quarta-feira, 17 de agosto de 2016

A CENTRALIDADE DA PESSOA DE DEUS EM NOSSAS VIDAS


O artigo abaixo foi publicado pelo site da editora FIEL e é de autoria de John Piper.

Deus: autor e objetivo da salvação
John Piper

Você já se perguntou por que o perdão de Deus possui algum valor? E quanto à vida eterna? Você já se perguntou por que você quer a vida eterna? Estas questões são importantes porque é possível querer o perdão e a vida eterna por razões que podem indicar que você não os possui.

Tome o perdão, por exemplo. Você pode querer o perdão de Deus por estar muito infeliz com sentimentos de culpa. Você só quer alívio. Se você puder crer que ele te perdoa, poderá ter algum alívio, mas não necessariamente a salvação. Se você quer o perdão só por causa do alívio emocional, você não terá o perdão de Deus. Ele não o dá a quem o usa apenas para obter seus dons, mas não a ele mesmo.

Ou você pode querer ser curado de uma doença, ou conseguir um bom emprego, ou encontrar um cônjuge. Então você ouve que Deus pode ajudá-lo a obter essas coisas, mas que primeiro os seus pecados devem ser perdoados. Alguém lhe diz para crer que Cristo morreu pelos seus pecados, e que se você crer nisso, seus pecados serão perdoados. Então você crê apenas para remover o obstáculo à saúde, ao emprego e ao cônjuge. Isso é a salvação do evangelho? Acho que não.

Em outras palavras: importa, sim, o que você espera por meio do perdão. Importa por qual motivo você o quer. Se você quer o perdão só por uma questão de desfrutar a criação, o Criador não é honrado e você não é salvo. O perdão é precioso por uma razão definitiva: ele permite que você desfrute de comunhão com Deus. Se você não quer perdão por essa razão, você não irá tê-lo de forma alguma. Deus não será usado como moeda para a compra de ídolos.

Semelhantemente, por que queremos a vida eterna? Pode-se dizer que é porque o inferno é a alternativa, e isso é doloroso. Ou pode-se dizer que é porque não haverá nenhuma tristeza lá. Ou porque nossos entes queridos foram para lá, e queremos estar com eles. Ou pode-se sonhar com sexo ou comida sem fim. Ou ainda, buscar fortunas mais nobres. Em todos estes alvos, uma coisa está faltando: Deus.

O motivo salvador para querer a vida eterna é dado em

João 17.3
E a vida eterna é esta: que conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

Se não queremos a vida eterna porque ela significa alegria em Deus, então não teremos vida eterna. Simplesmente nos enganamos que somos cristãos se usamos o glorioso evangelho de Cristo para obter o que amamos mais do que Cristo. A “boa nova” não se mostrará boa para ninguém que não tenha Deus como o bem maior.

Jonathan Edwards apresenta isso desta maneira em seu sermão “Deus Glorificado na dependência do homem”, pregado em 1731. Leia isto lentamente e deixe-o despertar você para o verdadeiro bem do perdão e da vida.

“Os redimidos têm todo o seu bem objetivo em Deus. O próprio Deus é o grande bem que recebem a posse e o gozo através da redenção. Ele é o bem mais elevado, e a soma de todo o bem que Cristo adquiriu. Deus é a herança dos santos; ele é a porção de suas almas. Deus é a sua riqueza e tesouro, seu alimento, sua vida, sua morada, o seu ornamento e diadema, e sua honra e glória eterna. Eles não têm a ninguém no céu senão Deus; ele é o grande bem no qual os resgatados são recebidos na morte, e para o qual eles se levantarão no fim do mundo. O Senhor Deus, ele é a luz da Jerusalém celestial, e é o “rio da água da vida” que corre, e a árvore da vida que cresce “no meio do paraíso de Deus”. A gloriosa excelência e beleza de Deus será o que para sempre entreterá a mente dos santos, e o amor de Deus será o seu banquete eterno. Os remidos, de fato, desfrutarão de outras coisas; eles apreciarão os anjos, e desfrutarão uns dos outros; mas o que eles desfrutarão nos anjos, ou no outro, ou em qualquer outra coisa que seja, que irá render-lhes prazer e felicidade, será o que de Deus será visto neles”.

O evangelho é, em última análise, a respeito de Deus. Só ele é o autor e alvo da salvação. A boa notícia de João 3.16 é que Deus é o fim principal do evangelho. Ele amou o mundo de tal maneira não apenas para nos dar perdão ou vida eterna, mas para nos dar algo ainda maior: a si mesmo.

Tradução: João Paulo Aragão da Guia Oliveira

Revisão: Yago Martins

O artigo original poderá ser visto por meio desse link aqui:



Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.      

Nenhum comentário:

Postar um comentário