terça-feira, 29 de dezembro de 2015

A ORAÇÃO DO PAI NOSSO - SERMÃO 004 - Uma Exposição Bíblica, Literária e Teológica de Mateus 6:9—13



Essa série tem por objetivo expor de maneira ampla, bíblica, literária, histórica e teologicamente, a oração que chamamos de “Oração do Pai Nosso”. Nosso desejo é enriquecer a vida de todos por meio desses esboços de mensagens que também estão disponíveis em áudio. Na parte final desse artigo o leitor encontrará os links para os outros esboços e para os áudios à medida que forem sendo publicados 



SERMÃO 004 — Deus Como Pai e Mãe — Mateus 6:9

Introdução:

A. Hoje pretendemos derrubar um monte de tabus acerca de Deus, especialmente o tabu de que Deus é do sexo masculino. Foi esse tabu que criou e ajuda a manter as estruturas de todo tipo de religião como dominadas por seres humanos do sexo masculino. Desde o Hinduísmo, passando pelo Islamismo e pelo maior aspecto da cristandade — a Igreja Católica Romana — essa verdade se mantêm: Deus é do sexo masculino e, por isso, os machos devem ter prerrogativas maiores que as mulheres, no que diz respeito à religião. 

B. E nós, os verdadeiros cristãos, como ficamos diante dessa situação? Uma das acusações mais comuns que ouvimos contra a fé cristã é que a mesma é uma religião machista, que privilegia os homens em detrimentos das mulheres.  

C. Existe alguma verdade nessas acusações, mas na maior parte, tais afirmações são apenas uma manifestação da ignorância dos nossos detratores e uma forma fácil de evitar se deixar confrontar por aquilo que Jesus, o Filho de Deus, representa: o Salvador da humanidade.

D. Se precisarmos de um salvador é porque estamos perdidos. Então uma boa tática para evitar esse confronto é inventar desculpas, coisas típicas de mentes pequenas e covardes.

E. Mas como dissemos, existe algo de verdadeiro nessas acusações e a culpa é nossa mesmo e não da Bíblia e muito menos de Deus.

F. Somos nós os homens que criamos religiões moldadas conforme a nossa imagem e semelhança e, sendo o homem, mais forte, do ponto de vista físico, temos nos aproveitado para impor regimes religiosos onde as mulheres são tratadas como cidadãs de segunda classe: isso é verdadeiro na cristandade, no islã, no hinduísmo, no budismo etc. 


1. Mas o fato é que a fé cristã não é uma religião e, por isso, não precisa lançar mão desses subterfúgios imorais, para dizer o mínimo. Tudo não passa de uma leitura equivocada e tendenciosa das Escrituras Sagradas.  A maioria das denominações chamadas cristãs ainda não entendeu que a fé cristã trata de relacionamentos e não de práticas religiosas. E são essas práticas religiosas que são usadas pelos machos para submeterem e humilharem as mulheres em, praticamente todas as igrejas instituídas.

2. Todos vocês sabem do que estamos falando: desde a proibição de falar em público, até a obrigatoriedade de adotar códigos de vestimentas e comportamentos que apenas degradam as mulheres, a cristandade está cheia de exemplos disso. Por esse motivo as críticas são muitas vezes válidas.

G. No entanto como dissemos a fé cristã trata de relacionamentos e nessa questão de relacionamentos ocupamos todos — homens e mulheres — rigorosamente a mesma posição diante de Deus, pois estamos TODOS EM CRISTO.

H. Sendo assim, devemos procurar entender o ensinamento bíblico que descreve Deus ora em termos de Pai, ora em termos de Mãe.

DEUS COMO PAI E MÃE

I. Deus é Espírito e Precisamos Manter Essa Posição Como Verdade Fundamental.

A. Foi o próprio Senhor Jesus quem nos ensinou a seguinte verdade:

João 4:24

Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.

B. Se Deus é Espírito ele não pode ser classificado nem com pertencendo ao gênero masculino e nem ao gênero feminino. DEUS É ESPÍRITO.

C. Quando o próprio Jesus nos ensina a orar dizendo para usarmos a expressão אַבָּא `abba — Pai, Ele está apenas usando uma metáfora, como já vimos, cujo propósito é nos ensinar duas coisas:

1. Intimidade de filhos com seu pai.

2. Completa dependência e confiança em Deus.

D. Por motivos que devem nos parecer óbvios, Jesus escolheu chamar Deus de אַבָּא `abba — Pai, para evitar qualquer má compreensão e confusão com Maria, caso tivesse usado a expressão “mãe”.

E. Mas para entendermos melhor o que estamos dizendo, vamos considerar os seguintes pontos:

II. Deus é Apresentado nas Escrituras Através de Metáforas Tanto Masculinas Quanto Femininas.

A. Deus é tratado como “PAI”, mas ao mesmo tempo a Bíblia declara o seguinte:

1 João 2:29

Se sabeis que ele é justo, reconhecei também que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele.

1 João 3:9

Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.

1 João 4:7

Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.

B. É fato que costumamos dizer, em linguagem coloquial, que fulano gerou cicrano. Mas isso não quer dizer que fulano deu à luz a cicrano. E esse é, exatamente, um dos significados do verbo grego γεννάω gennáo — traduzido por “nascido de Deus” nos versos acima = que Deus nos deu à luz.

C. Se recusarmos a imagem metafórica de Deus como Pai, por causa das conotações machistas, então também temos que recusar a metáfora que fala de Deus como mãe e que está implícita em todos os versos que falam da “nova vida que recebemos de Deus”, ato esse, exclusivo de uma mãe.

D. E curioso, no meio dessa discussão toda notar como o próprio Jesus se qualificou em

Mateus 23:37

Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes quis eu reunir os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das asas, e vós não o quisestes!

E. Nas três parábolas que encontramos em Lucas quinze, Jesus se descreve:

1. Como um pastor na Parábola da Ovelha Perdida — Lucas 15:3—7.

2. Como uma mulher na Parábola da Dracma Perdida — Lucas 15:8—10.

3. Como um Pai — que age de forma muito parecida com uma mãe — na Parábola dos Filhos Perdidos — Lucas 15:11—32.

III. Devemos Sempre nos Lembrar que a Imagem de Deus nos Seres Humanos se Refletiu em: Macho e Fêmea.

A. Não é exatamente isso que nos ensina

Gênesis 1:26—27

26 Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.

27 Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

B. Nesses versos três palavras devem chamar nossa atenção:

C. A primeira é אָדָם adam — homem no sentido de humanidade. Designação de espécie.

D. A segunda é זָכָר zacar — macho. Pode ser usado para seres humanos ou animais.

E. A terceira é נְקֵבָה n^eqebac — fêmea. Mulher, menina ou animal fêmea.

Conclusão

1. Jesus diz em Mateus 6:9: “Vós orareis assim”. Quem deve orar do modo como ele ensinou? Apenas os crentes em Jesus podem orar assim e isso distingue a oração dos cristãos de todas as outras orações e práticas de oração existentes no mundo!

2. Em vez de nos sentirmos injuriados — como machos — diante das palavras de hoje, nós devemos nos alegrar pelo fato que Deus é Espírito e, portanto, não é nem macho nem fêmea. Essa realidade vem apenas enriquecer nossa leitura das Escrituras onde podemos ver metáforas tanto de Pai como de Mãe serem aplicadas ao nosso Deus.

3. Quando chamamos Deus de אַבָּא `abba — Pai, devemos fazê-lo no contexto mais abrangente possível. Devemos olhar para nossos irmãos e irmãs aqui na nossa congregação e depois estender nossa visão para alcançar todos os filhos gerados por Deus que existem ao redor do mundo!

4. A expressão אַבָּא `abba — Pai só tem validade se manifestar a verdadeira unidade que deve existir no seio da família cristã. É um termo familiar e é assim que ele precisa ser utilizado.

5. Só podemos dizer “Pai Nosso”, se estivermos conscientes da realidade que somos parte de uma família e que dependemos uns dos outros.

Que Deus abençoe a todos

OUTRAS MENSAGENS DA SÉRIE DO PAI NOSSO 
001 — INTRODUÇÃO A MATEUS 6:9—15
002 — O PAI NOSSO — PARTE 001 — MATEUS 6:9
003 — O PAI NOSSO — PARTE 002 — MATEUS 6:9
004 — O PAI NOSSO — PARTE 003 — MATEUS 6:9
005 — O PAI NOSSO — PARTE 004 — MATEUS 6:9a — PAI NOSSO QUE ESTÁS NOS CÉUS
006 — O PAI NOSSO — PARTE 005 — INTRODUÇÃO À ESTRUTURA DO PAI NOSSO — Mateus 6:9—13
007 — O PAI NOSSO — PARTE 006 — SANTIFICADO SEJA TEU NOME — Mateus 6:9
008 — O PAI NOSSO — PARTE 007 — A RELAÇÃO DA SANTIDADE DE DEUS COM A JUSTIÇA E O AMOR — Mateus 6:9
009 — O PAI NOSSO — PARTE 008 — O REINO DE DEUS — PARTE 001 — Mateus 6:10
Que Deus abençoe a todos 
Alexandros Meimaridis 

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link: 
Desde já agradecemos a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário