quinta-feira, 23 de junho de 2016

A ORAÇÃO DO PAI NOSSO - SERMÃO 007 — SANTIFICADO SEJA TEU NOME — Mateus 6:9



Essa série tem por objetivo expor de maneira ampla, bíblica, literária, histórica e teologicamente, a oração que chamamos de “Oração do Pai Nosso”. Nosso desejo é enriquecer a vida de todos por meio desses esboços de mensagens que também estão disponíveis em áudio. Na parte final desse artigo o leitor encontrará os links para os outros esboços e para os áudios à medida que forem sendo publicados.

A ORAÇÃO DO “PAI NOSSO”

Uma Exposição Bíblica, Literária e Teológica de Mateus 6:9—15


 Introdução:

A. Nossa fé cristã têm muitos aspectos que são exclusivos:

1. Nós somos a única fé que está baseada exclusivamente em relacionamentos: com Deus, com Jesus Cristo, com o Espírito Santo, uns com os outros e com as pessoas e o mundo ao nosso redor. A Bíblia é bastante clara nesse sentido:

João 17:3

E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

2. Nossa fé também é exclusiva quanto à forma de salvação. Existe apenas um Salvador, Jesus, e ele é o único caminho para Deus. Jesus disse:

João 14:6

Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.

3. Outra característica exclusiva da nossa fé Cristã é que nosso Deus é o único Deus que se apresenta como um Deus que é Santo. Como um Deus Santo, Ele é o único que pode santificar coisas e pessoas. Assim sendo, Deus é o único que pode “Santificar” Seu próprio nome conforme a petição de Jesus e, somente Ele, pode pegar pecadores como nós e nos santificar a ponto de sermos chamados de santos. Mas o nome santo de Deus pode ser profanado por nós os pecadores:

Levítico 22:32

Não profanareis o meu santo nome, mas serei santificado no meio dos filhos de Israel. Eu sou o SENHOR, que vos santifico.

Note a relação entre o nome de Deus e a questão da santidade de Deus e nossa santificação.

Efésios 1:1

Paulo, apóstolo de Cristo Jesus por vontade de Deus, aos santos que vivem em Éfeso, e fiéis em Cristo Jesus.


4. Esse é nosso tema de hoje: a santificação do nome de Deus através da petição ensinada por Jesus:

SANTIFICADO SEJA O TEU NOME

I. Os Judeus e o Nome de Deus

A. Os Judeus receberam no Monte Sinai o seguinte mandamento:

Êxodo 20:7

Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão, porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.

B. Desde o momento em que Deus se manifestou a Moisés a primeira vez no monte Sinai, no evento que chamamos da “Sarça Ardente”, Deus anunciou seu nome ao povo de Israel. Alguns versículos são importantes aqui:

Êxodo 3:6

Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. Moisés escondeu o rosto, porque temeu olhar para Deus.

Êxodo 3:14

Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros.

C. O hebraico era, como todas as outras línguas do Oriente Médio, uma língua consonantal. Isso que dizer que o mesmo era escrito usando, exclusivamente consoantes. No primeiro versículo acima Deus afirma que ser — no tempo presente — o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, apesar dos três já estarem mortos há séculos. No segundo verso, o Senhor se apresenta como  אֶהְיֶה אֲשֶׁר אֶהְיֶה — expressão que é traduzida por EU SOU O QUE SOU. Com isso Deus se revela como alguém sempre presente, independentemente do tempo.

D. Os dois versos acima nos ensinam que o SENHOR, o Deus que se revelou a Moisés é eterno. Daí entendemos que a melhor maneira de se traduzir o nome próprio de Deus, representado pelo tetragrama יהוה YHVHseja pela expressão ETERNO. A versão de Almeida Revista e Atualizada (ARA) traduz o tetragrama pela expressão SENHOR. Mas insistimos que a expressão que traduz melhor os conceitos de Deus de Abraão, Isaque e Jacó e EU SOU O QUE SOU, é ETERNO.

E. Os judeus receberam um mandamento para não “usar esse nome de Deus יהוה YHVH — O Eterno, em vão”.

Êxodo 20:7

Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão, porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.

F. Diante desse mandamento, um argumento que prevaleceu entre os judeus era que eles não podiam saber quando isso poderia acontecer — usar o nome de Deus em vão. Por esse motivo, eles decidiram nunca fazer uso do nome representado pelo tetragrama יהוה YHVH — O Eterno, porque assim não correriam nenhum risco de quebrar o terceiro mandamento. 

G. Eles passaram a usar outros nomes dados por Deus mesmo, mas sobre os quais não pesava o terceiro mandamento. Entre esses nomes nós vamos encontrar os seguintes:

אֱלֹהִים — `Elohim — traduzido por Deus na ARA.

אֵל עֶלְיוֹן  — El `Eleyon — traduzido por Deus Altíssimo na ARA.

אֵל שַׁדַּי  — El Shadday — traduzido por Deus Todo Poderoso na ARA.

 אֲדֹנָי — Adonay — traduzido por Senhor na ARA.

 יהוה — YHWH — o tetragrama é traduzido por SENHOR na ARA.

Existem vários outros nomes atribuídos ao Deus verdadeiro no Antigo Testamento. Existem, inclusive, várias combinações com o tetragrama יהוה YHVH — O Eterno.

H. Durante séculos os Judeus se recusaram a pronunciar o nome inefável de Deus יהוה YHVH — O Eterno, traduzido por “SENHOR” e cujo significado é “EU SOU”, de onde derivamos a expressão “O ETERNO”. Com isso, perdemos e pronúncia verdadeira desse Nome ficando apenas com seu significado: “O ETERNO”.

II. O Surgimento do Curioso Nome Jeová e Seus Cognatos — Jehovah, Javé, Iavé, Iahweh e etc.

A. Como dissemos o hebraico era uma língua consonantal.

B. Por volta do ano mil depois de Cristo, a vasta maioria dos judeus já não sabia mais ler o hebraico em sua forma original, como língua consonantal.

C. Por esse motivo um grupo de estudiosos judeus, encarregados de fazer as cópias dos manuscritos na língua consonantal, resolveu “inventar” uma séria de “notações” que pudessem servir como “vogais”, de tal maneira que as pessoas pudessem voltar a ler o hebraico, especialmente o hebraico contido no Antigo Testamento.

D. O trabalho desses homens conhecidos como massoretas ficou pronto e podemos ver o resultado, por exemplo, num nome muito comum usado para Deus que teria as duas formas seguintes:

אלהים — sem as notações vocálicas.

אֱלֹהִים — com as notações vocálicas.

E. Disso surgiu um grande problema: o que fazer com o nome de Deus representado pelo tetragrama יהוה YHVH? De que maneira o mesmo poderia ser vocalizado, mas ainda assim garantir que as pessoas não iriam pronunciar o nome inefável.
F. A solução um tanto engenhosa foi fundir a consoantes do tetragrama יהוה com algumas da vogais de outro nome de Deus: אֲדֹנָי — Adonay. O resultado ficou, então assim: יְהוָה.

G. A pesar da combinação, o nome deveria continuar sendo lido como ADONAY.

H. Todavia, pessoas de fora do círculo judaico, mas que tinham acesso ao texto hebraico já vocalizado passaram a ler a expressão יְהוָה — como sendo YeHVaH ou algo semelhante.  Daí surgiram nomes tais quais Jehovah ou Jeová e todos os seus cognatos.

I. Na realidade esse nome não existe de verdade, já que se trata de combinação das consonantes do tetragrama — יהוה  com as vogais de outro nome de Deus: אֲדֹנָי — Adonay.

J. Em tempos mais recentes os judeus aboliram a forma יְהוָה — lida como Adonay, e passaram a adotar apenas a expressão חַ שְׁמ  ­— ha Shem — O NOME.

III. Jesus e a Santidade do Nome de Deus

A. Jesus viveu no tempo em que os judeus se recusavam terminantemente a usar o nome inefável de Deus representado pelo tetragrama יהוה. Esse é o motivo porque os judeus se escandalizaram quando Jesus usou o nome aplicando-o diretamente a si mesmo quando disse o seguinte:

João 8:58—59

58 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade eu vos digo: antes que Abraão existisse, EU SOU.

59 Então, pegaram em pedras para atirarem nele; mas Jesus se ocultou e saiu do templo.

B. Mas aqui em Mateus 6, ainda cedo em seu ministério, Jesus não queria ofender os judeus e, por isso, ele faz uso do nome de Deus naquilo que chamamos de forma passiva, ao dizer: SANTIFICADO SEJA TEU NOME.

C. Jesus usa essa forma passiva por dois motivos:

1. Primeiro porque esse era o costume da época.

2. Porque Jesus sabia que não existe ninguém a não ser o próprio Deus que seja capaz de “santificar” Seu próprio nome. Nenhum ser humano tem competência para isso.

D. Dentro do contexto da oração do Pai nosso, qual é o significado do nome de Deus? O nome de Deus aqui representa o ponto de aproximação onde é possível os seres humanos se comunicarem com Deus

E. Se não conhecemos o Nome de Deus como podemos nos relacionar com Ele?

F. O Nome de Deus também nos revela quem Ele é: o ETERNO, o EU SOU SEMPRE PRESENTE. O autor de Hebreus descreveu essa realidade dizendo:
Hebreus 13:8

Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre.

IV. A Relação Entre a Santidade de Deus e a Santidade do Povo de Deus

A. Porque Deus é Santo, espera-se que o povo de Deus também seja santo:

Deuteronômio 7:6

Porque tu és povo santo ao SENHOR, teu Deus; o SENHOR, teu Deus, te escolheu, para que lhe fosses o seu povo próprio, de todos os povos que há sobre a terra.


Deuteronômio 26:18

E o SENHOR, hoje, te fez dizer que lhe serás por povo seu próprio, como te disse, e que guardarás todos os seus mandamentos.


João 14:15

Se me amais, guardareis os meus mandamentos.


Conclusão

A. Para terminar façamos uma última leitura Bíblica que irá nos ajudar a concluir o que Jesus queria dizer ao nos ensinar a orar dizendo: Santificado seja o Teu nome.

2. A passagem é Isaías 6:1—10 e a mesma diz o seguinte:

1 No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo.

2 Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava.

3 E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.

4 As bases do limiar se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça.

5 Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos!

6 Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz;

7 com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado.

8 Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim.
9 Então, disse ele: Vai e dize a este povo: Ouvi, ouvi e não entendais; vede, vede, mas não percebais.

10 Torna insensível o coração deste povo, endurece-lhe os ouvidos e fecha-lhe os olhos, para que não venha ele a ver com os olhos, a ouvir com os ouvidos e a entender com o coração, e se converta, e seja salvo.

C. Dessa passagem nós podemos tirar as seguintes conclusões:

1. Isaías vê o SENHOR demonstrar sua Santidade — Isaías 6:1—4.

2. Isaías é imediatamente convencido de sua própria pecaminosidade diante da gloriosa presença do Deus SANTO — ver Isaías 6:5.

3. Apesar de não estar dito de forma expressas, Deus, sempre Deus, manda um anjo purificar — santificar — o profeta com uma brasa retirada do altar — ver Isaías 6:6—7.

4. Depois de purificado ou santificado Deus desafia o profeta com um chamado missionário — Isaías 8a.

5. O profeta purificado ou santificado responde ao chamado de Deus dizendo: eis-me aqui, envia-me a mim — Isaías 6:8b.

D. Todas as vezes que oramos: “Santificado seja o Teu Nome”, nós estamos pedindo que Deus intervenha demonstrando Sua santidade. E como precisamos orar cada vez mais essa oração: SANTIFICADO SEJA O TEU NOME.  

E. É minha mais profunda convicção que tanto a passagem de Isaías 6:1—10, quanto a de Ezequiel 36:16—23 estão por trás do pedido de Jesus quando disse: SANTIFICADO SEJA O TEU NOME.

F. De que maneira amor e santidade podem funcionar juntos? O primeiro nos atrai para perto de Deus e a segunda tende a nos afastar do Senhor, como aconteceu com o profeta Isaías.   

G. Na próxima mensagem nós vamos ver como AMOR e SANTIDADE podem andar juntos.

Que Deus abençoe a todos.

OUTRAS MENSAGENS DA SÉRIE DO PAI NOSSO

001 — INTRODUÇÃO A MATEUS 6:9—15

002 — O PAI NOSSO — PARTE 001 — MATEUS 6:9

003 — O PAI NOSSO — PARTE 002 — MATEUS 6:9

004 — O PAI NOSSO — PARTE 003 — MATEUS 6:9

005 — O PAI NOSSO — PARTE 004 — MATEUS 6:9a — PAI NOSSO QUE ESTÁS NOS CÉUS

006 — O PAI NOSSO — PARTE 005 — INTRODUÇÃO À ESTRUTURA DO PAI NOSSO —
Mateus 6:9—13

007 — O PAI NOSSO — PARTE 006 — SANTIFICADO SEJA TEU NOME — Mateus 6:9

008 — O PAI NOSSO — PARTE 007 — A RELAÇÃO DA SANTIDADE DE DEUS
COM A JUSTIÇA E O AMOR — Mateus 6:9

009 — O PAI NOSSO — PARTE 008 — O REINO DE DEUS — PARTE 001 — Mateus 6:10

010 — O PAI NOSSO — PARTE 009 — O REINO DE DEUS — PARTE 002 — Mateus 6:10
Alexandros Meimaridis 

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link: 
Desde já agradecemos a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário