sexta-feira, 16 de outubro de 2015

ATOS DOS APÓSTOLOS - SERMÃO 021 – ATOS 5:1-11 - ANANIAS E SAFIRA


Esse material é parte de uma série de mensagens pregadas no Livro dos Atos dos Apóstolos. As mensagens cobrem todos os 28 capítulos do Livro de Atos e no final de cada mensagem, você poderá encontrar links para outras mensagens.

Texto: Atos 5:1—11
Introdução

A. O próprio Filho de Deus quando veio a este mundo estava sujeito a tentações trazidas à Sua vida, em alguns casos, diretamente pelo próprio Satanás — Lucas 4:1—13, especialmente o verso 13 que afirma que o diabo apartou-se de Jesus até momento oportuno.

B. Como Jesus, a Igreja que é o Seu corpo, também está sujeita a tentações e provas.

1. Já vimos que os apóstolos foram presos apenas porque estavam pregando algo que desagradava os donos da religião em Jerusalém que eram os saduceus, representados pelas famílias sacerdotais.

2. Os saduceus não acreditavam na ressurreição dos mortos, portanto, anunciar a ressurreição de Jesus era considerado o supra sumo da heresia para eles. Sua reação foi imediata – ver Atos 4:1—3. Os discípulos foram ordenados a parar com a pregação, mas eles rebateram essa proposta na mesma hora —

Atos 4:19—20

19 Mas Pedro e João lhes responderam: Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus;

20 pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos.

C. Mas a prisão não intimidou a Igreja do Senhor:

1. Em primeiro lugar, o resultado da pregação resultou na conversão adicional de quase dois mil homens —

Atos 4:4

Muitos, porém, dos que ouviram a palavra a aceitaram, subindo o número de homens a quase cinco mil.

e comparar com

Atos 2:41

Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas.

2. Em segundo lugar a perseguição fez com que a Igreja, de forma unânime, se voltasse para o Senhor —

Atos 4:24

Ouvindo isto, unânimes, levantaram a voz a Deus e disseram: Tu, Soberano Senhor, que fizeste o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há.

3. O resultado final foi que eles anunciaram a Jesus com grande intrepidez —

Atos 4:31

Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus.

4. Em toda história do Livro dos Atos dos Apóstolos, até aqui, existe uma ênfase simples, discreta, mas da maior importância:

a. Atos 2:46 – Perseveravam unânimes.

b. Atos 4:224 – Unânimes levantaram a voz.

D. A unidade da Igreja como corpo de Cristo é fundamental para o bem estar de cada um de seus membros.

Essa unidade é criada pelo Espírito Santo e é nosso dever nos esforçar diligentemente para manter a mesma —

Efésios 4:1—3

1 Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados,

2 com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor,

3 esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz.

E. Como a perseguição — ataque externo — não produziu os resultados esperados, pelo contrário, produziu resultados contrários e a Igreja cresceu, o inimigo então resolveu atacar a Igreja a partir dela mesmo — ataque interno — destruindo a unidade. E para isso, entram em cena... 
ANANIAS E SAFIRA

I. A Trama Para Praticar um Trambique e Suas Trágicas Consequências

A. Esse é um episódio de triste memória e serve para nos ensinar que mesmo na comunidade primitiva, enchida vez após vez com o Espírito Santo — ver Atos 2:4; 3:8; 4:31 — era possível o surgimento de coisas muito podres e a Bíblia não esconde os erros dos seus personagens. Afinal de contas somos todos pecadores e, apenas verdadeiros otários se consideram de qualquer outra maneira!   
B. A história se Ananias e Safira nos lembra a história de Acã — ver Josué 7 — que causou profunda divisão no povo de Israel, logo após Deus ter lhes conseguido a enorme vitória destruindo a cidade de Jericó. 
C. O ato de Ananias e Safira, como o de Acã, interrompeu o progresso vigoroso do povo Deus. 
D. Já falamos que naqueles dias ninguém estava obrigado a vender suas propriedades. Apesar disso, muitos, por estarem entusiasmados com a nova realidade que estavam experimentando, assim procediam. 
E. Além disso, depois de vender suas propriedades ninguém estava obrigado a fazer qualquer oferta para a Igreja, mas muitos, vendo que podiam ajudar os irmãos necessitados, se dispunham a doar todo o dinheiro conseguido com a venda de seus bens. Foi assim que Barnabé agiu — 
Atos 4:36—37 
36  Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo. 
37  Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? 
F. Para todos os efeitos, Ananias e Safira, procederam de modo semelhante ao de Barnabé – verso 1. Mas, de fato, eles estavam colocando em prática um pecado duplo de desonestidade e engano – verso 2. Eles não estavam obrigados nem a vender, nem a doar o dinheiro para a Igreja. Isso fica claro — verso 4. 
G. Eles foram duramente confrontados por Pedro por causa da falta de integridade e da monstruosa hipocrisia: eles estavam trazendo parte do valor, pretendendo que estavam trazendo o valor integral. Eles eram, acima de tudo, grandes mentirosos. 
H. Pedro viu em tudo isso uma sutil ação do próprio Satanás que tinha o propósito de substituir a verdadeira atitude sacrificial dos irmãos por uma mera imitação fruto da pretensão embutida em fingir serem o que não eram – verso 3. 
I. Eles desejavam receber o reconhecimento, o crédito e o prestígio por uma generosidade sacrificial sem o inconveniente de ter que realmente se sacrificar. 
J. O objetivo deles não era socorrer os necessitados da comunidade e sim inflar o próprio ego – a Bíblia chama isso de “culto de si mesmo” — 
Colossenses 2:23 
Tais coisas, com efeito, têm aparência de sabedoria, como culto de si mesmo, e de falsa humildade, e de rigor ascético; todavia, não têm valor algum contra a sensualidade. 
K. Tal atitude é, como todo pecado, um atentado contra o próprio Deus — 
Atos 5:4, 9 
4 Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus. 
9 Tornou-lhe Pedro: Por que entrastes em acordo para tentar o Espírito do Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e eles também te levarão. 
L. Ananias pagou com a própria vida. A Bíblia não declara, de modo explícito, o motivo da sua morte, mas é provável que tenha sido resultado do choque de ser desmascarado de maneira tão clara diante daqueles que ele tinha planejado enganar — 
Atos 5—6 
5  Ouvindo estas palavras, Ananias caiu e expirou, sobrevindo grande temor a todos os ouvintes. 
6  Levantando-se os moços, cobriram-lhe o corpo e, levando-o, o sepultaram. 
M. Safira teve a oportunidade de se arrepender do mal que havia feito junto com seu marido, mas preferiu manter a mentira até o fim. O resultado foi o mesmo sofrido pelo seu marido: morte. É possível que o motivo da morte de Safira também tenha sido devido ao choque agravado pela notícia da morte do próprio marido além de ser também desmascarada —

Atos 5:7—10

7 Quase três horas depois, entrou a mulher de Ananias, não sabendo o que ocorrera.

8 Então, Pedro, dirigindo-se a ela, perguntou-lhe: Dize-me, vendestes por tanto aquela terra? Ela respondeu: Sim, por tanto.

9 Tornou-lhe Pedro: Por que entrastes em acordo para tentar o Espírito do Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e eles também te levarão.

10 No mesmo instante, caiu ela aos pés de Pedro e expirou. Entrando os moços, acharam-na morta e, levando-a, sepultaram-na junto do marido.  

N. O resultado direto desses acontecimentos, foi que um “grande temor” veio sobre toda a comunidade cristã, bem como sobre todas as pessoas que ouviram a notícia daquele acontecimento — versos 5 e 11. Além do que a história em si nos ensina de forma direta, nós podemos ainda derivar três lições desses fatos.

II. Três Lições Que Podemos Aprender com Ananias e Safira 
A. Pecado é Coisa Séria 
1. A pretensão ou o fingimento praticado por Ananias e Safira, ofende a Deus de modo especial, porque Deus odeia a hipocrisia. Basta lembrar-nos a vigorosa denuncia feita por Jesus contra os fariseus — ver Mateus 23:1—36. 
2. A hipocrisia é um pecado perverso por excelência, porque a falsidade arruína a comunhão e a unidade da Igreja. Note que essa é a primeira vez, desde o início do Livro, que Lucas usa a expressão grega ἐκκλησία ekklisía — Igreja. 
B. Nossas Consciências São Sensíveis 
1. Um das maiores tolices humanas é pecar contra a própria consciência. É agir errado de forma deliberada contra a mesma. As consequências são imprevisíveis, mas são sempre desastrosas. No caso de Ananias e Safira representou a morte deles. 
2. A Bíblia nos incentiva a andar na Luz — 
Isaías 2:5 
Vinde, ó casa de Jacó, e andemos na luz do SENHOR. 
Andar na luz é equivalente a ter uma consciência pura diante de Deus — 
Atos 24:16 
Por isso, também me esforço por ter sempre consciência pura diante de Deus e dos homens. 
3. Só é possível manter verdadeira comunhão uns com os outros quando andamos na luz. Quando nossas consciências são puras diante de Deus. Quando nos desvestimos de toda pretensão, fingimento e hipocrisias — 
1 João 1:7 
Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. 
3. Esse Incidente nos Ensina Acerca da Necessidade de Termos Disciplina na Vida da Igreja. 
1. Quando pecamos contra a Igreja, nós estamos demonstrando que desprezamos a mesma — 
1 Coríntios 11:22 
Não tendes, porventura, casas onde comer e beber? Ou menosprezais a igreja de Deus e envergonhais os que nada têm? Que vos direi? Louvar-vos-ei? Nisto, certamente, não vos louvo. 
e as consequências são, muitas vezes, nefastas — 
1 Coríntios 11:30 
Eis a razão por que há entre vós muitos fracos e doentes e não poucos que dormem. 
2. A igreja do século XXI, com respeito a disciplina, flutua, por um lado, entre a extrema severidade — punindo com todo o peso da instituição certos pecados e pecadores específicos, como pessoas simples — e a lassidão absoluta por outro lado — não exercendo nenhum tipo de disciplina até mesmo para as mais graves ofensas, quando se trata da liderança ou de pessoas que contribuem financeiramente, de modo importante. 
3. A Igreja Reformada em Genebra, a igreja de Calvino, se recusava servir a ceia a pessoas cuja vida de pecado era notória. O argumento usado era: a mesa do Senhor está aberta para todos os pecadores, mas esses precisam estar arrependidos!
Conclusão:

A. Não existe área na vida da Igreja em que tenhamos falhado mais miseravelmente do que nessa questão relacionada à unidade da Igreja. Os motivos não são muitos e podem ser agrupados em:

1. Desobediência à Palavra revelada de Deus. Pessoas não querem conversa, não querem comparar suas posições com o que a Bíblia ensina. Querem seguir suas próprias idéias sob o pretexto de estarem seguindo a Bíblia.

2. Orgulho humano que não admite estar errado, mesmo diante da mais clara evidência.

3. Culto de si mesmo onde as pessoas se acham melhores do que as outras. Denominacionalismo exagerado é um dos piores cânceres a corroerem as entranhas da Igreja.

B. Se solucionássemos esses três empecilhos, muita coisa poderia ser resolvida. E muita coisa poderia ser alcançada pelos cristãos para a glória de Deus.

C. Por que estamos aqui? Não estamos aqui porque queremos brincar de Igreja, nem porque não temos nada melhor para fazer nos domingos à noite. Estamos aqui:

1. Porque amamos a Deus e desejamos servi-lo da maneira como ele mesmo deseja —

João 4:23—24

23 Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores.

24 Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.

2. Para nos esforçar diligentemente por preservar a unidade do Espírito — ver Efésios 4:3 acima.

3. Para servir uns aos outros com sinceridade, amando-nos com amor intenso —

1 Pedro 1:22

Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente.

4. Para anunciar a mensagem de salvação de Deus, mediante a fé em Jesus Cristo e exclusivamente pela graça de Deus.

5. Mas do jeito que as coisas estão hoje em dia está muito difícil alcançar qualquer um desses propósitos.

D. Lembre-se: a hipocrisia destrói a transparência que deve existir na comunhão e na unidade da ἐκκλησία ekklisía — Igreja. Essa é uma queixa muito comum da parte dos incrédulos: a igreja está cheia de hipócritas.

F. A hipocrisia destrói a Igreja de dentro para fora e ela pode ser vista com facilidade em nossas vidas quando:

1. Nós professamos a fé cristã, mas não praticamos a mesma —

Tiago 1:22

Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.

2. Pela nossa teimosia e orgulho não nos dispomos a reconhecer que estamos errados.

G. Possa o Deus Clemente ter misericórdia de nós, perdoar nossos pecados e nos ajudar a andar na luz, em plena comunhão com Ele e uns com os outros.

Amém.

OUTRAS MENSAGENS DO LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS

SERMÃO 001 — INTRODUÇÃO AO LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS — Lucas 1:1—4 e Atos 1:1—2

SERMÃO 002 — INTRODUÇÃO AO LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS — PARTE 2 — Lucas 1:1—4 e Atos 1:1—2

SERMÃO 003 — A TRANSIÇÃO DO VOLUME ANTERIOR — Atos 1:1—5

SERMÃO 004 — A NOVA DIREÇÃO EXPLICADA — Atos 1:6—8

SERMÃO 005 — A ASCENSÃO DE JESUS — Atos 1:9—11

SERMÃO 006 — PERSEVERANDO UNÂNIMES — Atos 1:12—26

SERMÃO 007 — O DIA DO PENTECOSTES – PARTE 001 — Atos 2:1—4

SERMÃO 008 — O DIA DO PENTECOSTES – PARTE 002 — Atos 2:5—15

SERMÃO 009 — A PROFECIA DE JOEL — Atos 2:14—21

SERMÃO 010 — O PRIMEIRO SERMÃO — PARTE 001 — Atos 2:22—36

SERMÃO 011 — O PRIMEIRO SERMÃO — PARTE 002 — Atos 2:37—41

SERMÃO 012 — A VIDA DOS PRIMEIROS CRISTÃOS — Atos 2:42—47

SERMÃO 013 — A VIDA DOS PRIMEIROS CRISTÃOS — Atos 2:42—47 — PARTE 002

SERMÃO 014 — A CURA DE UM PARALÍTICO DE NASCENÇA — Atos 3:1—10

SERMÃO 015 — A EXALTAÇÃO DE JESUS E A CONDENAÇÃO DOS HOMENS — Atos 3:11—21

SERMÃO 016 — SALVAÇÃO E REFRIGÉRIO: BÊNÇÃOS DAS DUAS VINDAS DE JESUS— Atos 3:17—21

SERMÃO 017 — JESUS CUMPRE AS PROFECIAS DO ANTIGO TESTAMENTO — Atos 3:22—26

SERMÃO 018 — INÍCIO DAS PERSEGUIÇÕES — Atos 4:1—22

SERMÃO 019 — A IGREJA ORA EM COMUNHÃO — Atos 4:23—31

SERMÃO 020 — A IGREJA VIVE EM COMUNHÃO — Atos 4:32—37

SERMÃO 021 — ANANIAS E SAFIRA — Atos 5:1—11

SERMÃO 022 — A COMUNIDADE DOS CRENTES — Atos 5:12—16

SERMÃO 023 — PRISÃO, JULGAMENTO, AÇOITES = ALEGRIA E O PARECER DE GAMALIEL — Atos 5:17—42

SERMÃO 024 — DIVERSIDADE DE DONS = CRESCIMENTO DA IGREJA — Atos 6:1—7

SERMÃO 025 — UM HOMEM CHAMADO ESTÊVÃO — Atos 6:8—12
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2016/05/atos-dos-apostolos-sermao-025-um-homem.html

Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:

Desde já agradecemos a todos            

Nenhum comentário:

Postar um comentário