quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

A ORAÇÃO DO PAI NOSSO - SERMÃO 005 - PAI NOSSO QUE ESTÁS NOS CÉUS — Mateus 6:9a




Essa série tem por objetivo expor de maneira ampla, bíblica, literária, histórica e teologicamente, a oração que chamamos de “Oração do Pai Nosso”. Nosso desejo é enriquecer a vida de todos por meio desses esboços de mensagens que também estão disponíveis em áudio. Na parte final desse artigo o leitor encontrará os links para os outros esboços e para os áudios à medida que forem sendo publicados 

A ORAÇÃO DO “PAI NOSSO”

Uma Exposição Bíblica, Literária e Teológica de Mateus 6:9—13



Introdução:

A. Prosseguindo com nossa exposição de Mateus 6:9—13, a chamada “Oração do Pai Nosso”, hoje queremos falar, entre outras coisas, de algumas similaridades, já mencionadas antes, entre a oração que o Senhor ensinou e algumas das 18 orações praticadas pelos judeus.

B. Como falamos antes quando mencionamos que existiam certas similaridades entre o Pai Nosso e as orações praticadas pelos judeus, nosso interesse não está em reforçar as similaridades e sim destacar as diferenças.  

C. Como vimos, Jesus rompeu com todas as formas de oração adotadas pelos judeus. As práticas dos judeus não nos interessam porque Jesus nos libertou das formas — como orar em pé — dos métodos — como orar três vezes por dia — e do conteúdo propriamente dito de todas essas orações, porque as mesmas não refletem a realidade que Deus é Espírito e pode ser adorado em qualquer lugar e a qualquer tempo em Espírito e Verdade conforme —

João 4:24

Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.

D. Além disso, hoje queremos também falar do agudo contrastes representado pelo uso da palavra אַבָּא — `abba — Pai e a expressão seguinte: “que estás nos céus”.

·       Vamos então nos voltar para esse

ABBA QUE ESTÁ NOS CÉUS

I. O Pai Nosso e a Oração chamada Qaddish feita nas sinagogas dos judeus.

A. A oração chamada Qaddish feita nas sinagogas judaicas tem certas semelhanças como o início das petições que encontramos na oração do Pai Nosso. O material a seguir é citado no Comentário de Mateus escrito por Donald Hagner e ele, por sua vez, está citando outro livro “The Lord´s Prayer in Jewish Literature” escrito por Petuchowski e Brocke. O texto da oração Qaddish diz o seguinte:

Exaltado e Santificado seja Teu grande Nome
No mundo que foi criado por Ti,
De acordo com Tua Vontade.
Que o Senhor possa estabelecer Seu Reino,
Durante os dias das nossas vidas e da nossa existência,
E durante a existência de toda a casa de Israel.
Que isso aconteça de modo rápido e em breve.
E digam amém.

B. As semelhanças são apenas superficiais. Os judeus apenas pretendiam manter um relacionamento com Deus. Como Jesus os denunciou, eles não passavam de um bando de hipócritas. O interesse maior deles não estava centrado no Pai supridor e Todo Poderoso, e sim, neles mesmos.

C. De modo contrário Jesus não escolhia palavras para impressionar seus ouvintes e sim para expressar a:

1. Verdadeira intimidade de filhos com seu pai.

2. Completa dependência e confiança em que ele depositava em Deus.


II. O Deus Que é Chamado de אַבָּא — `abba — Pai, está também nos céus.

A. Isso quer dizer o seguinte: Nosso Pai amoroso é também o Deus transcendente que está “nos céus”.

B. Enquanto somos crianças nos habituamos, em condições normais, a viver e ter nosso pai e nossa mãe próximos de nós.

C. Mas as circunstâncias da modernidade acabam, muitas vezes, nos afastando uns dos outros e isso se tornou a regra no Ocidente. Mas no Oriente isso não acontece com a mesma frequência. 

D. No Oriente o pai e mãe vivem próximos de seus filhos pela duração de suas vidas naturais. Muitas vezes, quando o Pai ainda existe, ele costuma viver na mesma casa que seus filhos, mesmos quando esses são casados. Isso é apenas cultural e não devemos julgar, de modo temerário, se a ação é certa ou errada.

E. Quanto ao Pai da oração que Jesus ensinou: Ele está, ao mesmo tempo, próximo, mas também está nos céus.

F. Deus está nos céus e a comunidade de adoradores, que somos nós, é parte do mundo criado.

G. Nosso Deus além de אַבָּא — `abba — Pai é também o Criador e Sustentador de todo o universo.

H. Diante dessas duas últimas afirmações nós podemos então dizer que a comunidade dos fieis representa os servos dos quais o אַבָּא — `abba — Pai é o Senhor.

I. Como servos habitando sobre a Terra somos todos mortais, enquanto nosso אַבָּא — `abba — Pai é eterno e vive para sempre.


III. Nos Aproximando do Deus que está nos céus, mas que também é nosso אַבָּא — `abba.

A. Mesmo habitando nos céus podemos nos aproximar do nosso אַבָּא — `abba — Pai que habita em majestosa santidade em Sua glória celestial:  

Efésios 2:17—18

E, vindo, evangelizou paz a vós outros que estáveis longe e paz também aos que estavam perto; porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito.

Efésios 3:11—12

Segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor, pelo qual temos ousadia e acesso com confiança, mediante a fé nele.


Hebreus 10:19—24

Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e lavado o corpo com água pura. Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel. Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras.

Conclusão

A. De acordo com as tradições judaicas, era comum os homens chegarem à sinagoga e permanecerem em absoluto silêncio durante uma hora, antes de se levantarem para proferir as Tefillah ou 18 orações.

B. Chegar à presença de Deus é sempre algo majestoso e assombroso até, mas por causa do que Jesus fez nós podemos nos aproximar do nosso אַבָּא — `abba — Pai, pois Jesus nos garante acesso: com ousadia, com coração sincero — sem esconder nada — e em plena certeza de fé. Devemos comparecer diante de Deus como somos e não temos nenhuma pretensão de nenhum tipo, pois como diz o salmista —

Salmos 103:14

Pois ele conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó.

C. Nossas palavras dirigidas ao nosso אַבָּא — `Abba — Pai que “está nos céus”, devem ser sempre sinceras e poucas.

D. Nosso אַבָּא — `Abba — Pai deseja e espera que o procuremos com ousadia, várias vezes durante o dia. Orações breves e sinceras como as que encontramos às centenas no livro dos Salmos, como por exemplo:

Salmos 119:5

Tomara sejam firmes os meus passos, para que eu observe os teus preceitos.

Salmos 119:8

Cumprirei os teus decretos; não me desampares jamais.


Salmos 119:12

Bendito és tu, SENHOR; ensina-me os teus preceitos.


Salmos 119:17

Sê generoso para com o teu servo, para que eu viva e observe a tua palavra.


Salmos 119:18

Desvenda os meus olhos, para que eu contemple as maravilhas da tua lei.


Salmos 119:25

A minha alma está apegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

5. Mesmo próximo, não devemos nos esquecer que Nosso אַבָּא — `Abba — Pai está “nos céus”. Isso quer dizer apenas uma coisa: ELE É O DEUS ETERNO, O DEUS TODO PODEROSO a quem podemos dirigir todas as nossas orações e CONFIAR, pois ELE É FIEL.

OUTRAS MENSAGENS DA SÉRIE DO PAI NOSSO 
001 — INTRODUÇÃO A MATEUS 6:9—15
002 — O PAI NOSSO — PARTE 001 — MATEUS 6:9
003 — O PAI NOSSO — PARTE 002 — MATEUS 6:9
004 — O PAI NOSSO — PARTE 003 — MATEUS 6:9
005 — O PAI NOSSO — PARTE 004 — MATEUS 6:9a — PAI NOSSO QUE ESTÁS NOS CÉUS
006 — O PAI NOSSO — PARTE 005 — INTRODUÇÃO À ESTRUTURA DO PAI NOSSO — Mateus 6:9—13
007 — O PAI NOSSO — PARTE 006 — SANTIFICADO SEJA TEU NOME — Mateus 6:9
008 — O PAI NOSSO — PARTE 007 — A RELAÇÃO DA SANTIDADE DE DEUS COM A JUSTIÇA E O AMOR — Mateus 6:9
009 — O PAI NOSSO — PARTE 008 — O REINO DE DEUS — PARTE 001 — Mateus 6:10

Que Deus abençoe a todos 

Alexandros Meimaridis 

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link: 
Desde já agradecemos a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário