quarta-feira, 8 de junho de 2016

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus – ESTUDO 016 — A ESCOLHA OU ELEIÇÃO DIVINA — EFÉSIO 1:4 - Parte 005



NESSA SÉRIE NÓS ESTAMOS TRATANDO DE DOIS ASPECTOS IMPORTANTES ACERCA DA VERDADEIRA IGREJA: 1) A IGREJA COMO CORPO DE CRISTO; E 2) A IGREJA NO PLANO ETERNO DE DEUS. CONVIDAMOS TODOS OS NOSSOS LEITORES A ACOMPANHAREM ESSA SÉRIE E COMPARTILHAREM A MESMA COM TODOS OS SEUS CONHECIDOS, AMIGOS E IRMÃOS. OUTROS ESTUDOS DESSA SÉRIE PODERÃO SER ENCONTRADOS POR MEIO DE LINKS NO FIM DE CADA ESTUDO.

CONTINUAÇÃO...

8. João 15:16  Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.

Pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros — Essas palavras faladas por Jesus neste contexto se aplicam diretamente aos discípulos que haviam sido escolhidos para se tornarem ἀπόστολος apóstolos — mensageiro. No Novo Testamento essa expressão assume a conotação de: “mensageiro enviado com as mesmas prerrogativas daquele que o enviou”. Estes onze remanescentes eram todos verdadeiros e sinceros discípulos. Judas, como já vimos, havia deixado o salão. Mas, por outro lado, existe também a implicação anterior de que antes de poderem se tornar apóstolos aqueles indivíduos haviam sido também escolhidos para a salvação mediante a santificação do Espírito Santo pelo poder da palavra de Deus —

2 Tessalonicenses 2:13

Entretanto, devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados pelo Senhor, porque Deus vos escolheu desde o princípio para a salvação, pela santificação do Espírito e fé na verdade.


Tiago 1:16—18

16 Não vos enganeis, meus amados irmãos.

17 Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança.
18 Pois, segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas.

E vos designei — No grego ἔθηκα étheca — designei está no aoristo[1] e expressa o fato de que os discípulos foram colocados, separados ou apontados pelo próprio Senhor. A implicação disso é que os discípulos haviam sido apontados ou designados para fazer o trabalho do Senhor. Ao contrário do que temos nos dias de hoje, Jesus não impôs as mãos sobre os discípulos para apontá-los – ver Lucas 6:13—16 e Mateus 10:1—5.

Para que vades e deis fruto — O fruto a que Jesus aqui se refere tem a ver com a vida prática como descrita, por exemplo, nas bem-aventuranças — ver Mateus 5:1—16. Jesus chama a prática das bem-aventuranças como nossas boas obras por excelência! Por outro lado indicava também que eles deveriam levar a mensagem do evangelho, ou seja, as boas novas acerca de como Deus já fez tudo o que é necessário para que os seres humanos possam ser salvos. Nesse mister de pregar o evangelho, a única coisa que o Senhor espera de seus servos é que sejam fiéis o que nós podemos atestar que os discípulos foram de fato —

1 Coríntios 4:1—2[2]

1 Assim, pois, importa que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus.

2 Ora, além disso, o que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel.
  
Levar a mensagem do evangelho, esse é um dos principais motivos porque nós também temos sido escolhidos por Deus.

E o vosso fruto permaneça — Esta expressão de Jesus tem as seguintes implicações:


1. Que o efeito do serviço dos discípulos deveria ter um caráter permanente sobre a humanidade. Os esforços dos discípulos deveria produzir fruto permanente e não ser semelhante ao dos falsos mestres. O evangelho deveria se espalhar, se fincar e criar profundas raízes entre as pessoas. Certamente as palavras de Jesus em Mateus 16:18 serviam de pano de fundo para este mandamento.

2. Havia também a implicação de que o serviço deles devia ser incessante. Eles deveriam ser diligentes e incansáveis na propagação do evangelho até o dia da morte deles. Assim a semente plantada pelo próprio Senhor em seus corações deveria produzir fruto permanente em suas almas até o dia em que o Senhor os chamasse. O mesmo deve acontecer conosco. Devemos ser dedicados completamente ao Nosso Senhor por toda a nossa vida. Devemos labutar pela expansão do evangelho até o dia em que o Senhor nos chamar dos nossos afazeres.  O Salvador não nos chama para o servirmos apenas por uma parte das nossas vidas. As palavras do Senhor acerca do discipulado verdadeiro são as mesmas: Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; quem perder a vida por minha causa, esse a salvará. Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou a causar dano a si mesmo? Porque qualquer que de mim e das minhas palavras se envergonhar, dele se envergonhará o Filho do Homem, quando vier na sua glória e na do Pai e dos santos anjos —

Lucas 9:23—26

23 Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me.

24 Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; quem perder a vida por minha causa, esse a salvará.

25 Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou a causar dano a si mesmo?

26 Porque qualquer que de mim e das minhas palavras se envergonhar, dele se envergonhará o Filho do Homem, quando vier na sua glória e na do Pai e dos santos anjos.

A fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda — Este é um daqueles versículos que, uma vez retirado do seu contexto, é utilizado para justificar todo tipo de ganância humana. Mas Jesus não está dando uma carta branca para que qualquer coisa possa ser pedida ao Pai. O contexto deixa claro que Deus vai honrar qualquer pedido que tiver relação com a produção do genuíno fruto produzido pela vida cristã. Se pedirmos qualquer coisa a Deus relacionada a nos conformar, por exemplo, às bem-aventuranças ou à expansão do Seu reino, Ele promete honrar tais pedidos.

CONTINUA...

OUTROS ESTUDOS ACERCA DA IGREJA COMO CORPO DE CRISTO E NO PLANO ETERNO DE DEUS

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 001 — A Igreja

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 002 — A Unidade de Igreja

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 003 — Como a Unidade Funciona na Prática

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 004 — Como o Amor Funciona na Prática

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 005 — Unidade em Meio à Diversidade

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 006 — Unidade Com Variedade Mas com Harmonia

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 007 — A Igreja Como o “Mistério” de Deus e Uma Introdução a Efésios 1:3—14

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 008 — Uma Introdução a Efésios 1:3—14

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 009 — A Bênção Espiritual — Efésios 1:3

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 010 — As Regiões Celestiais — Efésios 1:3

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 011 — Nossa Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — Parte 001

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 012  A —Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 002

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 013 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 003

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 014 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 004

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 015 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 005

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 016 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 006

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 017 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 007 — O Mundo Nos Odeia

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 018 — A Escolha ou Eleição Divina — Efésios 1:4 — PARTE 008 — Por que O Mundo Nos Odeia

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 019 — As Desculpas para Rejeitar a Jesus e o Evangelho da Graça — PARTE 001

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 020 — As Desculpas para Rejeitar a Jesus e o Evangelho da Graça — PARTE 002

A Igreja Como Corpo de Cristo e No Plano Eterno de Deus — ESTUDO 021 — As Desculpas para Rejeitar a Jesus e o Evangelho da Graça — PARTE 003
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2017/01/a-igreja-como-corpo-de-cristo-e-no_6.html

Que Deus abençoe a todos. 

Alexandros Meimardis 

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:

http://www.facebook.com/pages/O-Grande-Diálogo/193483684110775

Desde já agradecemos a todos.      



[1] A expressão aoristo procede do vocábulo ἀόριστος aóristos — não definido ou indefinido. Assim o tempo verbal representado pelo “aoristo” apenas descreve a ação expressada pelo verbo. O aoristo contempla a ação em si como um todo. Por este motivo o aoristo não especifica nem a duração, nem a maneira como a ação acontece, nem os resultados dela advindos. Por todos estes motivos o aoristo é muitas vezes considerado um tempo indefinido.
[2] 1 Coríntios 4:1 no que diz respeito à palavra ὑπηρέτας  uperétas é um dos versículos mais mal traduzidos de que podemos ter notícia, na versão de Almeida Revista e Atualizada, mesmo em sua 2ª Edição, o que é realmente uma pena. A palavra grega ὑπηρέτας uperétas designa simplesmente um servo, um atendente, um assistente, um auxiliar. O dicionário Aurélio Século XXI define servo da seguinte maneira: servo — aquele que não tem direitos, ou não dispõe de sua pessoa e bens... criado, servidor, servente; serviçal...escravo. Os tradutores deste versículo na ARA — versão de Almeida Revista e Atualizada — optaram por traduzir ὑπηρέτας  uperétas pela expressão “ministros”. Agora vejamos como o dicionário Aurélio Século XXI define a palavra ministro: título genérico para qualquer empregado ou funcionário público de nível mais elevado... aquele que executa os desígnios de outrem: medianeiro, intermediário, executor, auxiliar... membro de um ministério, ministro de Estado... pastor protestante. Ora sabendo que a palavra possui conotações tão elevadas, mesmo que designe um auxiliar, a mesma deveria ter sido evitada, até porque no uso corrente a expressão ministro é muito dignificada e não tem nada a ver com a atitude de serviço que está na Bíblia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário