhos pra você “chicotear” todos os demônios que estão escondidos atrás das portas da sua casa, e vai por aí afora.

Produtos de consumo, como roupas, perfumarias, livros, bíblias, cd’s, dvd’s etc, acerca dos quais se alega que orações especiais de consagração ou de unção foram feitas sobre os produtos acabados ou mesmo sobre as matérias primas que foram usadas para confeccioná-los, visando um melhor aproveitamento dos mesmos.

Nada do que foi descrito acima foi inventado. É tudo verdade e pode ser provado! Estas coisas só existem porque as pessoas não gostam da palavra de Deus:

Jeremias 6:10

A quem falarei e testemunharei, para que ouçam? Eis que os seus ouvidos estão incircuncisos e não podem ouvir; eis que a palavra do SENHOR é para eles coisa vergonhosa; não gostam dela.

e preferem seguir invencionices humanas, conforme já nos alertou o apóstolo Paulo:”

2 Timóteo 4:1 – 4

Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas.

Esses erros que acabamos de mencionar, são fruto de um triunfalismo doentio que ataca violentamente aqueles que se dizem filhos de Deus. Eles costumam pensar que, se somos filhos do Deus Todo Poderoso, se somos filhos do Rei, então não devemos experimentar nenhum tipo de dificuldade, nem problemas e nem experimentar dor nem sofrimento e muito menos passar por nenhum tipo de necessidade. São esses os que costumam pensar e pretendem agir como se a vida cristã fosse composta de milagres permanentes e de toda a magnificência possível. Eles não desejam nunca experimentar a dor, a agonia, o sofrimento. Mas o caminho de Deus não é assim. Nem mesmo o próprio filho de Deus, Jesus, foi poupado do sofrimento —

Hebreus 5:7—9

7 Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte e tendo sido ouvido por causa da sua piedade,

8 embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu

9 e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem.

A salvação oferecida por Deus é sempre mediante a fé que Ele mesmo nos concede para tomarmos a decisão de crer em Deus e Sua Palavra, independentemente das circunstâncias ao nosso redor. E possível que Noé nunca tivesse visto um dia de chuva antes, nem que tivesse, alguma vez, ouvido o barulho dos trovões. Todavia estas coisas não eram realmente importantes para ele. O que lhe interessava, de fato, era fazer a vontade de Deus e obedecer às ordens que havia recebido. Esse foi motivo porque Noé decidiu, pela fé, fazer o que fez: construir a arca.

A fé de Noé, não era um assentimento intelectual apenas. Era uma clara tomada de posição. A fé não é um sentimento. A fé bíblica é sempre uma decisão. É a decisão de levar Deus e Sua Palavra a sério. Porque Noé levava a palavra de Deus a sério é que se dispôs a investir 120 anos de sua vida fazendo exatamente o que Deus queria que ele fizesse.

Noé era um pregador da justiça, mas não acredito que ele andava por aí ajuntando grupos de pessoas para pregar para elas. Sua pregação era feita enquanto manipulava as madeiras e outros materiais que ele estava usando para construir a arca. Sua pregação mais cândida era fornecida pelo seu esforço, através dos anos, em construir a arca. Foi exatamente este estilo de vida de Noé que acabou por condenar toda aquela geração que se recusava, terminantemente, a se submeter às advertências acerca do juízo de Deus, enquanto a arca crescia e se avolumava como um testemunho contra todas aquelas pessoas.

O mesmo deve ser verdade para nós hoje e para esta geração que é nossa contemporânea. Como cristãos, todos sabemos que o Senhor Jesus prometeu retornar a este mundo para exercer severo juízo e acertar velhas contas —

Apocalipse 1:7

Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até quantos o traspassaram. E todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Certamente. Amém!


Todavia, vendo o atual nível de descalabro em que se encontram as igrejas cristãs nestes dias, eu costumo me perguntar vez após vez, quanto essa realidade, de que Jesus vai mesmo voltar, tem afetado nossas vidas? Os contemporâneos de Noé, acreditando ou não em suas palavras podiam testemunhar acerca do fato de que Noé agia de maneira coerente com aquilo em que acreditava. E nós, será que estamos vivendo diante de nossos vizinhos e da população da nossa cidade à luz do esperado dia de juízo e acerto de contas?

OUTROS ARTIGOS ACERCA DO LIVRO DE GÊNESIS

001 — Introdução e Esboço

002 — Introdução ao Gênesis — Parte 2 — Teorias Acerca da Criação

003 — Introdução ao Gênesis — Parte 3 — A História Primeva e Sua Natureza

004 — Introdução ao Gênesis — Parte 4 — A Preparação para a Vida Na Terra

005 — Introdução ao Gênesis — Parte 5 — A Criação da Vida

006 — Introdução ao Gênesis — Parte 6 — O DEUS CRIADOR

007 — Introdução ao Gênesis — Parte 7 — OS NOMES DO DEUS CRIADOR, OS CÉUS E A TERRA

008 – Gênesis — A Criação de Deus - Parte 1 – A Criação de Deus Dia a Dia – O Primeiro Dia — Parte 1

009 – Gênesis — A Criação de Deus - Parte 8A – A Criação de Deus Dia a Dia – O Primeiro Dia — Parte 2

010 — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus - Parte 9 – A Criação de Deus Dia a Dia – O Segundo e o Terceiro Dia

011 — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus — Parte 10 — A Criação de Deus Dia a Dia — O Quarto Dia

012 — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus — Parte 11 — A Criação de Deus Dia a Dia — O Quinto Dia

013 — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus — Parte 12 — A Criação de Deus Dia a Dia — O Sexto Dia — Parte 1

013A — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus — Parte 12A — A Criação de Deus Dia a Dia — O Sexto Dia — Parte 2

014 — Estudo de Gênesis — A Criação de Deus — Parte 13 — Teorias Evolutivas

015 — Estudo de Gênesis — Gênesis 2 — Parte 14 — GÊNESIS 2A

016 — Estudo de Gênesis — Gênesis 2 — Parte 15 — GÊNESIS 2B

017 — Estudo de Gênesis — Gênesis 3 — Parte 16 — GÊNESIS 3A

018 — Estudo de Gênesis — Gênesis 3 — Parte 17 — GÊNESIS 3B

019 — Estudo de Gênesis — Gênesis 3 — Parte 18 — GÊNESIS 3C

020 — Estudo de Gênesis — Gênesis 3 — O Livre Arbítrio — Parte 19

021 — Estudo de Gênesis — Gênesis 3 — O Dois Adãos — Parte 20

022 — Estudo de Gênesis — Gênesis 4 — A Era Pré-Patriarcal e a Mulher de Caim — Parte 21

023 — Estudo de Gênesis — Gênesis 4 — Caim, O Primeiro Construtor de Uma Cidade — Parte 22

024 — Estudo de Gênesis — Gênesis 4 — Caim, Como Assassino e Fugitivo da Presença de Deus — Parte 23

025 — Estudo de Gênesis — Gênesis 4 — Caim, Como Primeiro Construtor de uma Cidade e Pseudo-Salvador da Humanidade — Parte 24

026 — Estudo de Gênesis — Gênesis 4 — A Conclusão Acerca de Caim — Parte 25

027 — Estudo de Gênesis — Gênesis 5 — Sete e outros Patriarcas Antediluvianos — Parte 26

028 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — A Perversidade Humana, Os Filhos de Deus e as Filhas dos Homens— Parte 27A

029 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — OS Nefilim e os Guiborim — Os Gigantes e os Valentes — Parte 27B

030 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — A Maldade do Coração Humano— Parte 27C.

031 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — A Corrupção Humana Sobre a Face da Terra e Deus Pode se Arrepender? — Parte 27D.

032 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — Noé e a arca que ele construiu orientado por Deus — Parte 28A.

033 — Estudo de Gênesis — Gênesis 6 — Noé e a arca que ele construiu orientado por Deus — Parte 28B.

034 — Estudo de Gênesis — Gênesis 7 — Noé e a arca que ele construiu orientado por Deus — Parte 29 — O Dilúvio Foi Global Ou Local?

035 — Estudo de Gênesis — Gênesis 8 — A promessa que Deus Fez a Noé e seus descendentes — Parte 30 — Nunca Mais Destruirei a Terra Pela Água

036 — Estudo de Gênesis —  O Valor Perene do Dilúvio para todas as Gerações — PARTE 001

037 — Estudo de Gênesis — O Valor Perene do Dilúvio para todas as Gerações — PARTE 002

038 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 001

039 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 002

040 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 003

041 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 004 — A NATUREZA DA ALIANÇA ENTRE DEUS E NOÉ



042 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 005 — OS FILHOS DE NOÉ — PARTE 001

043 — Estudo de Gênesis — A Aliança de Deus com Noé — PARTE 006 — OS FILHOS DE NOÉ — PARTE 002 — OS NEGROS SÃO AMALDIÇOADOS?
Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário