quarta-feira, 7 de outubro de 2015

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 006



Esse é um estudo especial que irá abordar temas de grande interesse, tais como: 1. Deus 2. Os seres humanos e o mundo criado 3. Jesus e Sua missão como o CRISTO. 4. O Espírito Santo. 5. A vida cristã. 6. A Igreja. 7. O futuro e etc. Esperamos que a mesma possa ajudar todos os nossos leitores a conhecerem melhor o que o Novo Testamento ensina acerca de tudo o que nos é importante.

INTRODUÇÃO GERAL

CONTINUAÇÃO:

Em seu Livro An Introduction to The Theology of The New Testament, livro esse que teve também uma edição em português — ver nota bibliográfica abaixo[1] — o autor Alan Richardson acreditava que as ideias que encontramos no Novo Testamento formam uma unidade e, isso o levou a adotar uma abordagem temática no estudo do mesmo. Mesmo levando em conta, em parte, o background do Novo testamento, ele dificilmente consegue escapar do fato que desprezou muito desse mesmo background em seu livro. Uma das acusações mais objetivas que recebeu foi que ele não levou em conta as diferentes teologias dos autores do Novo Testamento. Seu maior crítico nessa questão foi R. Morgan em sua obra The Nature of The New Testament Theology, publicada em 1973. Independentemente desse fato, cremos que Richardson estava mais plenamente consciente da base comum da teologia do Novo Testamento que todos os seus predecessores imediatos. Um exemplo disso é a obra de E. Stauffer, intitulada New Testament Theology, que está estruturada duma forma diferente daquela adotada por Richardson e que, também tem um objetivo distinto do primeiro. Stauffer está mais interessado em estabelecer a teologia, primariamente, como história, usando para isso o mundo do Novo Testamento. Essa mesma abordagem foi utilizada pelo professor da Harvard Univesity Helmut Koester em sua obra Introdução ao Novo Testamento – Parte 1 – História, Cultura e Religião no Período Helenístico.[2]

Por outro lado, a primeira parte da Theology of The New Testament escrita por Joachim Jeremias, que também está disponível em português — ver nota bibliográfica abaixo[3] — em sua primeira parte que trata dos ensinamentos de Jesus atribui um valor muito maior a esse tema do que o que foi feito por Rudolf Bultmann. Ao mesmo tempo Jeremias se deixa influenciar bem menos por considerações dogmáticas. È uma pena que em sua obra, Jeremias dedique tão pouca atenção à discussão acerca da metodologia da teologia do Novo Testamento. Outros autores alemães que produziram obras nessa área foram W. G. Kümmel[4] e L Gopelt[5], cuja massiva obra está contida em dois volumes. Autores católicos romanos também publicaram obras nessa área entre as quais podemos destacar as de M. Meinertz — em dois volumes — e K. H. Schelkle — em cinco volumes.

Kümmel se concentra em Cristo, Paulo e João e, agindo desse modo ele se expõe a ser criticado que deixou-se dominar pela teoria da “personalidades dominantes”. Já L. Goppelt divide sua teologia em duas partes: a primeira parte trata das atividades de Jesus, consideradas da perspectiva teológica. A segunda parte lida com a variedade e a unidade do testemunho apostólico. Já Meinertz procura apresentar suas evidências usando a divisão literária do Novo testamento e escolhe seus temas de acordo com a maneira como os mesmos se adaptam ao tipo de literatura que está sendo estudada. Enqianto isso, Schelkle optou por uma abordagem temática. Outro autor católicos romano, J. Bonsirven, divide sua obra em quatro partes, a saber: 1) Jesus Cristo; 2) Cristandade Primitiva; 3) São Paulo e 4) Cristandade Amadurecida. Esse esquema é muito parecido com o de Meinertz.

Antes de concluirmos essa parte não podemos deixar de mencionar a valiosa obra escrita pelo professo George Ladd intitulada Theology of The New Testament, também disponível em português — ver nota bibliográfica abaixo.[6] Ladd reivindica para si mesmo ter adotado uma perspectiva histórica em sua obra, uma vez que ele entende que a Teologia do Novo Testamento tem uma função descritiva. De acordo com Ladd a teologia do Novo Testamento, tem a função de trazer à luz a rica variedade do pensamento contido no Novo Testamento, apesar dele conseguir enxergar em todas as fontes um claro testemunho da obra redentora de Deus em cristo Jesus. Ladd também entende que a teologia do Novo Testamento, forma a base de sustentação necessária para o desenvolvimento da Teologia Sistemática.

Deve ficar claro para todos os leitores, como acontece com a maior parte das questões envolvendo as Escrituras Sagradas, que não existe um consenso, entre os estudiosos, acerca de qual deve ser alvo que a Teologia do Novo Testamento procura atingir. Isso não é algo mal em si mesmo. Mas prova que a Palavra de Deus e sempre mais rica e compreensiva do que a imaginação humana pode conter.

A maioria dos estudiosos prefere uma apresentação que se interesse por colecionar as diferentes teologias que encontramos no Novo Testamento. A abordagem temática encontra-se desfavorecida no presente momento, porque os estudiosos temem que a mesma acabe por conduzi-los para longe da coesão interna dos autores individuais, cujo conteúdo literário forma o Novo Testamento. Falaremos mais acerca da metodologia da Teologia do Novo Testamento na próxima divisão.

Diante desses fatos devemos concluir que é uma missão, praticamente impossível, alguém tentar produzir uma Teologia do Novo Testamento que consiga agradar todos a escolas de pensamento que já se manifestaram acerca desse assunto, durante a breve história que apresentamos da Reforma protestante do século XVI até o final do século XX. O que fica evidente é que cada autor está sempre limitado a produzir um material que satisfaça os alvos que ele mesmo estabeleceu e deseja atingir. Mesmo assim, pesa sobre todos eles a obrigação de esboçar, com clareza, seus objetivos e apresentar algumas razões, pelo menos, justificando porque estabeleceu os mesmos.  

CONTINUA...

OUTROS ARTIGOS ACERCA DA TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 001

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 002

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 003

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 004

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 005

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 006

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 007

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 008

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 009

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 010

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 011

TEOLOGIA DO NOVO TESTAMENTO – ESTUDO 001 — PARTE 012


Que Deus abençoe a todos

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.



[1] Richardson, Alan.  Introdução à Teologia do Novo Testamento. ASTE, São Paulo, 1966.

[2] Koester, Helmut. Introdução ao Novo Testamento – Parte 1 – História, Cultura e Religião no Período Helenístico. Paulus, São Paulo, 2005

[3] Jeremias, J. Teologia do Novo Testamento – Nova Edição Revista e Atualizada. Teológica, São Paulo e Paulus, São Paulo, 2004,

[4] Kümmel, W. G. Introdução ao Novo Testamento. Edições Paulinas, 1982.

[5] Goppelt, L. Teologia do Novo testamento em 2 Volumes. Editora Sinodal, São Leopoldo, 1979.

[6] Ladd, Geoge E. Teologia do Novo Testamento. Exodus Editôra, São Paulo, terceira edição, 1997. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário