sexta-feira, 3 de junho de 2016

SILAS MALAFAIA CONVOCOU OS EVANGÉLICOS PARA UMA FARSA


Eles

AVISO AOS LEITORES: ANTES DE QUALQUER MANIFESTAÇÃO DE MÍ, MÍ, MÍ, SOLICITAMOS A TODOS QUE LEIAM NOSSO ARTIGO ATÉ O FIM E, SÓ ENTÃO, SE MANIFESTEM.

Agora que o chamado pacto — ou golpe — para a remoção da presidenta Dilma ficou patente aos olhos de todos, a situação dos golpistas é muito frágil e delicada.

Deve ser óbvio para todos que o governo interino não tem apoio popular, seja da parte dos batedores de panelas — que bateram panelas contra Temer durante sua primeira entrevista ao Fantástico da Rede Globo — seja da parte daqueles que vestiram as camisas da CBF sob a alegação que pretendiam combater a corrupção — rir para não chorar.

O que fazer então? Chamem os evangélicos para socorrerem o governo golpista e sem apoio popular. Afinal, os evangélicos já estão acostumados a serem usado como massa de manobra e, para isso, não faltam aproveitadores de plantão. 

Silas Malafaia chegou ao despudor de afirmar, acompanhado do impoluto senador Magno Malta, que Romeiro Jucá é um homem de princípios cristãos. Sério mesmo? Acerca de Jucá, Silas disse o seguinte:

“Romero Jucá é um amigo da comunidade evangélica. É um homem que defende ideais e princípios cristãos. Então, ele tem nosso apoio. Ele tem feito um trabalho gigantesco. Não é um político que chega aqui na quarta de manhã para sair na quarta à noite. É alguém que trabalho firme, duro e forte. Então tem o nosso apoio e como eu sou um pastor desejo que Deus o abençoe, o ilumine e lhe dê sabedoria para continuar essa jornada.”

O pronunciamento poderá ser visto por meio desse link aqui:


Alguém poderia objetar que o vídeo é antigo. Com certeza, mas isso não muda suas afirmações, que tinham a nítida impressão de convencer os incautos da probidade do, agora defenestrado, Romeiro Jucá. Se o Silas quer corrigir esse erro do passado, poderá gravar novo vídeo onde assuma sua culpa pelo que falou.

Mas muito bem. Os evangélicos então foram convocados para participarem de um mega ato profético — ocorrido no dia 1º de Junho de 2016. Primeiro vamos entender o que são tais atos proféticos e depois vamos analisar a proposta hipócrita envolvida no embuste proposto pelo pastor falastrão.  

O que são os chamados atos proféticos? Os “Atos Proféticos” são uma excrescência da chamada Teologia da Prosperidade. A intenção dos mesmos é determinar o futuro, como se meros seres humanos, que não passam de pó, tivessem a prerrogativa de determinar acontecimentos futuros. Trata-se da chamada confissão positiva aplicada ao futuro. Como podemos ver, não se lida nesses atos de seguir a revelação bíblica e sim da mais grossa manifestação de heresia. Como alguém já disse: existe a má-cumba e a boa-cumba que é praticada pelos evangélicos por meio de idiotices como esses tais atos proféticos. Os atos proféticos são heréticos porque assumem que Deus abriu mão de sua Soberania a favor de tolices inventadas pelos seres humanos. Estou enojado.

Segundo os defensores dessa heresia, eles têm autoridade para falar em nome de Deus e determinar o rumo dos acontecimentos futuros. Antes de prosseguir, gostaria de perguntar aos leitores que já participaram de tais atos, quanto efetivamente mudaram o rumo dos acontecimentos futuros? Quantos Atos Proféticos já foram realizados em minha cidade afirmando que ela seria do Senhor Jesus — implicando uma conversão em massa — e nada, absolutamente nada aconteceu. Hoje nem tem mais “crentes” declarando que São João pertence ao Senhor Jesus. O mesmo, eu sei, é verdade com todas as cidades onde se encontram os leitores. Isso deve bastar.

Os atos proféticos não passam, em sua essência, duma manifestação religiosa sincrética onde crenças evangélicas se misturam com práticas mágicas.

Para justificar a farsa, Silas Malafaia utiliza um tema querido dos brasileiros em geral: a luta contra a corrupção. Esse tema dá à convocação, certo ar de seriedade. Vejam o que o Silas afirmou acerca de seu ato profético numa entrevista concedida à BBC Brasil:

BBC Brasil - O que significa o termo profético?

Silas Malafaia - Um ato profético é fazer declarações sobre o futuro de um país. Profecia é coisa que ainda vai se cumprir, correto? É algo que vai acontecer e que se antecipa. Nós vamos declarar que o Brasil vai ser próspero, vai ter paz e vai ficar livre da corrupção, da crise econômica. Isso tudo é profético.

BBC Brasil - Então sua profecia é que crise econômica e corrupção vão terminar junto com o governo.

Silas Malafaia - Isso aí. É isso aí. É isso aí mesmo. O ato profético é para isso, é para declarar que a corrupção vai acabar, que toda a bandalheira vai ser exposta, que não vai ter derramamento de sangue, porque os 'esquerdopatas' têm o DNA da baderna, da desordem.

BBC Brasil - Não parece é difícil bancar uma profecia de fim da crise econômica e da corrupção, pastor?

Silas Malafaia - Não é difícil, não, rapaz. Na Bíblia, em épocas em que Israel vivia períodos de crise e fome, levantava um profeta que dizia que viria um tempo de paz e prosperidade. E aquilo tudo mudava. Então nós conhecemos esta prática. Agora, eu, além de liberar a palavra profética, vou 'sacudir a roseira' sobre o que está acontecendo, não tenha dúvida.

A entrevista de Silas Malafaia para a BBC Brasil poderá ser lida na íntegra por meio desse link:

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/03/160326_malafaia_entrevista_rs_if

Silas afirmou que seu ato profético iria determinar o fim da corrupção no Brasil, tão logo a presidenta fosse afastada. Alguém aí acredita nisso? Mas a realidade foi bem mais dura com Silas e seu ato profético: depois da presidenta ter sido afastada, o que vimos foi o governo ser assaltado por uma verdadeira quadrilha de malfeitores acusados das mais graves denúncias, incluindo o planejamento e a execução do golpe parlamentar, midiático e plutocrático.

Enquanto isso, continuamos aguardando pelo cumprimento bombástico do objetivo do tal ato profético. Esperamos, para breve, o início da inexorável derrocada da corrupção no Brasil, a menos que Silas Malafaia tenha pregado outra de suas peças no povo evangélico, que foi prestigiar o governo golpista e o tal ato profético.

Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

7 comentários:

  1. Irmão Alex,

    Primeiramente é um prazer falar com Vossa Pessoa, ademais, fiquei encantado com seu comentários acerto de todos os assuntos aqui mostrados, todos muito bem amparados pelas Escrituras, na minha caminhada Cristã, aprendi a orar por discernimento espiritual, e sou temeroso em ser enganado por falsos profetas ou ser tocado por discursos emocionantes. Gostaria de saber sua opinião, sobre as pregações e ministério do Pastor Silas Malafaia, se são embasadas na Bíblia, ou estamos deixando enganar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Osires,

      Obrigado por escrever.

      Quanto a tua pergunta eu já tenho denunciado o Silas em vários artigos, mas gostaria de chamar tua atenção para os dois indicados abaixo onde confronto seus falsos ensinamentos acerca da Teologia da Prosperidade. Os mesmo poderão ser visto por meio desse links aqui:

      http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2012/06/2-de-junho-de-2012-critica-ao-programa.html

      http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2012/06/parte-2-eu-aceitei-o-desafio-do-silas.html

      Espero que os mesmo possam ajudar a você em tua procura por verdadeiro discernimento.

      Grande abraço,

      irmão Alex

      Excluir
  2. JOEL CARVALHO - DF9 de junho de 2016 09:12

    Concordo com todo o texto no que concerne ao Silas Malafaia. Em relação ao tema político, discordo integralmente.
    Silas decidiu mesmo que não se emendará. Está óbvio.
    Plenamente afastado do que ele diz representar: - princípios cristãos.
    Agora, falar em golpe, não faz nenhum sentido, quando há mera continuidade do mesmo grupo político que fez juras mútuas de amor político.

    A palavra "golpe" só foi cunhada e ganhou força entre os adeptos desse criminoso governo, para esse processo, porque os atores de acusação no processo são tão canalhas e criminosos, quanto o governo que está a se destituir.
    É como se o Fernandinho Beira-Mar estivesse sendo esculhambado pela defesa de um réu, por aquele ter delatado um comparsa como cúmplice em um crime, apenas para ter sua própria pena amenizada.
    É o que ocorre nesse momento. Sócios de um governo que está destruindo bens nacionais como a PETROBRAS por completa corrupção, mas que querem se safar, fazendo uma parte da massa incauta acreditar que está se livrando de criminosos no poder.
    Portanto, essa falácia de golpe, é o tipo de argumento que só é crível mesmo para cegos ideológicos.
    Todos os atores principais que estão aí são partes do mesmo governo, que assim como ocorre em organizações criminosas em brigas de partilha de espólios de bens obtidos por prática ilegal, está se desfazendo por intrigas em razão de ambos terem sido pegos pela Justiça e terem se traído mutuamente, na tentativa de se livrarem de punição ao imputarem os crimes praticados somente a uma parte.
    Nenhum desses atores, que hoje são chamados de golpistas chegaram aí por acaso. O PT os acolheu, quando aqueles serviram ao seu projeto de poder, mas, a partir do fim do acordo entre canalhas, os ex-apoiadores tornaram-se "golpistas". Ou, como chamam entre criminosos, tornaram-se X-9.
    Até mesmo o ex-líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral, tornou-se um "mentiroso", quando decidiu que não carregaria sozinho os crimes que praticou a mando desse governo e do ex presidente Lula, como o senador afirmou.
    Só cegos ideológicos não entendem(e eu não entendia isso, quando era militante), que, por exemplo, o promotor do caso CELSO DANIEL, pode mesmo estar certo, quando afirmou que o então prefeito de Santo André pelo PT, foi torturado e morto em 2002, porque sabia demais sobre o esquema de corrupção naquela prefeitura, cujo objetivo era arrecadar dinheiro para a campanha do PT nacional, o que implicaria no desmantelamento do "mito" Lula naquele momento, impedindo-o de ter triunfado nas eleições presidenciais.
    Só cegos ideológicos chamam de golpe a derrubada de um governo que mandou bilhões dólares para fora do país a fim de se realizar obras em ditaduras africanas e latino-americanas como em Cuba, destarte fortalecendo as mesmas. Principalmente porque esse governo, que começou em 2003(Dilma é só continuidade) perdoou dívidas dessas mesmas ditaduras. É como se não precisássemos do mesmo dinheiro, a ponto de dispormos de tanta verba assim. É como se esse país estivesse tão bem e sem carências, sem cidadãos morrendo em filas de hospitais públicos, segurança pública um caos, escolas públicas em declínio e professores sem salários adequados, e tantos outras mazelas por falta de investimentos.
    Isso, se não bastassem os malfadados desvios bilionários em eventos esportivos patrocinados pelo país nesse governo, como o PAN 2007, COPA 2014 e agora OLIMPÍADAS 2016, quando se sabe historicamente que, países subdesenvolvidos sempre tendem a piorar sua situação econômica e social, quando dispendem tantos recursos dos quais não poderiam dispor, quando estas nações não atendem nem as necessidades elementares de seu povo a contento.
    Isso é tão grave, que nem mesmo a "paupérrima" Suécia aceitou sediar as Olimpíadas de Inverno de 2022. Mas, o RICO Brasil, topou logo de cara sediar TRÊS grande eventos esportivos, na melhor reedição histórica de um governo populista do pão e circo.
    O resultado é o que estamos assistindo, conquistas sociais(que não iniciaram em 2003) em rápido declínio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Joel,

      Obrigado por me chamar de cego ideológico. Mas eu percebo que você não entende bem o porque do golpe ser golpe.

      Não é golpe porque praticado contra o PT ou a presidenta Dilma.

      É golpe porque é praticado contra o povo que livre e democraticamente elegeu a presidenta Dilma. Não está satisfeito com a presidenta Dilma? Aguarde então as próximas eleições e faça as mudanças pelo voto.

      Abraço,

      irmão Alex

      Excluir
    2. Caro irmão Alex,

      Peço desculpas pelo "cego ideológico", pois é um texto que eu já havia elaborado antes em resposta ao mesmo tema, mas para outro articulista, cujo texto havia sido replicado aqui em seu blog em 09 de maio(DCM — Diário do Centro do Mundo — Kiko Nogueira), e não tive o cuidado de excluir essa frase, que, pelo que conheço do senhor em seu excelente blog, é uma definição que não lhe serve, não lhe cabe.

      Mas, voltando ao "golpe", essa palavra também não define o que ocorre no momento com a Presidente Dilma, pois segue a legislação vigente, incluindo a Constituição Federal de 1988, que o PT se recusou a assinar. É compreensível que tratem como golpe, a responsabilização prevista em uma constituição que o PT não quis reconhecer.
      - Collor, foi de igual forma eleito democraticamente, e com números absolutos e percentuais superiores a Dilma. Aliás, o maior articulista do impedimento de Collor(até há poucos dias grande aliado do PT/Dilma), foi ninguém menos que o PT na figura de seu maior representante, o Lula.

      É que, o lulopetismo, de onde saí depois de 20 anos(1989-2009) de plena militância, consegue manipular a militância, a ponto de fazer acreditarem que não há golpe quando eles articularam o impedimento de um presidente no passado, mas há golpe, quando um presidente representando o seu partido sofre processo similar.
      O mote "golpe", só ganha força entre adeptos, porque os crimes de Dilma não têm apelo popular, como os de Collor, mas ambos são definidos como crime de responsabilidade.Isso basta para que o que ocorre com Dilma seja um processo fundado em ditames constitucionais, já avalizados pelo STF, inclusive com idas e vindas àquela corte a pedido da defesa de Dilma.
      Sobre subjetividade, nossa legislação não impõe quais devem ser as motivações de foro íntimo dos peticionantes. Basta que estejam presentes os requisitos ou as tipificações que se amoldam à conduta do(a) Presidente da República, aptos a ensejaram o seu processamento por Crime de Responsabilidade.
      Ademais, outros crimes poderiam estar presentes na representação, não fosse o Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, corrupto contumaz, que, por medo de ser mais ainda implicado em mais processos além dos que já tramitam contra ele, deixou de fora da representação acatada em dezembro de 2015 delações de aliados da representada, que a levam para a seara de crimes mais graves e de maior apelo popular. Aí, o mantra da idoneidade da representada se esvai facilmente, pois, é indefensável a vida pregressa de Dilma, desde quando era Presidente do Conselho de Administração da PETROBRAS, ocasião em que assinou a compra ULTRA SUPERFATURADA da Refinaria de Pasadena, que valia 43 milhões de dólares, mas foi comprada por cerca de 800 milhões de dólares!
      Ora, segundo o delator Nestor Cerveró(delação aceita pela Justiça), Dilma sabia de todas as
      falcatruas que aconteceram envolvendo a compra superfaturada dessa refinaria. Sabia demais, segundo Cerveró. Faz sentido. Isso porque, ela sempre esteve ligada à PETROBRAS, seja como presidente do conselho de administração da empresa, ou como Ministra das Minas e Energia, ao qual se vincula a PETROBRAS; seja como Ministra Chefe da Casa Civil, e pior, como Presidente da República nos últimos 5 anos e 4 meses e meio, quando finalmente teve todo o poder para debelar esse câncer da PETROBRAS, mas parece que fingiu que não ocorria nada, talvez porque a corrupção no setor, traduzida em propinas, financiasse boa parte das campanhas do PT e aliados, como já afirmado em várias delações de aliados e ex-aliados. Dilma não negou nada veementemente, simplesmente porque haviam provas de sobra, sobre a culpa de toda a sua turma. Apenas repete o mesmo jargão de seu antecessor, o Lula: "NÃO SEI DE NADA. SOU INOCENTE!"

      Excluir
    3. Caro Joel,

      Não há nada para desculpar. Fique tranquilo. Já foi tudo perdoado.

      A alegação que o processo é constitucional é verdadeira. Mas como cristãos devemos saber que nem sempre algo legal é certo. Há leis injustas e procedimentos legais que são, verdadeiramente criminosos.

      Certamente você deve saber, mas vale à pena repetir:

      A escravidão era legal.

      A imposição dos ingleses sobre os chineses de terem que comprar e consumir o ópio que os ingleses produziam na Índia era legal.

      As duas guerras do ópio foram legais.

      A tomada de Hong Kong por 100 anos foi algo legal.

      O genocídio praticado pelos alemães contra judeus e outras minorias era algo 100% legal.

      O genocídio praticado pelo israelenses contra os palestinos é algo legal.

      O apartheid na África do Sul era algo legal.

      Isso para não me estender demais.

      Quanto à delação do Cerveró acerca da Dilma, ele é livre para afirmar o que quiser. Ele tem que provar. Inclusive a PGR já analisou esse caso e decidiu que a presidenta não tinha cometido nenhum crime. Antes de afirmar que a Dilma não negou veementemente, procure se inteirar da notas divulgadas pela assessoria de imprensa da presidência da república.

      Quanto ao Lula dizer que não sabia de nada, é um direito dele, apesar de eu não acreditar nisso, mas cumpre a quem acusa provar.

      Grande abraço,

      irmão Alex

      Excluir
    4. Caro irmão Alex,

      O instituto da delação premiada prevê entre outras condições, a obrigação do delator/cooperador dizer a verdade sobre os fatos, além da necessidade do que os fatos apresentados devem produzir resultados para investigação, isto é, os fatos delatados devem vir acompanhados de provas, sob pena de perder qualquer benefício pleiteado como a redução da pena; além de não poder mais fazer esse tipo de transação penal no futuro.
      Não devemos esquecer que Cerveró protegeu Dilma na CPI da PETROBRAS, e, só após a prisão de Delcídio do Amaral, que foi emissário do Palácio do Planalto com a finalidade de silenciá-lo através de mais propinas e com a proposta de um fuga do Brasil, é que Cerveró entendeu que carregaria sozinho o "piano" dos crimes cometidos por ele na estatal, os quais, contudo, tinham como beneficiários/mandatários gente da cúpula do governo e o "ParTidão".
      Por questão de razoabilidade e respeito ao mínimo de inteligência temos que admitir que, Dilma ou sabia de tudo e foi conivente, ou se não sabia de nada, o que não é de forma alguma crível, é uma tremenda incompetente à décima potência, e não pode dirigir os destinos da nação. E, em qualquer dessas hipóteses, incorreu em crime de responsabilidade. Pois, sabendo ou não, deixou de responsabilizar seus subordinados ou de tomar providências para estancar os crimes gravíssimos que solaparam o Erário, seja na PETROBRAS, BNDES, FUNDOS DE PENSÃO etc, que atingiram um nível de corrupção "como nunca antes na história desse país", como diria Lula para outros temas favoráveis ao lulotpetismo.
      Portanto, Dilma apenas repete o mesmo mantra "ensinado" por seu mentor, o Lula: "não sei de nada".

      Só para relembrar:
      - Dilma foi Presidente do Conselho de Administração da PETROBRAS; Ministra de Minas e Energia; Chefe da Casa Civil e Presidente da República.
      Será mesmo que ela tem o benefício da dúvida, depois de conhecer tanto a máquina pública federal?

      Excluir