terça-feira, 8 de dezembro de 2015

EFÉSIOS - SERMÃO 021 – A PATERNIDADE DE DEUS AO QUAL ORAMOS - EFÉSIOS 3:14—21



Esse esboço de sermão é parte da série "Exposição da Epístola aos Efésios" e é muito recomendável que o leitor procure conhecer todos os aspectos das verdades contidas nessa exposição, com aplicações para os nossos dias. No final do artigo você encontrará um link para outros estudos dessa série.

EXPOSIÇÃO DA EPÍSTOLA DE PAULO AOS EFÉSIOS


Introdução.

A. Paulo terminou o capítulo 1 de Efésios com uma oração —

Efésios 1:16—23

16 não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações,

17 para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele,

18 iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos

19 e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder;

20 o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais,

21 acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir, não só no presente século, mas também no vindouro.

22 E pôs todas as coisas debaixo dos pés, e para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu à igreja,

23 a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas.

Tal oração foi antecedida pelas grandes revelações acerca:

1. Da nossa eleição eterna.

2. Da nossa adoção na Família de Deus.

3. Da nossa redenção em Cristo e da consequente remissão ou perdão de todos os nossos pecados.

4. Do fato que fomos feitos herança do próprio Deus.

5. De que fomos selados com o Espírito Santo o qual se tornou para nós em uma garantia de que herdaremos, por fim, tudo o que Deus nos tem prometido —

Efésios 1:3—14

13 Em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa;

14 o qual é o penhor da nossa herança, ao resgate da sua propriedade, em louvor da sua glória.

B. Neste texto nós estamos novamente diante de um momento de oração. O que motiva Paulo a orar novamente é:

1. A revelação de que a obra de Cristo derrubou todas as paredes de separação que existiam entre os seres humanos e com isso permitiu a constituição de uma nova sociedade —

Efésios 2:13—22

13 Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo.

14 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade,

15 aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz,

16 e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade.

17 E, vindo, evangelizou paz a vós outros que estáveis longe e paz também aos que estavam perto;

18 porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito.

19 Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus,

20 edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular;

21 no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor,

22 no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito.

2. O envolvimento pessoal de Paulo na transmissão desta verdade, ele que se considerava o menor entre todos os cristãos —

Efésios 3:8

A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo

C. Vamos, então, examinar esta oração feita por Paulo, parte por parte, para podermos derivar dela o máximo de aprendizado possível

A PATERNIDADE DE DEUS AO QUAL ORAMOS

I. A Importância de Entendermos o Propósito de Deus.

A. Conforme já mencionamos na introdução, a oração de Paulo nestes versículos tem a ver com:

1. A obra realizada por Jesus. Que culminou na criação da Igreja que é o Corpo de Cristo.

2. A revelação que Paulo havia recebido acerca deste mistério oculto em Deus desde as mais remotas eternidades passadas.

B. O que move Paulo a orar é seu conhecimento do propósito de Deus. E isso no ensina que todas as nossas orações precisam estar amparadas pela revelação de Deus.

C. O prelúdio indispensável para todas as nossas orações é a revelação da palavra de Deus.

D. De fato nós podemos até dizer que não temos autoridade nem direito de fazermos nenhum tipo de oração que não esteja alinhada com a vontade revelada de Deus —

Tiago 4:1—4

1 De onde procedem guerras e contendas que há entre vós? De onde, senão dos prazeres que militam na vossa carne?

2 Cobiçais e nada tendes; matais, e invejais, e nada podeis obter; viveis a lutar e a fazer guerras. Nada tendes, porque não pedis;

3 pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres.

4 Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.

E. Como podemos saber ou conhecer o propósito de Deus? O único meio seguro que temos de conhecer o propósito de Deus é sua Palavra Revelada:

1. Em primeiro lugar Sua Palavra viva que é o Senhor Jesus, o próprio Verbo de Deus —

João 1:1—4 e 14

1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.

2 Ele estava no princípio com Deus.

3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.

4 A vida estava nele e a vida era a luz dos homens.

14 E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.

2. Em segundo lugar nós temos a Palavra de Deus escrita — a Bíblia — que é o instrumento por excelência para a nossa santificação —

João 17:17

17 Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.

F. Portanto, oração e leitura da Bíblia andam sempre de mãos dadas.

G. É através da leitura da Bíblia que nós descobrimos o propósito de Deus e é através da oração que nós pedimos a Deus que implemente seu propósito em nossas vidas e nas vidas de nossos irmãos.

II. A Oração de Paulo — a forma.

A. Paulo diz: “me ponho de joelhos”.

B. Os judeus não oravam ajoelhados. Pelo contrário, costumavam ficar em pé para fazerem suas orações. Ver, por exemplo, a parábola dos dois homens que subiram ao Templo para orar – Lucas 18:9—14.

C. Por esse motivo, a expressão de Paulo de que se colocava de joelhos é uma grande novidade e indica uma abordagem diferente ao ato de orar.

D. Existe um precedente no Antigo Testamento para uma oração feita de joelhos.

Esdras 9:5—6

5 Na hora do sacrifício da tarde, levantei-me da minha humilhação, com as vestes e o manto já rasgados, me pus de joelhos, estendi as mãos para o SENHOR, meu Deus,

6 e disse: Meu Deus! Estou confuso e envergonhado, para levantar a ti a face, meu Deus, porque as nossas iniqüidades se multiplicaram sobre a nossa cabeça, e a nossa culpa cresceu até aos céus.

E. Outras passagens nos falam de pessoas que se prostraram completamente no chão:

1. Como Josué após os hebreus terem sido derrotados pelos habitantes de Ai —

Josué 7:6

Então, Josué rasgou as suas vestes e se prostrou em terra sobre o rosto perante a arca do SENHOR até à tarde, ele e os anciãos de Israel; e deitaram pó sobre a cabeça.

2. Ou como o próprio Senhor Jesus no jardim do Getsêmani —

Mateus 26:39

Adiantando-se um pouco, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres.

F. Não existe nas Escrituras Sagradas nenhum mandamento acerca de qual é a melhor maneira, fisicamente falando, para fazermos nossas orações. É possível orar:

1. Em pé.

2. Sentado.

3. Ajoelhado.

4. Andando.

5. Guiando.

6. E, até mesmo deitado. Mas não vá adormecer.

G. Não é tanto a posição física que importa e sim a posição do nosso coração e certamente o ato de ajoelhar expressava o desejo de Paulo de se humilhar na presença de Deus.

H. Independentemente da nossa posição física o que mais aborrece Deus é a atitude do nosso coração quando nos aproximamos dEle em oração. Oração é assunto sério e não podemos tratar da mesma de forma desleixada e nem ter para com a mesma uma postura leviana.

III. A Oração de Paulo – feita a Deus, o Pai.

A. Paulo diz: “me ponho de Joelhos diante do Pai”.

B. Deus é em primeiro lugar “o Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo” — ver Efésios 1:3.

C. E como nós estamos “em Cristo”, então Deus é também nosso Pai.

D. Como filhos de Deus, todos nós, independentemente da nossa origem racial ou cor da nossa pele, da nossa nacionalidade e da língua que falamos, do nosso nível social ou cultural, temos todas igual acesso ao Pai em oração —

Efésios 2:18—19

18 porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito.

19 Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus.

Essa mesma ideia é repetida em Efésios 3:11—12 onde Paulo usa a expressão παρρησία parresía — ousadia, e que indica confiança aberta e destemida, coragem entusiástica, audácia, segurança. É dessa maneira que devemos nos aproximar de Deus, porque estamos em Cristo.

E. Mas somente aqueles que estão em Cristo i.e., somente aqueles que creem exclusivamente em Cristo como salvador pessoal é que são os verdadeiros filhos de Deus.

Conclusão:

A. Quando alinhamos nossa vontade em oração com a própria vontade de Deus o Senhor Jesus nos promete o seguinte:

João 15:7

Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito.

B. Mas este tipo de pedido não é um cheque em branco. Ele só vale se nossa intenção estiver firmemente alicerçada na vontade revelada de Deus —

João 15:8—11

8 Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos.

9 Como o Pai me amou, também eu vos amei; permanecei no meu amor.

10 Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço.

11 Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo.

C. De todos os mandamentos que Jesus nos deu nenhum é maior do que este

João 15:12

O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.

D. E como foi que Jesus nos amou? Ele mesmo nos responde dizendo:

João 15:13—14

Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos. Vós sois meus amigos, se fazeis o que eu vos mando.

E. Quanto tempo nós temos investido em sincera e fervente oração uns pelos outros? Quanto tempo temos investido pedindo que Deus transforme a nossos irmãos bem como a nós em cópias exatas do Senhor Jesus. Este é o propósito supremo de Deus: fazer-nos réplicas exatas do Senhor Jesus —

Efésios 4:13

Até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo.

Quanto tempo temos investido pedindo pela conversão dos perdidos? Estas são orações que Deus irá sempre honrar.

F. Meus irmãos e irmãs, Jesus nos abriu através da sua morte na Cruz do Calvário, um novo e vivo caminho que nos conduz diretamente à presença de Deus, nosso Pai. Deixemos as palavras da própria Bíblia nos consolarem e nos fortalecerem:

Hebreus 10:19 – 24

Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e lavado o corpo com água pura. Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel. Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras.


OUTRAS MENSAGENS DA SÉRIE NA EPÍSTOLA AOS EFÉSIOS

ALGUNS ASPECTOS DAS INSONDÁVEIS RIQUEZAS DE CRISTO COMO APRESENTADAS EM EFÉSIOS

EFÉSIOS 1:1—2 — SERMÃO 001 — INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA AOS EFÉSIOS

EFÉSIOS 1:3—14 — SERMÃO 002 — TODA SORTE DE BÊNÇÃO ESPIRITUAL

EFÉSIOS 1:4—6 — SERMÃO 003 —A BÊNÇÃO DA NOSSA ELEIÇÃO POR DEUS

EFÉSIOS 1:7—8 — SERMÃO 004 —A BÊNÇÃO DA NOSSA REDENÇÃO

EFÉSIOS 1:9—10 — SERMÃO 005 —A BÊNÇÃO DA UNIFICAÇÃO DE TODAS AS COISAS EM CRISTO

EFÉSIOS 1:11—14 — SERMÃO 006 — A BÊNÇÃO DE DEUS EM PERSPECTIVA

EFÉSIOS 1:15—16— SERMÃO OO7 — A IMPORTÂNCIA DA FÉ E DO AMOR

EFÉSIOS 1:16—17 — SERMÃO OO8 — A IMPORTÂNCIA DO ESPÍRITO SANTO EM NOSSAS VIDAS

EFÉSIOS 1:18—21 — SERMÃO OO9 — A ESPERANÇA DO SEU CHAMAMENTO EM NOSSAS VIDAS

EFÉSIOS 1:18—21 — SERMÃO O10 — A RIQUEZA DA GLÓRIA DA SUA HERANÇA NOS SANTOS

EFÉSIOS 1:18—21 — SERMÃO O11 — A SUPREMA RIQUEZA DO SEU PODER

EFÉSIOS 1:22—23 — SERMÃO O12 — A IGREJA E CRISTO COMO PLENITUDE

EFÉSIOS 2:1—3 — SERMÃO O13 — A CONDIÇÃO DO SER HUMANO SEM DEUS

EFÉSIOS 2:4—10 — SERMÃO 014 — A CONDIÇÃO HUMANA  PELA GRAÇA DE DEUS

O QUE DEUS FEZ POR NÓS — SALVAÇÃO

PARA O QUE DEUS NOS SALVOU?

EFÉSIOS 2:11—12 — SERMÃO 015 — NOSSA PRECÁRIA CONDIÇÃO ANTES DE CRISTO VIR AO MUNDO

A VERDADEIRA CIRCUNCISÃO E O VERDADEIRO BATISMO

EFÉSIOS 2:13—18 — SERMÃO 016 — NOSSA NOVA CONDIÇÃO “EM CRISTO”

EFÉSIOS 2:19—22 — SERMÃO 017 — A IGREJA COMO CIDADÃOS, FAMÍLIA E TEMPLO

EFÉSIOS 3:1—7 — SERMÃO 018 — A REVELAÇÃO DO MISTÉRIO DE DEUS

EFÉSIOS 3:8—13 — SERMÃO 019 — PAULO COMO INSTRUMENTO DE DEUS

EFÉSIOS 3:1—13 — SERMÃO 020 — A RELEVÂNCIA DA IGREJA

EFÉSIOS 3:14—21 — SERMÃO 021 — A PATERNIDADE DE DEUS AO QUAL ORAMOS

EFÉSIOS 3:14—21 — SERMÃO 022 — A ORAÇÃO DE PAULO A FAVOR DOS EFÉSIOS

EFÉSIOS 3:14—21 — SERMÃO 023 — A GLÓRIA DEVIDA A DEUS
EFÉSIOS 4:1—3 — SERMÃO 024 — A UNIDADE DA IGREJA

EFÉSIOS 4:4—6 — SERMÃO 025 — A IGREJA É UNA PORQUE DEUS É UM

EFÉSIOS 4:7—10 — SERMÃO 026 — UNIDADE EM MEIO A DIVERSIDADE

EFÉSIOS 4:11 — SERMÃO 027 — OS DONS DE EDIFICAÇÃO DA IGREJA
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2016/12/efesios-sermao-027-os-dons-de-ensino-e_26.html

Que Deus Abençoe a Todos

Alexandros Meimaridis 

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário